A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Os carros de Kobe Bryant: a bela garagem do ídolo dos Lakers

O basquete nos EUA é tão grande quanto o futebol nos Brasil – e, na verdade, dos anos 2000 para cá a popularidade do esporte cresceu bastante por aqui, talvez por conta da democratização da Internet e dos canais de TV por assinatura. E foi por isso que a morte repentina e trágica de Kobe Bryant, lenda dos Los Angeles Lakers, causou tanta comoção.

Na manhã de ontem (26), Bryant estava a bordo de um helicóptero Sikorsky S-76 de sua propriedade, com nove ocupantes dentro dele – incluindo Kobe e sua filha Gianna, de 13 anos. As circunstâncias que levaram ao acidente ainda não são totalmente conhecidas, mas sabe-se que na manhã de ontem (26) uma neblina muito forte pairava sobre sobre a cidade de Calabasas, na California.

Às 9h30 da manhã o piloto avisou a torre de controle do aeroporto John Wayne, na Califórnia, sobre problemas técnicos no helicóptero. Às 9h45 a aeronave ganhou altitude repentinamente e bateu em uma montanha a quase 300 km/h. Nenhum dos ocupantes sobreviveu. Kobe Bryant tinha 41 anos de idade, 20 deles vividos com uma camisa dos Lakers.

Como bem observou o comentarista de basquete Rodrigo Alves em sua coluna no G1, Kobe foi o primeiro grande ídolo de massa da NBA na era da Internet, e o responsável por introduzir muitos jovens ao basquetebol no começo do século 21. Ajuda o fato de ele ser extremamente talentoso na posição de ala-armador dos Lakers, que são um dos times com mais tradição e sucesso na liga nacional americana. Bryant percorreu todos os 20 anos de sua carreira defendendo a equipe de LA.

Seus números eram excelentes, e a imprensa especializada o chamava tanto de “um dos melhores jogadores de sua geração” quanto de “um dos jogadores mais completos de todos os tempos”. Em 2014, dois anos antes de se aposentar, Kobe tornou-se o primeiro jogador da NBA a marcar mais de 30.000 pontos e 6.000 assistências – pelo mesmo time, diga-se. Em seu último jogo, em 3 de fevereiro de 2016, Kobe marcou 14 dos 18 pontos dos Lakers e encerrou uma sequência terrível de dez derrotas. Ele saiu por cima.

Mas nós estamos aqui para falar dos carros de Kobe Bryant – celebrando os veículos que ele curtia em vida. Uma bela coleção, aliás.

Embora alguns modelos fossem típicos de um esportista americano bem sucedido – como o praticamente obrigatório Cadillac Escalade, muito usado por Bryant como daily driver – havia alguns modelos exóticos e verdadeiramente entusiastas.

 

Ferrari

É provável que, entre as fabricantes de esportivos, a Ferrari fosse a favorita de Kobe Bryant – ele passou parte de sua vida morando na Itália e, não adianta: o cavallino rampante tem muita força por lá. Kobe teve alguns modelos diferentes, sendo que os mais recentes foram a 458 Spider – a primeira e mais “pura” de todas, com o V8 naturalmente aspirado de 4,5 litros e 578 cv girando mais de 9.000 rpm acoplado a uma caixa de dupla embreagem e sete marchas. Nada de sobrealimentação aqui. E Kobe optou pela combinação clássica de Rosso Corsa com interior caramelo.

Dizem, porém, que Bryant ainda preferia a antecessora da 458, a 360 – há ao menos uma foto do jogador ao lado de uma 360 Modena cupê preta.

Em julho de 2016, meses depois de se aposentar, Bryant foi visitar a sede da Ferrari em Maranello e tirou algumas fotos com os carros – aproveitando também para dar um passeio na pista de Fiorano ao volante da Ferrari FXX K.

 

Lamborghini

Kobe não escolhia lados – ele era fã da Ferrari, mas também tinha alguns Lamborghini. Na virada da década de 2000 o ala-armador era dono de um Murciélago amarelo do qual existem pouquíssimos registros fora o screenshot de um vídeo antigo e uma capa da revista DUB – a cara do tuning anos 2000, embora o carro de Kobe fosse até discreto, quase totalmente stock, e mantivesse o V12 de 6,2 litros e 580 cv.

Mais recentemente, Kobe adquiriu para si um Lamborghini Aventador, o sucessor do Murciélago – um exemplar preto fosco da primeira leva, com um V12 de 6,5 litros e 700 cv.

 

Bentley Azure

Kobe Bryant tinha uma predileção especial pelos Bentley quando se tratava de carros de luxo – já no começo dos anos 2000 ele comprou um Bentley Azure, conversível feito com base no Continental R e dotado do mesmo V8 sobrealimentado de 6,75 litros.

O carro apareceu na mesma matéria na qual Kobe mostrava seu Murciélago – e, olhando o visual clássico e conservador do Bentley, é até curioso pensar como ambos pertenciam à mesma época.

 

Pontiac Parisienne

Você talvez tenha visto este carro sendo referido como “o Chevrolet Impala 1964” de Kobe Bryant, mas não é este o caso: trata-se, sim, de um GM da época – mas um Pontiac Parisienne, e não um Impala. O carro foi feito originalmente para Snoop Dogg e, além de receber suspensão pneumática como bom lowrider, o conversível também foi todo decorado com a temática dos Lakers, incluindo pintura amarela, capota roxa e o time aerografado no capô.

Quando Kobe deixou as quadras, Snoop – que era amigo do jogador – decidiu dar a ele o Pontiac como presente de aposentadoria. E documentou a entrega no Instagram.

 

Chevrolet Impala 1963

Isto não quer dizer que Kobe não tivesse um Impala lowrider – na verdade, o carro também foi um presente. Mas quem lhe deu foi sua esposa, Vanessa Bryant, no aniversário do jogador em 2006. O carro tinha pintura azul marinho com a capota combinando e interior em couro branco (decorado com cristais Swarovsky legítimos). A única modificação estética era mesmo a suspensão pneumática, acompanhada de um jogo de rodas wire-mesh Dayton de 13 polegadas, calçadas com pneus 155/80 Reliant Super Ride.

Por baixo do capô, o motor V8 de 5,35 litros ganhou cabeçotes Edelbrock e componentes em billet de aço. Já o porta-malas era equipado com um sistema de som Sony. A restauração foi toda feita sob encomenda de Vanessa Bryant e, uma vez concluído, o carro foi capa da revista Lowrider em 2007.

 

Jeep Wrangler CoD Edition

Arredondando a seleção de carros americanos de Kobe Bryant, o jogador de basquete tinha um Jeep Wrangler Call of Duty Edition, inspirado pela franquia de jogos de tiro em primeira pessoa – e, não por acaso, o Jeep era outro de seus daily drivers favoritos. Com carroceria de duas portas, visual clássico e motor V6 3.6 Pentastar, o Wrangler CoD Edition dispunha de 289 cv e 36 kgfm de torque, levado para as quatro rodas através de um sistema de tração integral com reduzida. Esteticamente ele tinha pintura preto fosco e decalques inspirados pelo jogo.

Matérias relacionadas

Farol alto, baixo, de milha e neblina: você sabe como usar as luzes do seu carro do jeito certo?

Leonardo Contesini

“Um dia irei a Montlhéry de carro antigo”

Leonardo Contesini

Wishlist Flatout: Os melhores presentes para um entusiasta no Natal – Parte 1

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados