A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os carros mais vendidos em março de 2020, Alfa Romeo não terá novos GTA, Citroën prepara novo C3 para o Brasil e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos no Brasil em março de 2020

Nem mesmo uma pandemia global foi capaz de tirar a liderança ou mesmo baixar o volume de vendas do Chevrolet Onix. Apesar da quarentena nas últimas duas semanas do mês — que derrubou as vendas diárias de automóveis de 10.000 para menos de 1.000 —, o hatchback da Chevrolet (as duas gerações, Joy e Onix) emplacou 12.007 unidades e garantiu mais um mês à frente do mercado.

Já o Onix Plus teve seu desempenho mais afetado e perdeu a segunda posição, que voltou a ser ocupado pelo Ford Ka. O hatch da Ford vendeu menos que em fevereiro, mas suas 7.103 unidades foram suficientes para superar o sedã do Onix em março.

Quem também superou o sedã foi o Hyundai HB20, que rodou na contramão da queda e teve um volume de vendas maior que em fevereiro, com 7.042 unidades vendidas que o colocaram na terceira posição.

O Onix Plus aparece somente na quarta posição, com 6.670 unidades — cerca de 2.400 a menos que fevereiro. Além da quarentena, o reajuste nos preços da linha Onix/Joy pode ter afetado o desempenho do modelo, que ficou mais caro na versão de entrada, a mais vendida.

Na quinta posição ficou o Fiat Argo, outro modelo que vendeu mais em março do que em fevereiro. Das 5.354 unidades no mês anterior, ele saltou para 6.071 unidades em março e, com isso, ganhou quatro posições no ranking.

Logo após o Argo vem o VW Gol, estacionado na sexta posição com praticamente o mesmo volume de fevereiro. Foram 5.681 unidades em março e 5.944 unidades em fevereiro. Antes seguido pelo Polo, ele agora tem a Fiat Strada na cola, em sétimo, mantendo o posto de picape mais vendida no Brasil e ajudando a Fiat a engrossar seu volume anual com 4.799 unidades vendidas em março.

 

Nas duas posições seguintes, em oitavo e nono, há uma nova disputa de posições que promete ser acirrada como a briga do Ka com o HB20: Jeep Renegade e T-Cross, dois modelos amplamente beneficiados pelo segmento PCD, aparecem colados nas posições mais altas que atingiram até agora. O Jeep ficou em oitavo com 4.492 unidades e o T-Cross em nono com 4.417 unidades. A briga, contudo, deverá ficar ainda mais acirrada com a chegada do Chevrolet Tracker, que teve seu desempenho afetado pela quarentena e ficou apenas em 25º lugar combinando as duas gerações oferecidas nas lojas.

Fechando o top 10 temos o modelo que mais sofreu com a quarentena: o Renault Kwid, quarto colocado em fevereiro com 8.183 unidades, despencou para a décima posição com apenas 4.109 unidades — praticamente a metade do mês anterior.

Além dele, quem também teve uma queda drástica, porém menos que a do pequeno Renault com rodas de três parafusos, foi o Volkswagen Polo, antes na sétima posição, agora em 11º com 3.774 unidades vendidas em março.

A queda do Polo contudo, não parece afetar o desempenho da Volkswagen ao longo do ano. Apesar de não ter mais três modelos entre os dez mais vendidos, o Polo ficou de fora por uma diferença inferior a 10% em relação ao décimo colocado, algo perfeitamente recuperável se o maldito vírus permitir. (Leo Contesini)

 

Bentley elétrico será um crossover

Talvez você não tenha reparado, mas a Bentley ainda não tem um modelo elétrico em seu portfólio. Não que seus clientes estejam implorando por um, mas ele será necessário para os burocratas da União Europeia não punirem a empresa por ultrapassar o índice de emissões médio da linha. Sendo assim, ele terá o formato mais lucrativo e apelativo do momento: um crossover altinho.

Segundo os britânicos da Autocar, a Bentley descartou a produção de um SUV para fazer algo ainda mais próximo de um sedã/perua que o Jaguar I-Pace. O modelo também será construído com a atual tecnologia elétrica do Grupo Volkswagen, não terá baterias de estado sólido, como esperado de um elétrico de alto luxo de 2023, quando deverá ser lançado.

Apesar de não haver confirmação sobre este powertrain, parece claro que ele acabe baseado no EXP 100 GT concept (que ilustra esta nota), que foi apresentado em julho do ano passado e tinha quatro motores elétricos — um em cada roda — para produzir 1.300 cv e 152,7 kgfm e despachá-lo a 100 km/h em 2,5 segundos, com velocidade máxima de 300 km/h.

Por dentro, ele terá um nível de refinamento próximo ao do Bacalar, porém com materiais “ecológicos” para combinar com a proposta “limpa” dos carros elétricos. (Leo Contesini)

 

Alfa Romeo não fará um SUV GTA e Giulietta sairá de linha em breve

Com o Alfa Romeo Giulia GTA, apresentado há não muito tempo, a Alfa Romeo basicamente venceu o campeonato de sedãs fodásticos 2020 – vai ser difícil superar um Giulia com motor V6 biturbo de 540 cv, visual de carro de corrida e interior aliviado.

Te faz pensar “talvez fosse uma boa ideia se a Alfa Romeo expandisse a linha GTA para incluir mais modelos”, não faz? Pois a Alfa Romeo, felizmente, discorda. Não vai haver um SUV esportivo, como um Stelvio GTA por exe,mplo, por questão de princípios.

“O nome GTA é importante para a Alfa Romeo”, comentou o diretor de marketing da Alfa, Fabio Migliavacca. Mas ele também diz que um utilitário esportivo com a sigla GTA não se encaixa na filosofia da fabricante.

“Francamente, falamos sobre um Stelvio GTA em uma reunião, mas isto simplesmente não se alinha com as expectativas dos clientes. Um GTA precisa de ser o melhor possível na pista e, no caso do Stelvio, o centro de gravidade é mais alto que no Giulia, então ele não chegaria ao mesmo nível.”

Por mais que a gente goste de variações esportivas, só podemos admirar a Alfa Romeo pelo fato de eles se manterem fiéis a seus princípios – ainda mais considerando que um Stelvio GTA provavelmente venderia bastante.

Por outro lado, o próprio Migliavacca já avisou que seu hatchback compacto, o Giulietta, está com os dias contados… e que dará lugar a um SUV. Fabricado desde 2010, o Giulietta deixará de ser produzido no fim de 2020 e será substituído pelo Alfa Romeo Tonale.

Por mais que seja um carro bonito e competente, o Giulietta simplesmente não vende o suficiente para justificar sua continuidade – no ano passado, enquanto VW Golf, líder do segmento na Europa, vendeu mais de 490.000 exemplares, o Giulietta emplacou pouco mais de 15.000. Com o Tonale, que é totalmente novo e está de acordo com a atual tendência do mercado em substituir hatchbacks por SUVs compactos, a Alfa espera ter mais sucesso nas vendas. (Dalmo Hernandes)

 

Citroën C3 vai usar plataforma simplificada do Peugeot 208 na América Latina

Enquanto a Peugeot prepara o lançamento do novo 208 na América Latina – ele deverá começar a ser vendido no Brasil nos próximos meses, importado da Argentina –, a Citroën parece estagnada no segmento dos compactos: o atual C3 vendido no Brasil já tem sete anos de mercado, e já trocou de geração na Europa há quatro anos.

Pois isto deve mudar em breve. De acordo com o site Argentina Autoblog, a PSA prepara ao menos três novos modelos a serem fabricados na América Latina usando como base uma versão simplificada da plataforma CMP, utilizada pela Peugeot no 208. A recém-nomeada diretora de marketing da PSA na Argentina, Valère Lourme, referiu-se à plataforma como “CMP América Latina”, indicando alterações regionais. Estas, porém, ainda não foram definidas.

Os modelos que utilizarão a nova plataforma também não foram revelados oficialmente. A Quatro Rodas, contudo, apurou que o novo Citroën C3 deverá ser o primeiro – um modelo localizado, diferente do C3 europeu, produzido em Porto Real (RJ). Em um segundo momento, a plataforma também seria utilizada no novo Aircross, e possivelmente em um sedã posicionado abaixo do C4 Lounge.

Com isto, ficaria clara a intenção da PSA em inverter o posicionamento de suas marcas na América Latina, seguindo o exemplo da Europa e colocando a Peugeot como marca premium e dando à Citroën modelos mais acessíveis. (Dalmo Hernandes)

 

BMW Série 3, X3 e X4 ganharão versões híbridas leves

A BMW já vende carros híbridos plug-in – o 330e, por exemplo, que utiliza um motor 2.0 turbo de 184 cv mais um motor elétrico de 113 cv, produzindo potência combinada de 252 cv.

De acordo com a fabricante, tais versões já ajudaram a BMW a reduzir em 40% as emissões de sua linha na Europa nos últimos anos.
Agora, a marca dará um passo além, e incluirá em sua linha novos híbridos leves – carros que não são carregados na tomada, utilizando um sistema de recuperação de energia cinética (KERS) para carregar as baterias usando os freios.

Atualmente, apenas o BMW 520d, além dos X5 e X6 em sua configuração xDrive40d, utilizam o sistema híbrido leve. Em breve, porém, tanto o 320d quanto o X3 e o X4, também movidos a diesel, empregarão o sistema híbrido de 48V. A BMW espera reduzir em 20% as emissões de seus modelos em 2020 graças à nova medida. (Dalmo Hernandes)

Matérias relacionadas

Das berlinetas 250 à LaFerrari: a evolução do design das Ferrari de rua

Juliano Barata

Esta senhorinha foi a primeira pessoa a comprar um Ford Mustang – e está com ele até hoje

Dalmo Hernandes

Fabricantes concordam com 27% de álcool na gasolina comum, Polícia de Goiás passa a usar carros apreendidos de traficantes, Honda mostra interior do HR-V nacional e mais!

Leonardo Contesini