A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos Zero a 300

Novo kit supercharger Phase 1 da Roush dá mais de 700 cv ao Mustang GT 2018

Ele chegou: depois de quase dez anos de supremacia e duas gerações do Chevrolet Camaro, o Ford Mustang GT de sexta geração finalmente começou a ser vendido oficialmente no Brasil em 2018 – poucos meses depois de receber sua primeira reestilização nos EUA, que além de um visual mais agressivo, trouxe também cluster de instrumentos digital, câmbio automático de dez marchas e motor mais potente.

Por uma feliz coincidência a Roush Performance, preparadora americana que há anos se dedica a melhorar o desempenho do Mustang, acaba de apresentar seu novo kit de supercharger Phase 1, que concede um aumento de potência de quase 250 cv.

Originalmente o Mustang GT 2018 conta com 466 cv a 7.000 rpm e 56,7 mkgf de torque a 4.600 rpm em seu motor V8 de cinco litros. De acordo com a Roush, o kit Phase 1 eleva estes números para 710 cv 84,3 mkgf de torque. São precisamente 244 cv e 27,6 mkgf a mais.

ROUSH-729-6

O kit é compatível especificamente com o Mustang GT, tanto com câmbio automático de dez marchas quanto com a caixa manual de seis marchas que infelizmente não está disponível por aqui. O supercharger é um Eaton R2650 de 2,65 litros, com dutos redesenhados para melhor eficiência volumétrica e rotores com geometria retrabalhada, além de rolamentos e engrenagens reforçados para aumentar a durabilidade. Os números de potência e torque foram obtidos com o compressor operando a 0,82 bar (12 psi) e o tanque abastecido com gasolina de octanagem 91 RON – caso das premium brasileiras.

O kit também inclui outros componentes importantes para garantir esse ganho de potência: um novo intercooler e um radiador maior, ambos de alumínio; novos coletores de admissão também de alumínio, projetados pela própria Roush; corpo de borboleta de maior diâmetro; além de todos os acessórios exigidos para a instalação. Além disso, a Roush realiza uma recalibragem eletrônica no motor.

large-1b9165e01585ab9d257885211469dc93a8a66ed5large-377382774799077491133792b0e8f9b4bae7f940

Agora, o mais bacana é o fato de o carro usado para demonstrar o aumento de potência do kit no Mustang GT foi o conceito Roush 729, apresentado no SEMA Show em novembro de 2017. Para quem não lembra, trata-se de um Mustang GT com carroceria alargada usando molduras impressas em 3D e fibra de carbono no splitter frontal, saias laterais e spoiler traseiro, além das capas dos retrovisores. Além disso, o Mustang feito em homenagem ao Boss 429 de 1970 tem pintura em uma interessante tonalidade de verde-água, suspensão com amortecedores ajustáveis, freios Brembo e rodas de 20 polegadas.

O vídeo do Mustang com o kit Phase 1 no dinamômetro revela que a potência nas rodas é de 603 cv e o torque, de 74,5 mkgf. O carro em questão é equipado com câmbio automático de dez marchas.

A Roush diz que realizou testes que incluíram centenas de horas no dinamômetro para chegar aos níveis desejados de desempenho, segurança e durabilidade do kit. Eles oferecem garantia de três anos ou 60.000 km (36.000 milhas) para o conjunto mecânico quando o supercharger for instalado em uma concessionária Ford ou uma por um técnico credenciado. Não fica clara a situação de quem importar um kit desses para o Brasil, mas não é impossível fazê-lo. E, com o Mustang recém-chegado, nos parece uma boa hora.

Não deixe de ler nossa avaliação do Ford Mustang GT 2018, nem de assistir ao teste em vídeo no Velo Città!

Matérias relacionadas

Tem um motor V10 Honda de Fórmula 1 à venda – mas o que daria para fazer com ele?

Dalmo Hernandes

A vodka mais cara do mundo, feita em homenagem ao Rali Monte Carlo de 1912, foi roubada e encontrada dias depois, vazia e amassada

Dalmo Hernandes

Semana do Subaru no GT40: todos os modelos anunciam na faixa até a próxima terça (e veja o que já temos por lá)!

Juliano Barata
error: Direitos autorais reservados