Edição diária: 18/06/2019
FlatOut!
Image default
Automobilismo Zero a 300

O horror de bater em um carro da Nascar em uma nuvem de fumaça no retão de Indianápolis

Neste último domingo (24) a Nascar desembarcou no Indianapolis Motor Speedway para sua Brickyard 400, a 20ª de 36 etapas da temporada da Cup Series. Como toda prova em ovais, a corrida foi marcada por acidentes e bandeiras amarelas, porém em um número um pouco acima da média da categoria — a ponto de ser chamada de “Wreckyard 400” nas redes sociais americanas.

Foram nada menos que 19 abandonos em 14 acidentes, que começaram na nona volta, ainda na primeira etapa e continuaram até a penúltima curva da corrida. A maioria aconteceu nas relargadas ou em escapadas nas saídas de curva, envolvendo um ou dois carros. Mas houve dois “big ones“, sendo o mais impressionante deles este aí embaixo, uma pancada monumental que mostra a terrível sensação de se estar em um carro da Nascar em uma colisão em T.

O caos começou quando Clint Bowyer saiu da Curva 4 rente ao muro e, aparentemente, pegou um pedaço sujo da pista, o que o fez perder a traseira, virando o bico do carro para o meio da pista. Ao retomar a tração durante a atravessada, Bowyer tocou a traseira de seu carro no bico do Camry #77 de Erik Jones, causando uma “manobra PIT” em si mesmo que o levou de cara para o muro interno. Com a pancada, Jones e Bowyer rodaram, levantando fumaça e bloqueando a passagem e a visibilidade dos outros pilotos — como Kurt Busch, que nem teve tempo de reagir e acabou acertando a lateral de Bowyer. A porrada foi gravada pela câmera do capacete de Busch, que certamente vai te deixar aflito:

Felizmente todos os pilotos saíram ilesos — a colisão em T foi mais uma colisão em L, dado que Busch acertou a traseira do Fusion #14. Mas poderia ter sido diferente se Busch estivesse um pouco mais rápido e acertasse o meio do carro de Bowyer. A batida, aliás, lembra muito o acidente de “Dias de Trovão”, quando Cole Trickle avança em velocidade através da nuvem de fumaça e acerta a lateral do Chevy #51 de Rowdy Burns, que acaba submetido a uma cirurgia neurológica e fica afastado das pistas no restante da temporada.

Mais adiante, a Brickyard 400 ainda teria outro “big one”, envolvendo oito carros e tirando sete deles da prova. Mas ele aconteceu durante uma relargada a quatro voltas do final e em velocidades bem mais baixas.

Matérias relacionadas

Renault Sandero pode ter versão RS, Prefeitura “rouba” o carrinho de Marco Véio, um novo canal automotivo brasileiro no YouTube e mais!

Leonardo Contesini

Este Porsche 911 997 se transformou em um belíssimo tributo ao 935 da Rothmans

Dalmo Hernandes

BMW Active Tourer chega ao Brasil, Gol despenca para oitava posição entre mais vendidos, Mercedes de Schumacher à venda e mais!

Leonardo Contesini