A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os carros mais vendidos em fevereiro, Toyota Hilux GR Sport ganha V6 de 234 cv, o Alfa Romeo de carbono da Alfaholics e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos em fevereiro

Mais um mês encerrado, mais um mês com o Chevrolet Onix na liderança, mais um mês com essa introdução à nota dos mais vendidos. Mesmo com o Carnaval, as chuvas e tudo mais, o hatchback vendeu 17.652 unidades no mês mais curto do ano. A contagem, é importante observar, inclui as duas gerações do modelo: a antiga, atualmente chamada Joy e a nova, que tem feito sucesso com seus preços atrativos da versão de entrada com motor turbo.

Já o Onix Plus, que ultrapassou Hyundai HB20 e Ford Ka por fora e tomou a vice-liderança do mercado — e sem a ajuda da geração anterior, também alavancado pela atratividade dos preços com o motor 1.0 turbo, inferiores à concorrência direta. Foram 9.123 unidades — 721 a mais que o terceiro colocado, o Hyundai HB20, que se recuperou do deslize dos meses anteriores e emplacou 8.402 unidades em fevereiro. O modelo estava com descontos nas unidades 2019/2020, o que pode ter ajudado nesta retomada das vendas. Na quarta posição permanece o Ford Ka, sempre pairando na região das 8.000-8.500 unidades — foram 8.183 em fevereiro.

Com 2.239 unidades a menos que o Ford Ka, aparece o Volkswagen Gol na quinta colocação. O modelo que andou meio sumido do configurador da Volkswagen nos últimos dias, vendeu 5.944 unidades em fevereiro e continua como o best-seller da marca alemã. E ele só superou o Fiat Argo por uma diferença de 27 unidades: o hatch da Fiat emplacou 5.917 unidades em fevereiro.

O sétimo colocado foi o Renault Kwid, que literalmente despencou da terceira colocação de janeiro, mesmo sem o Fiat Mobi para incomodá-lo na posição de carro mais barato do Brasil. Foram 5.813 unidades no mês passado. Ele é seguido pelo Volkswagen Polo, que, apesar de ter perdido a liderança da marca para o Gol, continua bem vendido, com 5.517 unidades que lhe garantiram a oitava posição do top 10 de fevereiro.

 

A tabela é fechada por dois crossovers: o Volkswagen T-Cross, que, não por acaso passou a figurar entre os mais vendidos depois do lançamento da versão Sense, destinada ao público PCD; e o Jeep Renegade, outro modelo muito beneficiado pelas isenções do segmento PCD. O T-Cross, vale observar, é o terceiro modelo da Volkswagen nesta lista dos mais vendidos. A marca alemã, embora não tenha mais a liderança do mercado desde 2014, é a única a emplacar três modelos entre os mais vendidos nos rankings mensais e tem potencial para terminar o ano desta forma, o que lhe coloca na disputa pela vice-liderança do mercado. (Leo Contesini)

 

Koenigsegg Jesko tentará o recorde de 500 km/h em até dois anos

Depois de apresentar o Koenigsegg Jesko Smirnoff Absolut, seu criador Christian von Koenigsegg falou com a imprensa sobre as tentativas de recorde de velocidade que fará com o carro. Apesar de inicialmente não ter mencionado a possibilidade, em uma entrevista ao Top Gear ele admitiu que a marca irá buscar o limite do Jesko, e que isso acontecerá em “um ou dois anos”.

Como dissemos no Zero a 300 de ontem, a Koenigsegg estima por simulações de computador que o Jesko Absolut é capaz de atingir os 500 km/h, porém precisa contornar a questão da resistência dos pneus e, acima de tudo, do espaço para atingir o recorde. “É um processo de novamente buscar as autoridades, as forças policiais, fechar uma boa estrada. Então deve levar um ano ou dois, por aí”, disse ao site britânico.

Atualmente, apesar de o Bugatti Chiron Super Sport 300+ ter atingido 490 km/h na pista de testes da Volkswagen em Ehra-Lessien, a velocidade não foi homologada como recorde porque não foi obtida pela média de dois sentidos como se deve. Portanto, o Koenigsegg Agera RS ainda é o detentor do recorde, com 447 km/h, atingidos por média de dois sentidos em uma rodovia do estado de Nevada, nos EUA, no final de 2017. (Leo Contesini)

 

FCA pode trazer 500 elétrico para o Brasil ainda em 2020

Nos últimos dias, ouvimos rumores a respeito do novo Fiat 500e ao Brasil ainda em 2020. De fato, durante um evento para investidores em fevereiro, o presidente da FCA na América Latina, Antonio Filosa, confirmou a chegada de um modelo elétrico no segundo semestre de 2020 – e admitiu que pode ser o 500e, ainda que sem confirmar de fato.

Com uma plataforma totalmente nova e um motor elétrico com potência equivalente a 118 cv, mais um conjunto de baterias que garante autonomia de até 320 km com uma carga, o 500e é um carro com foco urbano. Fala-se em preço na casa dos R$ 200.000 – um valor alto se comparado ao do Renault Zoe, por exemplo, que custa R$ 150.000 e é semelhante em porte e autonomia, embora seja menos potente (tem 88 cv). Na faixa prevista pela Fiat estão carros maiores e mais práticos, como o Chevrolet Bolt (R$ 209.900) e o Nissan Leaf (R$ 195.000) ou o modelo premium BMW i3.

Isto nos leva a considerar algumas coisas. Por enquanto, a Fiat só apresentou o 500e em sua versão especial de lançamento, La Prima, limitada a 500 unidades por € 37.500 (R$ 197.000 em conversão direta). Entretanto, não deve levar muito mais tempo para que as versões mais comuns – e mais baratas – sejam apresentadas. Como o Brasil isenta os modelos elétricos do Imposto de Importação e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), caso o 500e tenha uma versão de, digamos, € 30.000 (o que dá por volta de R$ 157.000 em conversão direta), ele pode chegar para se posicionar exatamente entre o Zoe e a dupla Leaf/Bolt, na faixa dos R$ 170.000. (Dalmo Hernandes)

 

Alfaholics mostra carroceria de fibra de carbono para o Alfa Romeo Giulia GTA-R

A Alfaholics, uma das preparadoras mais sensacionais de todos os tempos, acaba de mostrar sua última novidade para manter-se nesta posição: uma carroceria toda feita de fibra de carbono para o Alfa Romeo Giulia GTA-R.

A Alfaholics é especializada em restomods de pista para o clássico cupê da Alfa Romeo, com motores modernizados, suspensão toda refeita nos padrões modernos, com geometria e componentes sofisticadíssimos. E eles já ofereciam painéis avulsos feitos com o material – portas, capô e tampa do porta-malas. Agora, porém, é possível comprar uma carroceria inteira. Que, aliás, é belíssima.

Segundo a empresa, com isto elimina-se 70 kg do peso total em relação a uma carroceria de aço. Ou seja: se um Alfa Romeo GTA-R da Alfaholics pesa 830 kg, com a carroceria de fibra de carbono o número chega a esbeltos 770 kg – imagine um desses com o motor Twin Spark de 2,3 litros e 240 cv da Alfaholics… (Dalmo Hernandes)

 

Este é o novo Batmóvel

The Batman, novo filme do Cavaleiro das Trevas com Robert Pattinson no papel principal, estreará junho de 2021. E agora já sabemos como será o novo Batmóvel (que, afinal, é a parte que mais nos interessa): o diretor Matt Reeves decidiu divulgar algumas fotos do carro nesta semana.

E o que a gente tem? Um Batmóvel bem mais tradicional que o último – o Tumbler, da trilogia The Dark Knight de Christopher Nolan (2005-2012). Embora as fotos estejam escuras, notamos que se trata de um Batmóvel com perfil de muscle car, um motor V10 na traseira, carroceria baixa e linhas retrô.

As reações dos fãs na Internet foram variadas: alguns gostaram deste visual mais clássico, mas outros compararam o Batmóvel a um veículo de “Mad Max”, a um Hot Wheels, ou a um dos carros usados pelos personagens de “Velozes e Furiosos”, que há muito tempo não se limitam mais ao tuning de rua.

O que você achou do novo Batmóvel? (Dalmo Hernandes)

 

Toyota Hilux V6 GR Sport com motor V6 de 234 cv chega por R$ 205.000

Enfim, a Toyota lançou no Brasil a versão GR Sport V6 da Hilux, equipada com o mesmo motor a gasolina usado pelo Land Cruiser Prado. São quatro litros, 234 cv 5.200 rpm e 38,3 kgfm de torque a 3.800 rpm, acoplado a uma caixa automática de seis marchas com tração 4×4 e reduzida. A GR Sport, anteriormente, usava apenas o motor 2.8 turbodiesel de 177 cv e 45,9 kgfm de torque, ligado ao mesmo câmbio.

Com o novo conjunto, a Hilux GR Sport agora faz mais justiça à decoração inspirada nas picapes de competição, e torna-se a picape média mais potente à venda no Brasil, superando o 225 cv da Amarok V6. A Toyota não divulgou dados de aceleração e velocidade máxima, mas diz ter tornado a suspensão mais firme para adequá-la ao novo powertrain.

Custando R$ 204.950, a Hilux GR Sport V6 é bem equipada: a lista de itens de série inclui ar-condicionado digital automático com saída para o banco traseiro, direção hidráulica, faróis automáticos, banco do motorista com ajustes elétricos, sete airbags, cruise control, computador de bordo com tela de 4,2 polegadas, central multimídia com tela de 8 polegadas e TV digital, partida sem chave, câmera de ré, controles eletrônicos de tração e estabilidade, hill-holder e câmera no para-brisa (que deve ser interessante para gravar onboards acelerando em estradas de chão batido – ao menos é o que eu faria). (Dalmo Hernandes)

Matérias relacionadas

VW lança o novo Passat, Dodge Charger também poderá ter 717 cv, Kimi Raikkonen em um cortador de grama e mais!

Leonardo Contesini

Como funcionam os freios de carbono cerâmica – e como a Porsche quer torná-los acessíveis

Leonardo Contesini

Innocenti Mille e Elba: quando os Fiat brasileiros foram fabricados na Itália

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados