A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Polo Proto: o incrível Volkswagen que é na verdade um Lancer Evolution

Parece que de vez em quando a gente fala algumas coisas sem sentido, mas a culpa não é nossa se o mundo do automobilismo é cheio de caras loucos dando forma a criações cada vez mais insanas? Pegue a Dytko Sport, por exemplo. Você nunca deve ter ouvido falar deles (até seu nome é meio chato de pronunciar), mas vai querer tê-los conhecido antes depois de saber o que eles fazem.

“Mas o que eles fazem, FlatOut?” Que bom que perguntou. Eles colocam a carroceria do VW Polo de rali sobre um Mitsubishi Lancer Evolution, é isto o que eles fazem. E é claro que o resultado é uma das coisas mais bacanas que já vimos. E ouvimos, também.

A primeira coisa que a gente pensa é “qual é o sentido de colocar uma carroceria de Polo sobre o Evo? Um Evo com carroceria de Evo não é o suficiente? Acontece, para quem mete a mão na graxa, muitas vezes a graça do automobilismo está justamente em buscar soluções alternativas que te façam destacar-se de algum jeito. Além disso, no caso da Dytko, é uma questão de praticidade: os caras já têm experiência com mecânica Mistubishi, pois sua especialidade é preparar o pequeno hatchback Mirage para ralis.

Com o Polo, é uma questão de visual e um pouco de conveniência, visto que a carroceria do hatch da Volkswagen é maior e mais fácil de trabalhar.

A base são carrocerias idênticas às do Polo WRC, completas com faróis, lanternas, janelas de acrílico e aparados aerodinâmicos. Mas isto é tudo: todo o resto é adaptado do Mitsubishi Lancer Evo das gerações VI a X — ainda que tenham suas diferenças dos detalhes, todas utilizam a mesma configuração mecânica.

13238911_1017114535040348_6505527865908501775_n

Isto significa que o Polo Proto tem o quatro-cilindros de dois litros do Mitsubishi Lancer Evolution e sua transmissão. O carro com pintura toda branca utiliza o motor 4B11T do Lancer Evolution X, com deslocamento ampliado de dois para 2,4 litros, pistões e bielas forjados, cabeçote retrabalhado pela Cosworth com comandos mais agressivos, um novo turbocompressor da Garrett e escape direto. Comandado por um módulo eletrônico MoTec, o motor entrega cerca de 470 cv — potência definida depois que os mais de 500 cv da calibração originais se mostraram inadequados para o tipo de circuito onde o carro competiria.

A transmissão é sequencial de seis marchas Holinger, e leva a potência para as quatro rodas através dos três diferenciais originais do Evo — dianteiro, traseiro e central, sendo que este último é eletrônico e foi remapeado.

13221033_1017114741706994_1133962843316341634_n

A suspensão também usa os subchassis e todos os componentes vindos do Evo X — braços da suspensão, molas e amortecedores ajustáveis, cubos de roda e freios Brembo com discos ventilados e pinças de seis pistões na dianteira e quatro na traseira. A suspensão permite ajuste de altura dos ângulos de cambagem e guinada, além de altura e rigidez, perfeitas para se adaptar a diferentes superfícies e traçados.

13103296_1017114538373681_2335431869467430748_n

Por dentro, o carro traz uma gaiola de proteção certificada pela FIA e tudo a que um carro de corrida tem direito: painel digital, bancos concha, cintos de competição e um monte de botões coloridos com etiquetas indicando para que servem.

O funcionamento de tudo mostra a perfeita sintonia entre as entranhas do Evo e a carroceria do Polo — até mesmo o data logger fornecido pelo módulo MoTec funciona direitinho, exibindo todos os dados vitais do carro pelo painel digital como se ele jamais tivesse deixado de ser um Evo. Olha só como o carro fica à vontade quando está correndo — nem parece um monstro de Frankenstein!

13177758_1017114638373671_2894204214543084916_n

Na verdade, mesmo parado o carro impressiona. É verdade que, em alguns pontos, dá para perceber que se trata de uma carroceria encaixada em uma plataforma que não a pertence — especialmente com o cofre aberto, quando vemos a proximidade entre as caixas de roda e como o motor fica apertado ali dentro — mas nada disso torna o Polo Proto menos admirável.

13241347_1017114705040331_158806861493480364_n

Pelo contrário: ele é bem bacana e anda fazendo bastante sucesso no circuito europeu de rali amador. Isto porque a Dytko os vende já há alguns anos (desde 2011, aparentemente) e os preços partem de € 16,9 mil, ou cerca de R$ 67 mil — bem acessível para um projeto de nível e desempenho tão bons. Pensando bem, por que alguém não iria querer um Polo com mecânica de Lancer Evolution, ou mesmo um Lancer Evolution com cara de Polo?

[ Fotos: Dytko Sport ]

Matérias relacionadas

Este neozelandês de 21 anos construiu um carro de rali sozinho

Dalmo Hernandes

Afinal… o que significavam os enigmas do Dodge Challenger SRT Demon?

Dalmo Hernandes

O Subaru Impreza WRX STI de rali do Ken Block está à venda!

Dalmo Hernandes