A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

O carro do jovem Biff Tannen: este Ford DeLuxe 1946 está à venda!

Quando se fala no carro de “De Volta para o Futuro” (Back to the Future, 1985), é natural que se pense logo no carro de Doc Brown – o DeLorean DMC-12, com suas portas asa-de-gaivota, sua carroceria de aço escovado sem pintura e seu motor V6 PRV que era fraco demais para o visual arrojado do carro. E, claro, seu capacitor de fluxo. Acontece que o esportivo clássico dos anos 80 não é o único carro notável do filme clássico… dos anos 80.

“De Volta para o Futuro” , afinal, trata de viagens no tempo, e grande parte do filme se passa em 1955  – a era das banheiras no coração da era baby boomer nos Estados Unidos – carros grandes, potentes e beberrões. Como contamos neste post, vários deles tiveram algum destaque na tela em algum momento. Como o Ford DeLuxe 1946 do jovem Biff Tannen. Nosso Achado meio Perdido de hoje é um carro do mesmo modelo, do mesmo ano e com o mesmo motor. E, como de costume, está anunciado no GT40.

24f86ebf-3545-4b95-91a5-009b567f6356

Um pouco de contexto para quem não sabe do que estamos falando: Biff Tannen é o principal vilão da trilogia “De Volta para o Futuro”, e o cara que atormenta George McFly, o pai de Marty, em 1955 – e acaba se tornando seu chefe. Depois de voltar 30 anos no tempo e quase colocar um fim em sua própria existência ao impedir seu pai de conhecer sua mãe, Marty ainda arruma briga com o jovem Biff no Lou’s Café. Em uma das melhores cenas do filme, Marty improvisa um skate usando um brinquedo da época (com um detalhe: o skate ainda era desconhecido, pois foi inventado no início da década de 60) para fugir de Biff, que entra no seu Ford DeLuxe 1946 preto junto de seus comparsas, Match, Skinhead e 3D, e sai na cola do protagonista.

Estamos falando de um filme lançado há mais de 30 anos, então isto não é um spoiler: o carro acaba batido em um caminhão cheio de esterco bovino e fica soterrado sob uma montanha fedorenta – assim como seus quatro ocupantes, obviamente. Clássico!

3d0052f5-7c2f-412b-acab-248f20f17047 ac5b25f4-c833-4f1b-b8d2-c221a7aadaed

O Ford 1946 marcou o retorno à fabricação de veículos civis depois da Segunda Guerra Mundial. Por conta disto, era praticamente idêntico ao modelo de 1942 (quando os automóveis deram lugar aos equipamentos militares nas linhas de produção), exceto pela grade redesenhada, com grossas barras cromadas horizontais em vez dos filetes verticais usados anteriormente. O motor era um V8 flathead de 3,9 litros que já era usado desde 1939 nos carros da Mercury, a divisão de luxo da gigante de Detroit, e pela primeira vez era visto em um modelo com a marca Ford. A maior novidade do motor era um aumento na taxa de compressão, de 6,12:1 para 6,75:1, o que elevava a potência de 90 cv para 100 cv – finalmente alcançando os três dígitos direto da fábrica.

14eb46a7-7942-42e6-9cbf-a21ff250cbe1 8b6eab5d-0876-49b9-9fb2-20127c9f0b20

O exemplar anunciado no GT40 está na Vintage Garage, em Curitiba, com Bird Clemente Jr. Bird conta que o Ford 1946 pertenceu por vários anos a um conhecido colecionador curitibano, que veio a falecer e deixou o carro parado por 15 anos. O atual proprietário, que deixou a venda aos cuidados de Bird, adquiriu o Ford da família e teve que refazer toda a mecânica novamente: o motor, sem funcionar por tanto tempo, estava travado, e os freios e outros componentes estavam seriamente comprometidos.

IMG_6374

A mecânica foi toda refeita, de acordo com Bird, usando peças originais novas, importadas dos EUA. O anunciante diz que atualmente o funcionamento do carro é perfeito, e que o sistema elétrico ainda é o original de 6 volts.

Bird diz, ainda, que a pintura não é a original, mas certamente tem mais de trinta anos, porém os frisos, emblemas, calotas, faróis e lanternas são originais e estão em perfeito estado. Já a tapeçaria interna é a mesma com a qual o carro saiu da fábrica, e possui algumas marcas do tempo – o que é perfeitametne compreensível em um carro produzido em 1946. A capota (elétrica) é nova, e foi fabricada sob encomenda seguindo as características originais. Os pneus faixa branca também são novos.

d9dacc9b-cbeb-4daa-ba7b-496411d3ae97 64493436-738a-461c-b825-e6849cacb7b4 Processed with MOLDIV

O preço do carro, obviamente, é o de um veículo de coleção da década de 1940. É o tipo de carro que tem um público bastante específico e um dos poucos exemplares neste nível de originalidade à venda no Brasil.

Se ficou interessado, basta clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do vendedor.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Vin Diesel anuncia Velozes e Furiosos 8, novo Bugatti irá de zero a 100 em 2 segundos e a 460 km/h, atropelamento em arrancada de SC e mais

Leonardo Contesini

Sinta-se um executivo dos anos 1990 com este Santana EX que encontramos à venda

Dalmo Hernandes

Um possível sedã da Bugatti, McLaren Senna em Nürburgring, Aventador SVJ tem versão roadster confirmada e mais!

Leonardo Contesini