Edição diária: 20/06/2019
FlatOut!
Image default
Car Culture

O primeiro carro a usar touch screen  foi um Buick Riviera… nos anos 80!

Em poucos anos, as telas sensíveis ao toque passaram de exclusividade dos carros de luxo a item comum em veículos populares — ao ponto de, em certos casos, acharmos o interior de um carro sem touch screen esteticamente estranho. Mas qual foi o primeiro carro a usar uma tela sensível ao toque? A resposta, ao contrário do que você possa imaginar, não está na tecnologia japonesa, e sim nos EUA. Mais precisamente, no Buick Riviera.

Em 1986, o Riviera chegava a sua sétima geração. Já não tinha cara de mau como o primeiro Riviera, e a tração era dianteira desde 1979, quando a sexta geração foi lançada. O então novo Riviera era mais arredondado, um grande cupê de luxo com três volumes bem definidos e um V6 de 170 cv debaixo do capô. Você lembra dele?

buick-ts (3)

Aposto que não. E há uma boa razão para isso: o carro não vendeu muito bem ao longo dos oito anos em que esteve em produção  — o motor V6 transversal, o estilo genérico (algo que assombrou boa parte dos carros americanos da época), a falta de um V8 e o declínio do segmento dos cupês de luxo fizeram do Riviera de sétima geração um carro pouco memorável.

Contudo, o Buick Riviera 1986 foi o responsável por uma grande contribuição para a indústria automotiva: ele foi o primeiro carro do mundo a trazer uma tela sensível ao toque no painel — um sistema chamado Graphic Control Center, ou GCC.

Ela era muito diferente do que se vê hoje no Chevrolet Onix, por exemplo: era apenas um monitor CRT (como a TV de “tubão” abandonada em algum canto da sua casa) monocromático de nove polegadas que servia para controlar o rádio e o sistema de ar-condicionado.

buick-ts (4)

Além disso, ele também exibia diagnósticos dos vários sistemas eletrônicos da época (no fim dos anos 80, a maioria dos os fabricantes resolveu abarrotar seus modelos com eletrônica), um calendário (uau!), computador de bordo e alerta de excesso de velocidade — configurado pelo motorista.

O pioneirismo nas telas sensíveis ao toque, porém, é frequentemente atribuído ao Buick Reatta — um cupê de visual um pouco (só um pouco) mais descolado que o do Riviera, seu companheiro de estábulo. O Reatta foi lançado em 1988, e usava exatamente o mesmo motor V6 do Riviera, acoplado a um câmbio automático de quatro marchas. E, apesar de ter a mesma mecânica e ser mais pesado do que o Riviera, o Reatta era considerado um cupê “esportivo” — e talvez, por isso, seja mais lembrado como o primeiro carro com touch screen, ainda que a tenha oferecido apenas em 1988 e 1989, os dois primeiros dos quatro anos em que esteve em produção. No Reatta, o sistema se chamava Electronic Control Center, ou ECC.

1988 Buick Reatta

A Buick abandonou totalmente o sistema em 1990, depois que boa parte do público considerou a tela uma distração desnecessária e perigosa, além de complicada demais. A partir dali, os dois modelos adotaram interfaces convencionais, com botões físicos. Hoje em dia, contudo, há uma espécie de fetiche pela touch screen dos Buick: existem vários vídeos no YouTube demonstrando o sistema, e sempre é possível encontrar uma à venda no eBay,  e custam entre US$ 300 e US$ 1.000, dependendo do estado de conservação e funcionamento.

Ainda que muitos entusiastas hoje rejeitem telas sensíveis ao toque nos painéis dos carros modernos, é certo que, em um futuro próximo, elas serão onipresentes até nos modelos mais baratos — permitindo que você tenha acesso a vários parâmetros do seu carro a um toque de tela. E tudo isso, graças a um cupê americano careta dos anos 1980.

ts

Matérias relacionadas

Mopar Nationals 2015 em Águas de Lindóia: mega galeria!

Juliano Barata

Mustang, corcel, pinto e bronco: conheça os cavalos que batizam os carros da Ford

Leonardo Contesini

Super Máquina: a história do KITT, o Pontiac Trans Am de Knight Rider

Dalmo Hernandes