A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos

Novo Renault Twingo: a volta da tração traseira para as massas

Enquanto curtíamos o carnaval, a Renault apresentou em Genebra a terceira geração do Twingo, seu compacto urbanóide e divertido. O conceito de carro pequeno por fora e grande por dentro continua o mesmo, mas agora ele tem uma novidade surpreendente: o motor saiu da dianteira e foi parar lá atrás, sob o porta-malas. Sim, isso significa que ele será um modelo de entrada com motor e tração traseira!

A configuração é a mesma dos primeiros Renault vendidos no Brasil, o 4CV conhecido como “Rabo Quente”, e o Dauphine/Gordini, mas a inspiração para o novo design veio direto do Renault 5 dos anos 1970 e 1980.

df0gpfbgm4oqzcihceny

Mas não pense que a Renault ficou louca ou decidiu agradar os gearheads. O que acontece, é que agora o Twingo vai dividir a plataforma com a próxima geração do smart que, você sabe, sempre teve motor e tração traseiros. Além disso, os engenheiros descobriram que com um motor encaixado sob o assoalho do porta-malas e o banco traseiro, sobraria mais espaço para a cabine, talvez a característica mais marcante da primeira geração do hatch. O resultado foi um aumento expressivo de 13 cm no entre-eixos, apesar da redução de 22 cm no comprimento total.

xz4jkvuhtjz7djev8xzq

Na dianteira, ao contrário do que você está pensando, não há espaço para bagagem. O compartimento foi usado para acomodar a bateria, sistema de ar-condicionado, reservatórios do lavador do para-brisa e estruturas de deformação em caso de impactos.

O novo Twingo terá duas opções de motores de três cilindros, ambos desenvolvidos especialmente para o carro. O mais interessante deles é o TCe 90, um turbo de 898 cm³ de 90 cv e 13,8 mkgf já utilizado na gama Renault, porém no novo Twingo ele teve o bloco reprojetado para ser inclinado em 49 graus em relação à sua base. Assim ele proporciona espaço para o porta-malas, que continua na traseira. O outro é um projeto novo, chamado SCe70, e desloca 998 cm³ com aspiração natural para produzir 70 cv e 9,24 mkgf — em resumo, é um típico 1.0 moderno. Ambos podem ser equipados com o sistema stop-start (opcional no aspirado) e são combinados a uma transmissão manual de cinco marchas.

Outra mudança radical do novo Twingo é que ele agora tem portas traseiras. Você talvez não tenha percebido pois as maçanetas estão escondidas na coluna C, e os adesivos na carroceria ajudam a disfarçar. Falando nos adesivos, eles fazem parte das várias opções de personalização, que incluem acabamento interno em azul, cinza, vermelho ou cores sortidas para os bancos e apoios de braço.

_D4N3313

 

Agora, se você acabou seduzido pela ideia de ter um hatch acessível de tração traseira, a má notícia que já era de se esperar: a Renault já descartou a volta do Twingo ao Brasil e disse que prepara um carro “ideal para o país”. Não sabemos ao certo o que eles querem dizer com isso, mas uma coisa é certa: ele não terá tração traseira.

_D4N3310

_D4N3316

g08uc4qn9wwza7ewakc0

_DSF2419

_D4N3323

iyrxujvk8rtqxoaesdkt

[ Fotos: Newspress e Jalopnik ] 

Matérias relacionadas

AMG GT 4 portas: a Mercedes aponta suas armas para o Porsche Panamera

Leonardo Contesini

Ford Focus RS: o que a imprensa internacional achou do novo “mega hatch” de 350 cv e tração integral?

Dalmo Hernandes

Novo Polo 2018 chega com plataforma do Golf, motores turbo e preço competitivo – confira tudo sobre ele

Dalmo Hernandes