Edição diária: 17/06/2019
FlatOut!
Image default
Top

Os carros mais legais que você pode comprar gastando entre R$ 20 mil e R$ 25 mil – Parte 2

Se você acompanha o site há algum tempo, já deve ter visto nosso guia de compra para carros de várias faixas de preço. Pois a gente está refazendo tudo, levando em conta que já se passaram quase dois anos desde a primeira vez e que alguns carros mudaram de valor, enquanto outros se tornaram opções interessantes.

Na semana passada, perguntamos quais eram os carros mais bacanas que um entusiasta pode comprar com algo entre R$ 20 mil e R$ 25 mil, e pouco depois fizemos a primeira parte da lista com as respostas. Agora, chegou a hora de conferir quais foram os outros nomes sugeridos por vocês!

 

Ford Ka (segunda geração)

20-25-parte-2 (13)

Não é só o Ka 1.6 de primeira geração que empolga, não. Em 2008, a Ford brasileira desenvolveu a segunda geração, desenvolvida especialmente para o mercado brasileiro, que resolvia um dos maiores problemas do Ka para ser aceito pelo grande público: agora, ele levava cinco pessoas e podia servir como único carro da família.

Ele também ficou maior e mais pesado: se o primeiro Ka pesava 930 kg, a segunda geração pesa 970 kg. Dito isto, a plataforma é a mesma e o entre-eixos, apenas meio centímetro mais longo. Sendo assim, o comportamento dinâmico de ambos é bem parecido.

O maior ganho está no motor 1.6, disponível desde o lançamento da segunda geração, que passou a entregar 107 cv queimando etanol e era capaz de levar o carro até os 100 km/h em 11 segundos, com máxima de 180 km/h. Se quiser um carro mais invocado, pode procurar um Ka Sport, versão com visual esportivo (tinha até faixas imitando o Ford Mustang) vendida entre 2011 e 2012. Além do desempenho, tinha boa oferta de equipamentos: ar-condicionado, direção assistida, rodas de 15 polegadas e vidros elétricos eram de série, e airbags frontais eram opcionais.

20-25-parte-2 (14)

Apesar da aparência demasiadamente chamativa para alguns, o Ka Sport foi um carro honesto em sua proposta, e merece a atenção de quem quer um hatch divertido e relativamente novo sem gastar muito: um exemplar pouco rodado (menos de 50 mil km) já custa entre R$ 24 mil e R$ 25 mil. Se não fizer questão do Sport, o Ka 1.6 “normal”, fabricado a partir de 2008, já é encontrado na casa dos R$ 20 mil.

 

Fiat Coupé

20-25-parte-2

Como o Chevrolet Calibra, o Fiat Coupé foi um cupê (é mesmo?) esportivo importado na década de 1990. Lançado em 1993 na Itália, ele foi importado para o Brasil em 1995 e 1996, e cerca de 1.500 unidades vendidas. A versão era única, equipada com um motor 2.0 16v de 137 cv, igual àquele usado pelo Tipo Sedicivalvole. Aliás, o Coupé foi feito sobre a mesma plataforma do Tipo e do Tempra — novamente como o Calibra, que dividia sua plataforma com o Chevrolet Vectra.

20-25-parte-2 (2)

Por cerca de R$ 25 mil (a faixa que melhor equilibra estado de conservação e preço acessível), você leva para casa um 2+2 com suspensão independente nas quatro rodas, faróis com projetores e desenho assinado pela Pininfarina. Só tenha cuidado: como é regra entre os cupês importados nos anos 1990, procure um carro bonito, com todos os acabamentos no lugar, pois coisas como faróis, lanternas e vidros podem sair bem caro na hora da substituição. Ah, depois de comprar, faça o favor de não colocar emblemas da Ferrari no seu Fiat Coupé novo, combinado?

 

Peugeot 307

20-25-parte-2 (3)

Quer um hatch médio competente, bem acertado, bonito e que fuja dos clichês? Pode procurar um Peugeot 307. O carro foi lançado em 2001 na Europa e começou a ser vendido no Brasil em 2002, saindo de linha em 2011 — um longo período, após o qual foi substituído pelo 308.

20-25-parte-2 (4)

Estamos falando de um carro espaçoso, bonito (apesar do jeitão de minivan) e bem acabado em todas as versões — sendo os exemplares mais antigos, com motor 1.6 16v de 110 cv já estão na casa dos R$ 15 mil. No entanto, com nosso orçamento fictício, já é possível partir para um modelo mais novo, melhor equipado e potente: um 307 pós-2006 Feline, já reestilizado, com motor 2.0 16v de 138 cv (o suficiente para acelerar até os 100 km/h em 9,8 segundos com máxima de 205 km/h) custa pouco mais de R$ 20 mil e oferece freios ABS, airbags e assistências eletrônicas como auxílio de frenagem. Só tenha em mente que, sendo um carro francês, certos componentes podem dar um pouco de trabalho para serem conseguidos, mas nada que um bom canal de peças não resolva.

 

Chevrolet S10

20-25-parte-2 (5)

Da mesma forma que a Ranger entrou na primeira parte desta lista, a rival da Chevrolet também é uma ótima opção para quem quer uma picape média leve e acessível que, com o tratamento certo, pode até ser divertida: a Chevrolet S10 de primeira geração. Vendida de 1995 a 2012, a picape conta com várias versões de motorização e carroceria de cabine simples, dupla ou estendida, com um preço que varia bastante — os exemplares mais recentes podem custar até R$ 70 mil.

20-25-parte-2 (6)

No entanto, dentro do nosso orçamento fictício, você já consegue encontrar exemplares com motor quatro-cilindros (o onipresente Família II) de 2,2 litros e 113 cv, ou 2,4 litros e 128 cv — bons para quem não quer gastar tanto e não faz questão de desempenho. Se quiser algo mais potente, pode arriscar a compra de uma S10 com motor V6 4.3 de 180 cv — mas se prepare para deixar bem mais dinheiro no posto de combustível com o consumo de menos de 7 km/l na cidade e 10 km/l na estrada.

 

Chevrolet Vectra GT

20-25-parte-2 (7)

Que a teceira geração do Chevrolet Vectra, vendida no Brasil entre 2005 e 2011, era na verdade o Opel Astra europeiu rebatizado, você já deve saber. Agora, ainda que isto tenha prejudicado um pouco o nível de acabamento em relação ao idolatrado Vectra B, e que seu design não seja tão marcante, isto não significa que ele seja uma opção menos interessante na faixa dos R$ 25 mil.

20-25-parte-2 (8)

Por esta grana, você consegue levar para casa um Vectra GT, lançado em 2007. É um hatchback bem atraente (para muitos, mais bonito que o sedã) e equipado com motor 2.0 de 128 cv que, se não era exatamente esportivo, também não desagradava tanto pelo desempenho. Além disso, possui boa oferta de equipamentos — airbag duplo frontal, rodas de 16 polegadas, trio elétrico, direção assistida e ar-condicionado automático vêm de série. Cerca de R$ 25 mil (ou pouco menos) já te compram um Vectra GT com menos de 80 mil km rodados. Com sorte, você encontra até um GT-X, que tinha o mesmo motor mas vem com rodas de 17 polegadas, som com MP3 e comandos no volante, bancos de couro e freios ABS de série.

 

 

Ford Focus (motor Duratec)

20-25-parte-2 (10)

O Ford Focus foi nossa sugestão em uma lista anterior, mas aparece aqui de novo. Se R$ 20 mil te compravam um Focus de primeira geração com motor RoCam de 1,6 litro e 103 cv; Zetec de 1,8 litro e 115 cv ou 2.0 de 130 cv, com um pouco mais de folga no orçamento já dá para pensar em um exemplar fabricado depois de 2005.

20-25-parte-2 (9)

A principal diferença, além de uma leve reestilização, foi a chegada do motor 2.0 Duratec, com 147 cv na versão com câmbio manual (que é a que você quer!) e 140 cv com câmbio automático. As qualidades que fazem de qualquer Focus uma boa compra (visual bacanudo, boa dirigibilidade e acabamento exemplar) continuam presentes, com um motor mais potente e robusto. Precisa mais?

 

Mercedes-Benz C180

20-25-parte-2 (12)

Assim como o BMW Série 3 E36 na primeira parte desta lista, o Mercedes-Benz Classe C da geração W202, importada para o Brasil em meados da década de 1990, pode ser a porta de entrada para a estrela de três pontas. Por em média R$ 24 mil, você compra um sedã bastante elegante, com tração traseira e um motor quatro-cilindro com comando duplo no cabeçote e 122 cv.

20-25-parte-2 (11)

Você terá sorte se encontrar um exemplar com câmbio manual, pois a maioria vinha equipada com uma caixa automática de quatro marchas, e mais sorte ainda se achar um C180 com menos de 100 mil km rodados. Dito isto, a mecânica é bastante robusta, caso tenha sido bem cuidada — outro desafio, visto que trata-se de um carro que desvalorizou bastante. Aquele toque básico que a gente sempre dá vale aqui também: procure um carro de procedência e lembre-se que, apesar do preço de popular semi-novo, a manutenção ainda é a de um sedã alemão. Por sorte, a Mercedes-Benz é bastante generosa na oferta de peças novas de reposição. Elas só não são muito baratas.

 

Ford Escort XR3

20-25-parte-2 (1)

A situação do XR3, desejada versão esportiva do Ford Escort, é a mesma do Kadett GSi: você até vai encontrar exemplares baratos, custando menos de R$ 10 mil, mas estes só servem se você estiver disposto a levantá-lo por conta própria (ainda que a mecânica até possa estar boa).

20-25-parte-2 (3)

Caso queira um carro impecável, só para curtir, prepare-se para gastar mais de R$ 20 mil. Meio triste, mas verdadeiro. Como costuma ser o caso com clássicos de mais de 20 anos de idade, este valor depende mais do estado de conservação do que do ano de fabricação.

20-25-parte-2 (2)

Sendo assim, tanto os exemplares mais antigos, da década de 1980, com motor CHT 1.6 de 83 cv; como os pós 1991, já reestilizados e equipados com motor AP 1.8 de origem VW e 97 cv; e até mesmo os da geração seguinte, com visual bem mais moderno e motor AP 2.0 de 116 cv, podem ser encontrados por algo entre R$ 20 mil e R$ 25 mill. Com sorte, você até descola um conversível!

Matérias relacionadas

Mansory: a história e os carros da customizadora mais “exagerada” do mundo

Dalmo Hernandes

Os componentes automotivos mais bonitos que existem

Dalmo Hernandes

As categorias monomarca mais legais do automobilismo – parte 2

Dalmo Hernandes