A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

Os carros mais sensacionais da ficção científica – parte 2

Há alguns dias, inspirados pelo DeLorean DMC-12 de “De Volta para o Futuro”, fizemos uma lista com os carros mais sensacionais da ficção científica. No final, pedimos algumas sugestões a vocês, leitores, para uma continuação. Ei-la aqui – com direito a algumas sugestões da casa, também!

 

Lexus 2054 em “Minority Report – A Nova Lei” (Minority Report, 2002)

lexus_2054_minority_report_concept_1

Sugerido por: achsanos

Nos moldes do Audi RSQ de “Eu, Robô”, a Lexus projetou o conceito 2054 especialmente para o aclamado sci-fi de Steven Spielberg. Foi o diretor, que na época dirigia um Lexus, quem entrou em contato com a fabricante para encomendar o projeto.

lexus_2054_minority_report_concept_4 lexus_2054_minority_report_concept_2

“Minority Report” conta a história de um futuro no qual assassinos são presos em uma realidade virtual antes de cometerem seus crimes, graças a três humanos mutantes capazes de ter visões do futuro. Os criminosos em potencial são detidos por um departamento da polícia chamado PreCrime, do qual o oficial John Anderton (Tom Cruise) é o chefe.

O clímax do filme envolve uma cena de perseguição com o Lexus 2054, que tem sistemas de segurança com leitura biométrica, estrutura resistente contra deformações em acidentes e motor movido a célula de combustível de hidrogênio. Ele também aceita comandos de voz, escolhe músicas que combinam com o humor dos ocupantes e pode ser dirigido de forma autônoma.

i014199

Agora, uma curiosidade: além do papel de destaque em “Minority Report”, o Lexus 2054 apareceu em outro filme de ficção científica – “A Ilha” (The Island, 2004), dirigido (o filme, não o carro) por Michael Bay –, desta vez pintado de azul, não de vermelho.

 

General Motors Ultralite em “O Demolidor” (Demolition Man, 1993)

ultralite

Sugerido por: arth_sr

A ideia de usar carros conceitos reais em filmes não é tão nova assim. O filme de ação distópico-científica “O Demolidor”, com Wesley Snipes e Sylvester Stallone já fazia isso em 1993. O filme se passa em 1996, quando os dois são condenados a passar décadas congelados em uma prisão criogênica depois que Simon Phoenix (Snipes), um psicopata, sequestra algumas pessoas e as prende em um edifício abandonado e o policial John Spartan (Stallone) explode o lugar, matando 30 pessoas.

i003338

Em 2032, Phoenix é acordado para dar um depoimento e consegue escapar, e encontra um mundo onde o crime foi erradicado. Como a polícia do futuro não está acostumada a lidar com criminosos violentos, Spartan também é solto para detê-lo.

O carro usado por Stallone nas perseguições é o conceito General Motors Ultralite, apresentado pela GM em 1992 como uma proposta para um veículo de baixas emissões de poluentes construído com materiais avançados, dotado de condução autônoma e espuma para proteger os ocupantes. A carroceria é de fibra de carbono e pesa apenas 191 kg, sendo que o peso total do carro é de 635 kg. O motor é um dois-tempos de três cilindros, 1,5 litro e 111 cv, capaz de levar o carro até os 100 km/h em menos de oito segundos, com máxima de 135 km/h.

 

Durango 95 em “Laranja Mecânica” (A Clockwork Orange, 1971)

Só por precaução, o táxi voador de Spanner (que é, naturalmente, pintado como um tradicional yellow cab) é resistente a tiros, possui um modo autônomo e tem um sistema de detecção de ataques. Exatamente o que um taxista precisa para levar passageiros (que podem incluir um Ser Supremo do Universo) pelos céus de Nova York.

 

Dodge M4S em “A Aparição” (The Wraith, 1986)

dodge_m4s_turbo_interceptor_pace_car_concept

Sugerido por: Militão Jarbas

Outro conceito usado no cinema, o Dodge M4S Turbo Interceptor foi apresentado em 1984 pela fabricante americana. Projetado pelo então chefe do departamento de design da Dodge, Bob Ackerman, o M4S tinha um quatro-cilindros turbo de 2,2 litros capaz de entregar nada menos que 440 cv, e era capaz de chegar aos 100 km/h em 4,1 segundos, com máxima de 313 km/h.

No filme, uma luz brilhante desce no céu noturno da cidade de Brooks, Arizona, trazendo consigo o Dodge M4S, com um piloto todo vestido de negro ao volante. A misteriosa figura, então, dedica-se a deter uma gangue de pilotos de rua. Mais tarde, descobre-se que o piloto é um adolescente que, tempos antes, foi assassinado pelo líder da gangue, e volta do mundo dos mortos em busca de vingança.

 

Ford LTD Crown Victoria em “MIB: Homens de Preto” (Men in Black, 1997)

Men in Black

Sugerido por: Magritte

À primeira vista, o carro do Agente K (Tommy Lee Jones) parece só um Crown Vic velho – o Agente J (Will Smith) faz questão de tirar um sarrinho na primeira vez em que encontra o carro, que é equipado com um misterioso botãozinho vermelho.

Então, ao se deparar com um congestionamento em um túnel, o Agente K diz para o Agente J apertar o tal botãozinho vermelho e colocar o cinto de segurança, pois ele vai precisar. J fica sem entender o motivo e, quando o carro se transforma em uma super máquina com turbinas traseiras, diversos aparatos tecnológicos e a capacidade de andar no teto do túnel, ele finalmente descobre que deveria ter levado o velho Crown Vic a sério.

Em 2002, o Ford é substituído por um Mercedes-Benz E500 W211, que o Agente J recebe quando o Agente K se aposenta.

Matérias relacionadas

Lamborghini Countach: dez coisas que fazem dele um dos supercarros mais fodásticos de todos os tempos

Dalmo Hernandes

Light Weight Specials: as versões de baixo peso mais legais de todos os tempos – Parte 2

Dalmo Hernandes

As versões mais incríveis e raras que o Dodge Dart já teve

Dalmo Hernandes