A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O IPVA mais caro do Brasil, Volkswagen usará sigla GTX para esportivos, a nova nota da Ranger no Latin NCAP e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

McLaren Senna terá IPVA mais caro do Brasil

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo divulgou as alíquotas do IPVA 2020 e o calendário de pagamentos. O imposto ficará, em média, 3,4% mais baixo. O menor valor a ser pago será R$ 60,40, devidos por um modelo artesanal registrado como Antonio Carlos/Fabricação Própria, cujo valor venal é R$ 1.510.

Já o IPVA mais caro será o devido por dois exemplares do McLaren Senna, com valor venal de R$ 7.206.500, que pagarão nada menos que R$ 288.259,03 cada um. Considerando que o modelo é o de maior valor venal divulgado até agora e que São Paulo tem a maior alíquota de IPVA do país, é seguro dizer que eles pagarão o IPVA mais caro do Brasil.

Entre as motos, o IPVA mais caro novamente será o da Ducati 1299 Superleggera, que, apesar de já ter três anos, ainda tem valor venal de R$ 374.796 e pagará R$ 7.495,92 de imposto. O mais barato deverá ser pago pela Hero Puch 50 ano 200, cujo valor venal é de R$ 584, com imposto de R$ 11,68. (LC)

 

Versões esportivas dos modelos elétricos da Volkswagen deverão receber a sigla GTX

 

A Volkswagen já tinha demonstrado interesse em fazer versões esportivas de seus elétricos, segundo a revista britânica Autocar essa linha receberá a sigla GTX. Essa sigla já pertence a VW, foi usada no Jetta GLI de primeira e segunda geração vendido na Europa continental. Além de manter na tradição das siglas esportivas da VW (GTI, GTE e GTD), a sigla GTX indicará a presença de um motor em cada eixo.

O primeiro modelo da linha GTX deverá ser a versão de produção do crossover ID Crozz, que será batizado como ID.4. Além de vir com dois motores a versão GTX deverá vir com baterias maiores. Esse modelo esportivo é aguardado para ser lançado em 2021. Esperamos que a Volkswagen mantenha a tradição de fazer uma padronagem de tecido xadrez exclusiva para os bancos dos modelos GTX assim como fez para os GTI, GTE e GTD. (ER)

 

Aston Martin confirma negociação com investidores

Os rumores da semana passada se confirmaram: a Aston Martin está mesmo negociando com um grupo de investidores. Em um comunicado enviado à Bolsa de Londres, a fabricante britânica disse que está procurando “relações de longo prazo com novos investidores” e também que “já está em uma etapa inicial de negociação com investidores me potencial”.

Além do consórcio liderado por Lawrence Stroll, a agência Reuters também reporta que fabricantes e empresas do Oriente Médio, Índia e China também estão interessadas em parte da Aston.

Segundo a Reuter, Stroll pretende adquirir a Aston Martin para aproveitar o baixo valor de mercado da marca antes do possível aumento das ações esperado para depois do início da produção do DBX, uma vez que a Aston espera duplicar seu volume de vendas com o crossover. (LC)

 

BYD pode comprar fábrica da Ford para produzir veículos elétricos

Depois que a CAOA praticamente descartou a possibilidade de comprar a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo/SP, os chineses da BYD podem estar interessados na unidade. Segundo a apuração do jornal Folha de S. Paulo, a fabricante chinesa já está negociando com a Ford a compra da fábrica, onde pretende construir caminhões elétricos. A marca chinesa não confirma, porém o jornal apurou que a negociação ainda está nas etapas preliminares. (LC)

 

Latin NCAP reavalia notas de Ranger e Eclipse Cross

Depois de realizar testes de impacto dos últimos lançamentos, o instituto Latin NCAP revisou as notas de modelos que receberam atualizações no pacote de itens de segurança. Os modelos que tiveram a nota revistada foram a Ford Ranger, o Mitsubishi Eclipse Cross e o Chevrolet New Aveo, que não é oferecido no Brasil.

A Ford Ranger recebeu controle de tração e estabilidade de série em todos os modelos na linha 2020, isso fez a nota de três estrelas obtidas em 2016 subir para quatro estrelas. O Mitsubishi Eclipse Cross perdeu estrelas, foi de cinco estrelas para quatro. Segundo o Latin NCAP foi detectado que o carro é vendido em alguns mercados apenas com os airbags frontais.

O Brasil não é um desses mercados onde o Eclipse Cross vem apenas com airbags dianteiros, o carro passou a ser fabricado no Brasil e vem com sete airbags e controle de tração e de estabilidade em todas as versões. Apesar do modelo nacional cumprir os requisitos para a nota máxima, o instituto só irá aumentar a nota quando todos os mercados abrangidos pelo Latin NCAP receberem o carro com todos os airbags. O instituto também frisou que, com o protocolo que será adotado a partir de 2020, carros com dois airbags não conseguirão mais de duas estrelas. (ER)

 

Corolla ganha versão blindada com garantia de fábrica

De acordo com a Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin) o Toyota Corolla figura como segundo carro mais blindado do Brasil. Diante disso, a fabricante passou a oferecer blindagem certificada para o sedã, que pode ser encomendada diretamente nas concessionárias. Durante a compra o cliente pode realizar o pedido de blindagem, que será feito por uma das empresas credenciadas pela Toyota.

O carro será enviado para a empresa de blindagem e entregue para o cliente na concessionária em um prazo de até 30 dias, com transporte por conta da Toyota. Os carros blindados através desse serviço oficial da Toyota terão a garantia de fábrica preservada, junto a essa garantia serão acrescentados cinco anos de garantia para a blindagem e 10 anos para os vidros.

Segundo a Toyota os fornecedores escolhidos estão dentro dos requisitos de qualidade, durabilidade e confiabilidade da marca. As blindadoras certificadas são a Evolution e a Inbra Blindados, os serviços oferecidos pela parceria variam de R$ 58.300 a R$ 67.990. (ER)

Matérias relacionadas

Gasolina mais cara a partir de hoje, uma fuga com o carro em chamas no PR, os preços do CrossFox e mais!

Leonardo Contesini

Mini GP no Brasil, Toyota Hilux de cara nova, mudanças no Código de Trânsito e mais!

Leonardo Contesini e Dalmo Hernandes

Ford Ka XR: este pocket rocket brasileiro bem cuidado e íntegro pode ser seu primeiro esportivo

Dalmo Hernandes