FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

O misterioso caso do Dodge Viper que se transformou em um “Opel Rekord”

Se você tem ou já teve um Opala, apostamos que, em algum momento, deve ter pensando na possibilidade de colocar nele um motor V8. Não é um serviço barato, mas também não é extremamente complexo – até existem algumas receitas prontas. E você nem precisa procurar muito: nós mesmos já demos o caminho das pedras em um guia bem completo, com duas partes, que você confere aqui e aqui. Se bem feito, o transplante é capaz de proporcionar quantidades imensuráveis de diversão – não é à toa que o “Opaloito” é tão difundido entre os fãs do modelo.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Mas, se quiser algo radical de verdade, que tal um Opala com motor V10 de Dodge Viper? Ou, reformulando: o que você diria de um Dodge Viper com carroceria de Opala? Como lhe soa a ideia de um swap às avessas, com dois cilindros a mais no pacote?

Pois foi exatamente com um carro assim que topamos nesta semana.

Olhando por fora, reconhecemos as linhas gerais um Opel Rekord C. Mas as proporções da carroceria são meio estranhas, com arcos de roda muito maiores, postura mais baixa e agressiva, entre-eixos aparentemente mais curto e… estas são as rodas do Dodge Viper?

Como você deve ter percebido, de Opel Rekord este carro só tem a cara. Por baixo da carroceria, está uma verdadeira víbora. E um mistério.

Há quem acredite que este projeto também é de autoria de Günter Artz – afinal, ele segue o padrão dos carros que o tornaram conhecido, vestindo uma carroceria relativamente comum sobre a base de um esportivo mais exótico. Não é este o caso. Mas também não se sabe muito mais a seu respeito – o que só torna o projeto ainda mais fascinante.

Imagens do carro circulam pela Internet em fóruns e sites obscuros desde 2012, entre fotos in loco e scans de uma publicação alemã – que, aparentemente, é do início dos anos 2000. Comparando imagens antigas com fotos mais recentes, percebemos que o projeto não mudou praticamente nada nos últimos anos, recebendo apenas faixas pretas no capô, que parecem apenas adesivos.

As poucas informações consistentes que se tem a respeito do carro são os anos dos carros que lhe serviram como base e alguns detalhes soltos. O Dodge Viper era um exemplar de 1994, ou seja, parte da primeira leva – com motor V10 de oito litros, 405 cv e 64,2 kgfm de torque, acoplado a uma caixa manual de seis marchas Tremec T56. Já o Opel Rekord era um sedã de duas portas fabricado em 1967. Um ano depois, o Opel Rekord daria origem ao Chevrolet Opala, com dianteira e traseira reestilizadas e mecânica vinda dos Estados Unidos.

No mais, o que temos são deduções baseadas na observação das fotos. Em algumas das imagens escaneadas que encontramos, a potência declarada é de 400 hp (405 cv), o que nos leva a crer que o conjunto mecânico do Viper foi mantido 100% original.

Já outras imagens mostram parte do processo de construção do carro, incluindo a remoção dos painéis originais da carroceria do Rekord, que foram adaptados para vestir o chassi do Viper.

O comprimento dos dois carros é mais próximo: 4.450 mm no caso do Dodge e 4.550 mm no Opel. De cara, porém, percebe-se uma modificação no entre entre-eixos, que no Viper tem 2.440 mm e no Rekord, 2.668 mm. Já os para-lamas, claro, foram alargados para acomodar as rodas de 17×10” na dianteira e 17×13” na traseira, calçadas com pneus 275/40 na frente e 335/35 atrás.

Olhando o carro por dentro, vemos que parte do painel de instrumentos do Rekord foi aproveitada, bem como o console central do Viper (debaixo do qual fica o túnel da transmissão), em um mix inusitado de eras e estilos. Os instrumentos, porém, são todos do Dodge Viper.

Da mesma forma que o motor, suspensão e freios também devem ter sido preservados – até porque, geralmente, o propósito de um body swap é aproveitar a totalidade do projeto original. Se for este o caso, o “Opel Rekord” conta com braços triangulares sobrepostos nas quatro rodas, e freios com discos de 330 mm nas quatro rodas, mordidos por pinças de quatro pistões na dianteira e de um pistão na traseira.

Quanto ao desempenho, vamos encarar desta forma: originalmente, o Dodge Viper de primeira geração pesava era capaz de ir de zero a 100 km/h em 4,1 segundos, com máxima de 304 km/h. De acordo com o que apuramos, o Rekord-Viper (ou Viper-Rekord?) pesa 1.210 kg – 280 kg a menos que o Viper, que tem 1.490 kg na balança.

É realmente uma pena que não existam mais detalhes disponíveis a respeito do carro. Por outro lado, há um belo prêmio de consolação: ele apareceu em um programa da TV alemã com Sabine Schmitz – sim, a Sra. Nürburgring.

No quadro, o Rekord-Viper participa de um comparativo com o BMW M5 Touring da geração E60 – uma bela perua com motor V10 de cinco litros e 510 cv. E dá para ver que a violência natural do Dodge Viper se manteve inalterada – mesmo com 100 cv a menos que o BMW, o “Rekord” dá a ele bastante trabalho.

Matérias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre o novo programa de Jeremy Clarkson, Richard Hammond e James May

Dalmo Hernandes

Line-X: o impermeabilizante para caçambas de picape que torna qualquer superfície (quase) indestrutível

Dalmo Hernandes

Este Honda Civic 1979 restomod com motor K20 de 240 cv é nosso novo sonho de consumo

Dalmo Hernandes