A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O fim do Focus no Brasil (definitivamente), os Ford GT de Le Mans, Lifan perde processo para BMW depois de 7 anos e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Ford GT terá cores clássicas nas 24 Horas de Le Mans deste ano

A Ford irá encerrar neste ano sua participação nas 24 Horas de Le Mans. O programa iniciado em 2016, celebrou os 50 anos das quatro vitórias consecutivas da marca na prova, ocorridas entre 1966 e 1969 — daí sua duração de 2016 a 2019. Em sua despedida de Mans, a Ford decidiu fazer mais uma referência ao passado, aplicando ao seu atual GT as pinturas dos três carros que dominaram a edição de 1966.

Além das cores, os GT também usam os números correspondentes aos anos em que a Ford venceu a prova:  carro #66 usa a pintura preta com faixa branca usada pelo GT40 de Bruce McLaren e Chris Amon, que venceram Le Mans em 1966. Ele será pilotado por Stefan Mücke, Olivier Ela e Billy Johnson.

O carro #67, será pilotado por Andy Priaulx, Harry Tincknell e Jonathan Bomarito, e usa uma pintura vermelha e branca inspirada no GT40 de 1967 de Dan Gurney e AJ Foyt.

O terceiro carro, com o número #68, mantém a pintura atual, em referência à vitória na classe GT de 2016, e será pilotado por Dirk Müller, Joey Hand e Sébastien Bourdais.

Por último, o carro #69 de Scott Dixon, Ryan Briscoe e Richard Westbrook usará as cores remetendo ao segundo colocado em 1966.

A edição deste ano da 24 Horas de Le Mans acontece no próximo final de semana, iniciando na manhã de 15/06 e terminando na manhã de 16/06. (LC)

 

Ford Focus sai de linha definitivamente

Todo mundo já sabia que o Ford Focus estava com os dias contados no Brasil – a produção do modelo na Argentina foi encerrada no início de maio, e era só questão de tempo até que o estoque no Brasil acabasse. O hatchback já sumiu do site brasileiro da Ford, que conta apenas com o Fastback.

Em contato com as concessionárias da marca, soubemos que o carro já não é mais oferecido. Em uma delas, por exemplo, a última unidade do modelo foi vendida há dois meses.

Com isto, encerra-se a trajetória do Focus não apenas no Brasil, onde o segmento dos hatches médios está respirando por aparelhos, mas em toda a América – nos Estados Unidos o modelo já saiu de linha no ano passado. Resta apenas a Europa, onde o modelo acabou de ganhar uma nova geração e está entre os mais vendidos. (DH)

 

Justiça proíbe venda do Lifan 320… cinco anos depois do fim do modelo

Seria cômico se não fosse trágico: a justiça brasileira finalmente concluiu o processo da BMW contra a chinesa Lifan por vender no Brasil uma cópia mal-feita do Mini Cooper, o 320. A ação foi iniciada em 2012 pela própria fabricante para impedir que os representantes da marca chinesa no Brasil vendessem o modelo copiado e se estendeu por sete anos. Agora, a Lifan está legalmente proibida de vender o 320 no Brasil. Agora, que o modelo já saiu de linha.

Este é o original. A cópia é o outro, com fundo branco

E a situação fica ainda mais ridícula: a condenação obriga Lifan a interromper, em definitivo, a comercialização, exibição, distribuição, promoção e divulgação do Lifan 320 — que já saiu de linha em 2014. Se a Lifan não obedecer — ou seja, se continuar promovendo um carro que não é importado há mais de quatro anos —, pode ser penalizada com multa diária no valor de R$ 50.000,00.

A única punição real para a Lifan no Brasil, poderá ser a indenização à BMW por perdas e danos eventualmente causados pela venda de uma cópia do Mini e o pagamento dos honorários dos advogados da BMW. (LC)

 

Fiat Uno 2020 fica mais caro – e volta a ter a versão Way

O Fiat Uno segue em linha espremido entre o Mobi e o Argo na gama de compactos da Fiat. A linha 2020 foi apresentada nessa segunda (3) e tem como maior novidade o retorno da versão aventureira Way. O Uno aposta no custo/benefício para atrair os consumidores, o modelo vem bem equipado em todas as versões.

Agora, o hatchback parte de R$ 45.290 – antes eram R$ 43.690, ou seja, R$ 1.600 a mais na versão de entrada. Este valor corresponde à versão entrada, Attractive, que é equipada com o veterano motor 1.0 Fire Evo de 75 cv e 9,9 kgfm de torque. Já as versões Drive 1.0 e Way 1.0 usam o motor 1.0 Firefly, de 77 cv e 10,9 kgfm de torque. Por fim, o Uno Way 1.3 assume o topo da gama – equipado com o motor Firefly de 109 cv e 14,2 kgfm de torque. Em todos os casos, o câmbio é manual de cinco marchas.

No mais, não houve mudanças. O Uno mais barato vem de série com ar-condicionado, direção assistida, computador de bordo, travas elétricas e vidros elétricos na dianteira. Já as versões Drive e Way 1.0 acrescentam direção com assistência elétrica, limpador e desembaçador para o vidro traseiro e volante ajustável em altura. Elas custam, respectivamente, R$ 47.290 e R$ 48.690.

O Uno Way vem com motores 1.0 ou 1.3, ambos da família Firefly, o 1.0 parte de R$ 48.690 e tem os equipamentos da versão Drive. O Way 1.3 tem preço sugerido de R$ 53.690 e acrescenta chave canivete, monitoramento da pressão dos pneus, pré-disposição para rádio, computador de bordo com tela LCD e sistema start-stop. (DH/ER)

 

Chevrolet Corvette C8 terá proteção contra modificações na ECU do motor

Há alguns dias, o site norte-americano Muscle Cars and Trucks publicou uma nota dizendo que o novo Chevrolet Corvette teria uma ECU “extremamente difícil” de reprogramar – ou seja, que o módulo de controle do motor não traria a possibilidade de reprogramação para extrair mais potência. Do ponto de vista do aftermarket, esta é uma notícia ruim, afinal, boa parte do que torna um esportivo bem visto entre os entusiastas é a possibilidade de torná-lo ainda mais potente.

O próprio presidente da GM nos EUA, Mark Reuss, esclareceu os boatos em uma entrevista ao mencionado site. Segundo ele, a ECU do novo Corvette será baseada na arquitetura Global B, que será utilizada nos carros elétricos da companhia. Segundo ele, o fato é que a ECU do novo Corvette terá um nível sem precedentes de segurança contra invasões de hackers – algo necessário, visto que o esportivo poderá receber updates remotos emitidos pela fabricante.

Reuss também disse que poderá haver restrição sobre quais preparadoras poderão fuçar na ECU do novo Corvette: “não queremos vetar ninguém do aftermarket, mas vamos ter que separar os caras maus dos caras bons”.

Saberemos exatamente o que isto quer dizer em pouco mais de um mês – a chegada do novo Corvette C8 está marcada para 18 de julho. (DH)

 

Projeto que aumenta validade e pontos da CNH será enviado ao Congresso nesta semana

O presidente Jair Bolsonaro anunciou por meio de sua conta no Twitter que enviará nesta semana ao Congresso Nacional o projeto de lei para aumentar a validade da carteira nacional de habilitação (CNH) de cinco para 10 anos e para aumentar o limite de pontos para suspensão do documento de 20 para 40 pontos.

         19:10 – 2 de jun de 2019

As mudanças, segundo Bolsonaro e o Ministério de Infraestrutura, que engloba o Departamento Nacional de Trânsito, visam desburocratizar os processos relacionados a CNH, atualmente com validade de cinco anos, e aumentar a tolerância de pontos devido ao aumento no número de infrações resultante da chamada “indústria da multa”.

O FlatOut já abordou estas questões do governo federal anteriormente, ponderando os pontos positivos, negativos e, claro, apontando alternativas e sugestões. (LC)

 

Designer Ian Callum deixa Jaguar após 20 anos

O designer Ian Callum anunciou que está deixando o cargo de diretor de design da Jaguar depois de 20 anos. O  escocês de 64 anos continua ligado à fabricante, porém como consultor, passando o cargo de diretor de design para Julian Thomson, criador do Lotus Elise. Callum diz que saiu para “buscar outros projetos de design”.

Iam Callum foi responsável por alguns designs marcantes dos anos 1980 e 1990 antes de ir para a Jaguar, como o Ford RS200, o Escort Cosworth, o Ford Puma, o Aston Martin DB7 e o Nissan R390. Na Jaguar ele começou trabalhando no facelift do S-Type e no desenho da traseira da perua X-Type Estate. O primeiro carro que Ian Callum criou para a Jaguar foi o XK de 2005. Ele foi responsável pela revolução no estilo dos carros da marca, que iniciou no XF lançado em 2007. (ER)

Matérias relacionadas

OFICIAL: Porsche 911 GT2 RS crava 6:47,3 em Nurburgring – veja on board e análise

Dalmo Hernandes

“Williams”: a incrível história do vendedor de carros que se tornou uma lenda da F1 virou filme

Dalmo Hernandes

Um substituto para o Renault Clio, o Mercedes para brigar com o BMW X6, Felipe Nasr nos testes da F1 e mais!

Leonardo Contesini