A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os mais vendidos em outubro de 2019, Golf GTE lançado no Brasil por R$ 200.000, Chevrolet Bolt estreia por R$ 175.000 e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos no Brasil em outubro de 2019

A Fenabrave divulgou os números do mercado automotivo em outubro e, apesar de uma queda de 0,5% no número de novos emplacamentos, o Chevrolet Onix continua confortável na liderança – e cresce, com 21.198 unidades vendidas (em setembro foram 21.044).

O segundo e o terceiro colocados permanecem os mesmos: o Ford Ka, com 9.691 unidades vendidas; e o Hyundai HB20, com 8.332 exemplares emplacados. Nas posições seguintes do ranking a briga é entre Fiat e Volkswagen: o Argo está na quarta posição, com 7.586 exemplares vendidos, enquanto o Polo vem logo atrás com 7.245 unidades.

O Chevrolet Onix Plus – sucessor do Prisma – é outro destaque: com 7.140 unidades vendidas, ele estreia no ranking já na sexta posição.

Duas picapes da Fiat vêm em sétimo e oitavo lugares praticamente empatadas: 6.958 unidades para a Fiat Strada, e 6.914 unidades para a Fiat Toro. É uma recuperação notável para ambas, que terminaram o mês anterior da 11ª e na 13ª posições, respectivamente.

Na lanterna ficam o Jeep Renegade, em nono lugar, com 6.680 exemplares emplacados; e o Volkswagen Gol. Este, aliás, caiu no ranking: em setembro ele havia sido o sexto colocado com 6.850 unidades. Agora, como último colocado, ele vendeu 6.570 exemplares.

Fora dos “dez-mais” houve algumas mudanças drásticas: Renault Kwid e Chevrolet Prisma despencaram – o Prisma agora ocupa a 22ª posição, com 4.259 unidades vendidas (em setembro foram 8.946); e o Kwid foi o 12º, com 6.066 (em setembro foram 8.826). E eles também trocaram de lugar na lista acumulada de 2019, que você confere abaixo:

1º Chevrolet Onix – 201.619 (=); 2º Hyundai HB20 – 85.868 (=); 3º Ford Ka – 84.545 (=); 4º  Renault Kwid – 70.941 (+1); 5º Chevrolet Prisma – 69.701 (-1); 6º Volkswagen Gol – 66.856 (=); 7º Fiat Strada – 63.559 (=); 8º Fiat Argo – 63.098 (=); 9º Volkswagen Polo –  58.406 (=); 10º Jeep Renegade – 56.919 (=). (DH)

 

Volkswagen Golf GTE é lançado no Brasil por R$ 200.000

A Volkswagen está lançando hoje (4) o Golf GTE, substituto do GTI, praticamente um ano depois de sua estreia em solo brasileiro no Salão do Automóvel.

O carro em si já é bem conhecido: trata-se de uma versão híbrida do Golf com apelo esportivo. O motor é o 1.4 TSI de 150 cv, acompanhado de um motor elétrico de mais 102 cv. Segundo a Volks, a potência combinada é de 204 cv, com 35,7 kgfm de torque. O Golf GTE leva 7,6 segundos para ir de zero a 100 km/h, com velocidade máxima de 222 km/h. Para se ter ideia, o GTI ia de zero a 100 km/h em sete segundos cravados, com máxima de 238 km/h.

O Golf GTE pode rodar apenas com eletricidade, com autonomia de cerca de 50 km, a uma velocidade máxima de 130 km/h. Já o conjunto híbrido tem três modos de operação: Battery Hold, que mantém o atual estado de carga da bateria; Hybrid Auto, que otimiza o uso da energia da bateria e aproveita os dois propulsores para maximizar a autonomia, podendo chegar aos 939 km com uma única carga; e Battery Charge, que utiliza apenas o motor a combustão para regarregar a bateria. Há, ainda, o modo GTE, que usa os dois motores simultaneamente e prioriza o desempenho sobre o consumo.

O nível de equipamentos de série é bom, com Dynamic Chassis Control, sistema multimídia com tela de 9,2 polegadas, assistente de frenagem de emergência, freio de estacionamento eletrônico, faríóis de LED com DRL e teto solar panorâmico.

A Volkswagen ainda não revelou o preço – esta informação será divulgada ainda hoje, após o test drive. E o FlatOut está lá, ou seja, em breve traremos novidades!

Atualização em 04/11/2019 às 14:04 – A Volkswagen anunciou o preço do Golf GTE: R$ 199.900 – também conhecidos como R$ 200.000. São pouco mais de R$ 50.000 a mais que o Golf GTI 2019, que tinha preço sugerido de R$ 143.790. (DH)

 

 

Kawasaki Z H2 é lançada em Tóquio

A Kawasaki aproveitou o Salão de Tóquio a nova Z H2. Trata-se, em essência, da versão naked da Ninja H2. O quadro tubular é o mesmo, assim como o motor: ou seja, a Kawasaki Z H2 tem um quatro-cilindros DOHC de 998 cm³ com supercharger. A diferença é que a Z H2 mantém a potência antiga, de 204 cv e 14 kgfm de torque, moderados por um câmbio de seis marchas. Para a linha 2019, a Ninja H2 teve a potência aumentada para 231 cv.

A moto tem um design mais minimalista que a H2, porém igualmente agressivo – com destaque para uma tomada de ar assimétrica na dianteira, do lado esquerdo.

Demais características da Ninja H2 foram mantidas na Z H2, como o quadro exposto e o entre-eixos curto, de apenas 1.450 mm. A moto também tem suspensão por garfos telescópicos ajustáveis na dianteira e monobraço na traseira; painel digital com tela colorida; e freios Brembo.

Ainda não se fala na chegada da Z H2 ao Brasil. Entretanto, se isto vier a acontecer, podemos esperar um custo semelhante ao da Ninja H2 – ou seja, na faixa dos R$ 130.000). (DH)

 

Lotus Elan pode voltar como rival para o Porsche Boxster

Não há nada oficial, ainda, mas parece que boas notícias deverão vir do Reino Unido, em breve: de acordo com a Autocar, a Lotus poderá lançar uma nova geração do Lotus Elan. O esportivo teve duas gerações ao longo das décadas – a primeira, vendida entre 1962 e 1975; e a segunda, desenvolvida em parceria com a General Motors, entre 1989 e 1999.

Citando fontes ligadas à marca, a publicação britânica diz que o novo Elan deve utilizar uma nova plataforma – a mesma que já está em desenvolvimento para as novas gerações do Elise, do Exige e do Elan, previstas para chegar em algum momento entre 2021 e 2022.

Projeção: Autocar

Segundo a Autocar, ao que tudo indica o novo Elan será um rival para o Porsche Boxster, com um nível mais alto de conforto e tecnologia se comparado aos atuais esportivos da Lotus. Isto se tornou possível depois que a Lotus foi adquirida pela chinesa Geely, o que melhorou bastante a vida financeira da Lotus. Tanto que eles em breve lançarão um hipercarro elétrico que já é um dos automóveis mais potentes do mundo com seus 2.000 cv.

A mecânica do carro deverá consistir em motores híbridos desenvolvidos pelo grupo Geely, usando tecnologia da Volvo, que também está sob o mesmo guarda-chuva. Mais, e mesmo uma confirmação oficial, poderão aparecer em breve. (DH)

 

Chevrolet Bolt chega ao Brasil por R$ 175.000

Depois de trazer nos Salões do Automóvel de 2016 e 2018, a Chevrolet enfim lança o elétrico Bolt no Brasil. O hatchback com inspirações em minivans chega em versão única, a topo de linha Premier, pelo preço de R$ 175.000. Por esse preço vem incluído 10 airbags, frenagem automática de emergência, central multimídia MyLink 3 com tela de 10,2 polegadas e compatível com Android Auto e Apple CarPlay, carregador de smartphone por indução e sensor de ponto cego.

O destaque do Bolt ante os outros elétricos vendidos no Brasil é a autonomia: o Chevrolet pode rodar 416 km com uma carga. O Nissan Leaf tem 240 km de autonomia, o Renault Zoe tem 300km de autonomia e o BMW i3 tem autonomia de 330 km – ou 385 km com auxílio do motor-gerador à combustão. O que garante essa autonomia é um conjunto de baterias de íons de lítio de com 66 kWh de capacidade, instalado no assoalho do carro.

O motor elétrico fica na dianteira e produz 203 cv e 36,7 kgfm, suficientes para levar o carro de zero a 100 km/h em aproximadamente sete segundos. A velocidade máxima é limitada em 148 km/h para preservar as baterias. O Bolt conta com frenagem regenerativa e modo de operação com apenas um pedal, no qual o sistema de regeneração desacelera o carro conforme o motorista solta o pedal do acelerador.

O Bolt vem com um carregador básico para tomadas de 220V, capaz de gerar 10 km de autonomia por hora de recarga. Por mais R$ 8.300 a Chevrolet instala na casa do cliente um Wallbox de 240V, capaz de carregar o carro completamente em nove horas. Em estações de recarga rápida é possível recarregar 145 km de autonomia em 30 minutos ou 80% da carga total em uma hora. Essas estações serão presente am algumas concessionárias da Chevrolet. O Bolt usa plugues do tipo CCS Tipo 2, o mais popular no Brasil e que pode ser encontrado em shoppings e outros postos de recarga.

O Bolt está em pré-venda por enquanto e pode ser reservado pelo site da Chevrolet ou em uma das 25 concessionárias credenciadas para a venda do elétrico. O primeiro lote começa a ser entregue no início de 2020. O Bolt conta com três anos de garantia para o carro e oito anos para as baterias. (ER)

 

Lotus projeta bicicleta que será usada nas Olimpíadas

A Lotus acaba de revelar seu mais novo produto: uma… bicicleta. Isso mesmo: a tradicional fabricante inglesa foi responsável por projetar a bicicleta a ser usada pela equipe britânica de ciclismo nas Olimpíadas de Tóquio. A Lotus Engineering começou a trabalhar nessa bicicleta 2016, logo após os jogos olímpicos do Rio de Janeiro.

A bicicleta segue a filosofia “simplifique e adicione leveza” de Colin Chapman. O design minimalista foi feito em túnel de vento para garantir o menor arrasto, enquanto o garfo e o guidão têm desenho exclusivo projetado pela Lotus.

Essa não foi a primeira bicicleta projetada pela Lotus. A equipe de engenharia do fabricante foi responsável pela bicicleta usada pela equipe britânica das Olimpíadas de 1992, em Barcelona, e no Tour de France de 1994. Para ser aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional, a bicicleta precisa participar da Copa Mundial de Ciclismo de 2019/2020, iniciada no dia 1° de novembro. (ER)

 

Angela Merkel quer 1 milhão de postos de recarga de elétricos na Alemanha até 2030

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse em uma mensagem de vídeo que a Alemanha deverá ter 1 milhão de pontos de recarga de carros elétricos até 2030. Essa declaração foi feita no domingo (3), antes de a chanceler dar início a uma sequência de reuniões com a indústria automotiva, com a proposta acelerar a transição do mercado para os veículos elétricos.

A Alemanha possui atualmente 20.000 pontos públicos de recarga. O primeiro-ministro da Baixa Saxônia disse que gostaria de aumentar esse número para 100.000 até 2021. Segundo os consumidores alemães de carros elétricos, a falta de pontos de recarga é o principal argumento para não comprar um.

Estas reuniões têm a proposta de discutir soluções para que o país atinja as metas nacionais de emissões pelo setor de transporte. A Alemanha também discute o uso de células de combustível de hidrogênio, com subsídios do governo para ajudar a baixar os custos. (ER)

Matérias relacionadas

Novo Camaro aparece camuflado em vídeo, prazo para extintores ABC deve ser prorrogado (de novo), uma Kombi de R$ 700.000 e mais!

Leonardo Contesini

Todo mundo tem uma história com um Fusca. Qual é a sua?

Dalmo Hernandes

Qual é seu post favorito nestes quatro anos de FlatOut?

Dalmo Hernandes