A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Car Culture

O ano dos barn finds: coleção com Ferrari 250 GT e outros 60 clássicos é encontrada na França depois de quase 50 anos!

2014 provavelmente será lembrado como o ano dos barnfinds entre os colecionadores de clássicos. Foram nada menos que dez carros raros e esquecidos que voltaram a ver a luz do dia graças aos garimpeiros automotivos e por incrível que pareça eles não foram todos. Alguém encontrou uma coleção com nada menos que 60 clássicos esquecidos na França desde os anos 1960. E a história é tão incrível quanto os carros da coleção.

Tudo começou na década de 50, quando o empresário francês Roger Baillon decidiu começar uma coleção de carros. Empresário bem sucedido no setor de transportes, Baillon era apaixonado por carros e queria preservá-los em um museu. Ele acumulou mais de 200 carros ao longo de duas décadas, mas teve que abandoná-los por dificuldades financeiras — e agora, os melhores carros de sua coleção vão a leilão no ano que vem — entre eles, uma Ferrari 250 GT SWB California Spider que já pertenceu ao ator Alain Delon.

Talvez Baillon tivesse planos ambiciosos e pressa em realizá-los, e por isso fazia as coisas antes de pensar nas possibilidades reais de tudo dar certo. Com o dinheiro que ganhou com sua empresa ele comprou cerca de 200 carros entre 1953 e 1966 — todos eles especiais de alguma forma. São carros dos anos 1930, 40 e 50 — boa parte deles com carrocerias fabricadas artesanalmente por companhias francesas famosas como Chapron, Saoutchick e Million-Guiet — que dividem espaço com representantes mais contemporâneos, que foram comprados novos.

barn-find (15)

A coleção foi descoberta há cerca de três meses, graças a uma amiga da família Baillon que entrou em contato com Pierre Novikoff e Matthieu Lamoure, responsáveis pelos leilões de automóveis promovidos pela companhia francesa Artcurial. “O mais impressionante é que a coleção era desconhecida pelos especialistas em carros antigos”, conta Novikoff. “Quando falaram de uma Ferrari California SWB eu achei que era piada.”

COLECTION BAILLON NIORT 17 / 11 /2014

Com razão: a 250 GT California SWB é uma das versões mais raras da 250, com apenas 55 exemplares fabricados pela carrozzeria Scaglietti. Uma das diversas variações da Ferrari 250 (cuja mais famosa é a 250 GTO), a California SWB era uma versão de entre-eixos mais curto da Spyder California ( de 2,6 para 2,4 metros, o que melhorava o comportamento dinâmico) — que, por sua vez, era baseada na 250 GT Berlinetta, um dos melhores grand tourers já feitos pela Ferrari.

O motor era um V12 Colombo de três litros com comando simples nos cabeçotes e 280 cv, acoplado a uma caixa automática de quatro marchas. Foram fabricados 55 exemplares, mas apenas 37 deles tinham os faróis cobertos por uma redoma de acrílico — são estes os carros mais valorizados e admirados. O ator francês Alain Delon era dono de um deles, e o paradeiro do carro era desconhecido — até agora.

alain

Na últimas vez em que uma California SWB foi vendida — no concurso de Pebble Beach em agosto passado — o preço chegou a US$ 15,18 milhões (quase R$ 40 milhões). Novikoff está confiante de que o carro encontrado pela Artcurial possa atingir um valor bem próximo deste.

Talvez Baillon soubesse que a Ferrari era o carro mais valioso de todos, pois o guardou em uma garagem fechada, com paredes de tijolos, ao lado de outra preciosidade: o Maserati A6G, cupê com motor de seis cilindros em linha, dois litros e 150 cv. Só quatro exemplares com carroceria feita por Pietro Frua foram fabricados em 1956, e este é um deles. Os organizadores do leilão acreditam que o preço possa chegar ao € 1,2 milhão — ou R$ 3,8 milhões.

1956 Maserati A6G Gran Sport Frua

As outras seis dúzias de carros não tiveram a mesma sorte, o que não significa que não sejam, também, preciosos. Na verdade os carros encontrados foram os 100 que restaram depois que a companhia de Roger Baillon pediu falência, no início da década de 1970, forçando-o a vender metade de sua coleção. Os 60 que serão leiloados durante o evento de clássicos Retromobile, que acontecerá em Paris no ano que vem, são os que estão melhor conservados.

Estes deverão ser mais difíceis de restaurar, mas certamente recompensarão quem se dispuser a fazê-lo: há muitos tesouros entre os nomes — algumas Ferrari, diversos Talbot Lago com carrocerias fabricadas artesanalmente (sendo que um deles pertenceu ao Rei Faruk do Egito), um Porsche 356, vários Delahaye dos anos 1930 e até um Lancia Thema 8.32.

Mattieu Lamoure diz que os carros não serão restaurados antes de serem levados a Paris — e sim eles serão “expostos como uma gigantesca obra de arte, como sonhos não realizados trazidos de volta à vida”. Novikoff completa, dizendo que “nunca, em nenhum lugar do mundo, um tesouro deste tamanho será encontrado”. O leilão acontecerá no dia 6 de fevereiro.

barn-find (2)

 

Matérias relacionadas

Os motores V12 estão em baixa… mas será que eles vão mesmo desaparecer?

Leonardo Contesini

Opala Las Vegas (sim, aquele do Salão de 1972), Charger, Maverick e outros épicos no Clássicos Brasil 2016 – parte 1

Juliano Barata

Precisamos falar sobre o “recorde” do supercarro chinês NIO EP9 em Nürburgring

Dalmo Hernandes