A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Top

Os carros mais legais para comprar gastando entre R$ 35 mil e R$ 45 mil

Perguntamos a nossos leitores que carros eles comprariam gastando entre R$ 35 mil e R$ 40 mil. Um deles disse que esta é a “faixa de preço favorita dos entusiastas”. Será que é isto mesmo? Confira na lista que montamos a partir das sugestões de vocês!

Honda Civic Si

2009 Honda Civic Si Sedan

A aceitação do Civic Si como um dos melhores esportivos já fabricados no Brasil é quase unânime entre os entusiastas. Ele já foi o nacional mais potente do mercado, com seu motor K20 de dois litros, 16 válvulas, comando variável i-VTEC e 192 cv a 7.800 rpm. Some a isto o comportamento dinâmico impecável para um carro de tração dianteira, o corte de giro a 8.400 rpm, o belo ronco e a mecânica confiável e você tem um belo jeito de gastar R$ 45 mil.

Volkswagen Jetta Variant

top-35-45 (5)

Até pouco tempo atrás a Volkswagen oferecia em sua linha uma perua com motor 2.5 de cinco cilindros e 170 cv, com câmbio Tiptronic de seis marchas — o carro perfeito para levar a família com estilo e conforto. Existem alguns exemplares com o mesmo motor e 150 cv (a VW aumentou a potência com uma reprogramação da ECU e pequenas alterações), mas estes são raros. Com R$ 45 mil é possível comprar um Jetta Variant anterior à reestilização de 2010, que deixou o carro parecido com o Golf de sexta geração.

Fiat Punto T-Jet

top-35-45 (6)

Um dos responsáveis pelo revival dos hot hatches turbinados, o Punto T-Jet pode ter perfumaria demais para o gosto de alguns, mas é inegável o potencial para diversão de seu motor 1.4 16v turbinado de 152 cv. É possível encontrar exemplares de 2009, ano do lançamento, bem conservados e pouco rodados, na faixa dos R$ 38 mil. Ou você pode esperar pelo 500 Abarth…

BMW 120i

top-35-45 (2)

Com muita, muita paciência (e um pouco de insistência), dá para encontrar um BMW 120i usado por R$ 45 mil. Primeira versão do Série 1 a ser oferecida no Brasil, em 2005, o 120i traz motor 2.0 16v de 150 cv.. Apesar de não ser um modelo esportivo, o desempenho satisfaz — 0 a 100 km/h em pouco mais de 9 segundos e máxima de 213 km/h e tração traseira garantem diversão em um hatch tão bem equipado como um Série 3.

Mazda MX-5 Miata

top-35-45 (12)

Para quem quer um carro compacto, de tração traseira e a céu aberto, o aniversariante Mazda MX-5 pode ser uma opção. Importado oficialmente para o Brasil nos anos 90, o roadster japonês é raro e quase estoura nosso limite de orçamento. Além disso, as peças não são muito fáceis de encontrar, o que pode exigir que você traga componentes de fora. Por sorte, não faltam peças para ele nos EUA. Se você tem bala na agulha e contatos no exterior, vá em frente e nos chame para dar uma volta!

Volkswagen Golf GTI

top-35-45 (8)

A sétima geração do Golf, lançada no Brasil no segundo semestre de 2013, pode estar anos-luz à frente, mas o modelo anterior ainda tem seus admiradores. A última leva, conhecida como “Golf 4,5”, passou do ponto, mas retinha a boa dirigibilidade, espaço interno e qualidade de acabamento que fez da quarta geração do Golf um sucesso nacional e mundial. Em 2007, foi lançado o derradeiro Golf GTI nacional, com motor 1.8 20v com turbo e intercooler capaz de desenvolver 193 cv quando abastecido com gasolina de alta octanagem, acoplado a um câmbio manual de cinco marchas (ou transmissão Tiptronic, também de cinco marchas, opcional). O visual por dentro e por fora estava cansado, mas o desempenho agradava: o a 100 km/h em 7,8 segundos e máxima de 228 km/h. Era um carro caro na época, custando R$ 91.500, mas hoje pode ser encontrado por menos da metade deste valor.

Suzuki SX4

top-35-45 (11)

O SX4 é um hatch feito pela Suzuki em parceria com a Fiat (que o vende na Europa como Sedici). Ele tem tração integral, suspensão elevada e porte robusto, e por isso há quem prefira chamá-lo de crossover. Classificações à parte, o SX4 tem competência para enfrentar piso ruim, é relativamente bem equipado e tem motor 2.0 16v de 135 cv. O sistema de tração integral é adaptativo, e pode-se até mesmo direcionar 100% do torque para as rodas dianteiras. Lançado em 2009 no Brasil, o SX4 pode ser encontrado por cerca de R$ 40 mil no mercado de usados.

Peugeot 206 CC

top-35-45 (9)

Como o próprio nome denuncia o 206 CC (Coupé Cabriolet) é meio cupê, meio conversível. O teto rígido de aço tem um prático sistema de acionamento automático e possibilita que você viaje a céu aberto em um carro que, mecanicamente, é idêntico ao 206 hatch com motor 1.6 16v — o que significa que ele tem 110 cv. Acelerando de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos, com máxima de 193 km/h, ele não é exatamente rápido, mas tem um visual interessante e é um dos conversíveis mais acessíveis do mercado.

Subaru WRX

3583hero

E se disséssemos que, com R$ 40 mil, já dá para entrar no mundo dos carros turbinados de tração integral? Com esta grana, você consegue um Subaru Impreza WRX bug eye — aquele, com faróis redondos. O boxer 2.0 entrega 218 cv a 5.600 rpm e 29,8 mkgf de torque a 3.600 rpm, o câmbio é manual de cinco marchas, e o conjunto acelera de 0 a 100 km/h abaixo dos 7 segundos, com máxima beliscando os 230 km/h — tudo isto com estabilidade de sobra. Com sorte, você ainda acha a versão perua.

Audi S3

top-35-45 (7)

O Audi A3 de primeira geração, mesmo na versão aspirada, já é um carro bacana. Imagine, então, do que o S3 é capaz. O “S” significa que o hatch é um esportivo com motor 1.8 turbo de 20 válvulas — como o do Golf GTI, mas com um turbocompressor mais capaz, dois intercoolers e 225 cv, acoplado à transmissão manual de seis marchas. O sistema quattro de tração integral garante toda a aderência necessária enquanto se alcança os 100 km/h em 6,6 segundos com máxima de 243 km/h. Um S3 2003 custa cerca de R$ 40 mil e, se você procurar bem, poderá encontrá-lo neste belo tom de amarelo.

Matérias relacionadas

Essa festa universitária cheia de gatas é na verdade um enorme encontro de Ladas

Dalmo Hernandes

Isto é o que acontece quando você dirige no acostamento

Leonardo Contesini

GT4586: é assim que se coloca o V8 da Ferrari 458 em um Toyota GT86

Dalmo Hernandes