A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top Zero a 300

Os melhores carros de fuga que existem (ou que poderiam existir) – parte 2

Às vezes é bom dar uma relaxada e fugir um pouco da realidade. Não estamos falando de nada ilícito, claro – se imaginar na pele de um bandido fugindo da polícia e escolher o carro ideal para a fuga não faz mal, faz? Desde que você não concretize nenhuma possibilidade…

“Inspirados” pela fuga cinematográfica que um norte-americano protagonizou usando um Dodge Challenger SRT Hellcat branco – que, por sua vez, parece ter sido inspirada pelo clássico Vanishing Point de 1971 e seu Dodge Challenger R/T 1979 branco – perguntamos aos leitores quais seriam seus carros de fuga perfeitos.

O resultado foi uma lista de automóveis da vida real e da ficção que seriam excelentes para dar um perdido nos hômi. A primeira parte, você confere aqui. A segunda parte, você confere agora.

 

Citroën Xantia Activa

CitroenXantiaActiva

Sugerido por: Luiz Augusto

O Citroën Xantia foi o carro grande da marca francesa no Brasil entre 1994 e 2001, e teve cerca de 6.200 exemplares vendidos. Com visual clássico, inspirado pelo irmão maior XM, ele tinha na versão Activa seu maior atrativo: em vez de usar molas tradicionais, o Xantia Activa usava esferas hidropneumáticas que se enchiam ou esvaziavam para deixar a suspensão mais alta ou mais baixa, mais dura ou mais firme. O sistema era tão eficiente que permitia que o carro rodasse apenas com três rodas se tivesse um pneu furado, por exemplo.

Quer dizer, se o sistema estivesse funcionando corretamente – a manutenção não era exatamente fácil e os sensores eletrônicos que “liam” as condições do piso e ajustavam a suspensão automaticamente costumava dar problemas. Por outro lado, quando em perfeita ordem, a suspensão Hydractive permitia fazer curvas com muito mais estabilidade, reduzindo drasticamente a rolagem da carroceria. Ah, e o motor era um 2.0 16v de 157 cv – um dos mais potentes quatro-cilindros de seu tempo.

 

Audi S8

Sugerido por: Diogo Rengel Santos

Mencionamos brevemente o clássico Ronin (1998), citando o BMW E34 que pode ser visto no filme. No entanto, como vocês bem lembraram, o verdadeiro astro é o Audi S8 que participa da perseguição aos bandidos franceses.

É um daqueles casos auto-explicativos: em 1998, o Audi S8 era um dos sedãs mais velozes que se podia comprar: ele tinha um V8 de 4,2 litros e 340 cv, tração integral quattro e capacidade para acelerar de zero a 100 km/h em 5,6 segundos, com máxima limitada a 250 km/h. Ele era confortável, discreto e praticamente indestrutível.

Definitivamente não foi à toa que the transporter Frank Martin (interpretado por Ed Skrein em vez de Jason Statham) dirigiu um S8 “Carga Explosiva: O Legado”, lançado em 2015. Além dos 520 cv do motor V8 biturbo, o Audi S8 moderno possui a mesma vocação para performance com elegância de seu antepassado.

 

Ford Mustang GT500 “Eleanor”

Sugerido por: Pedro Cordeiro Corrêa

Olha, de verdade: precisamos ficar explicando motivos para o Mustang GT500 Eleanor ser um bom carro de fuga? O muscle car modificado era a cara do tuning do início da década passada, com certo exagero estéticos e rodas um pouco maiores do que deveriam. No mais, é um carro monstruoso que protagonizou um dos filmes de carro mais icônicos dos últimos anos.

Mas vamos ao que ele tem de bom: o Mustang Shelby GT500 1967 foi modificado pela oficina Cinema Vehicle Services, de Hollywood, na Califórnia, com pintura Pepper Grey, faróis auxiliares na grade inferior, interior levemente modernizado, um V8 Ford Racing de 351 pol³ (5,75 litros), além de um cilindro de NOS no porta-malas. Doze carros foram construídos para o filme, dos quais sete sobreviveram. Destes, três eram hero cars – carros modificados de verdade, estética e mecanicamente, feitos para cenas em close up, e quatro eram apenas cascas.

De tempos em tempos um deles aparece à venda em um leilão, mas empresas como a americana Classic Restoration produzem réplicas autorizadas bastante fiéis.

 

VW Golf GTI ou Audi A3 T

autowp.ru_volkswagen_golf_gti_uk-spec_11

Sugerido por: Leonardo Mendes

Voltando à nossa realidade, o Golf GTI e o A3 Turbo são bons candidados, como bem lembrou nosso leitor: não exatamente difíceis de encontrar e, nas mãos de quem sabe controlá-los, podem ser bons carros para desviar do tráfego em alta velocidade com a lei no seu encalço. Não que alguém deva fazer isso, claro.

Audi A3 2002 2

Ambos compartilham plataforma, têm dimensões e peso semelhante (na ordem dos 1.200 kg), e usam o mesmo motor – um quatro-cilindros turbinado de 1,8 litro com 150 cv ou 180 cv, dependendo do ano de fabricação. Zero a 100 km/h em menos e nove segundos, velocidade máxima superior a 200 km/h e, em ambos os casos, visual não muito diferente de qualquer outro Golf Mk4 ou Audi A3 de primeira geração. É praticamente o carro de fuga perfeito.

 

 

Fiat Tempra

fiat-tempra-1996-preto-92837-4

Sugerido por: Rodrigo MM

Imagine que você é membro de uma gangue que assalta bancos (imagine, apenas!) e que vocês precisam escolher um carro de fuga para deixar a cena rapidamente. Além de prezar o desempenho do motor e a dinâmica, pode ser uma boa ideia focar nos aspectos práticos. E o Fiat Tempra, primeiro sedã médio que a fabricante ítalo-mineira vendeu no Brasil, tem um ótimo atributo: o ângulo de abertura das portas traseiras.

Se você fosse o cara que fica esperando do lado de fora, veria que seus comparsas não teriam dificuldade em entrar rapidamente no carro com os malotes de dinheiro, pois o ângulo de abertura das portas traseiras era de quase 90°, facilitando o acesso. E se o carro fosse um Tempra Turbo Stile, você ainda poderia arrancar do zero aos 100 km/h em nove segundos e seguir até os 211 km/h graças ao motor 2.0 8v turbinado de 165 cv.

 

Marauder

Sugerido por: Corvo

O leitor Corvo foi bem sucinto: “eu iria devagarinho de Marauder, quero ver quem me pára!” De fato, o enorme veículo blindado apresentado por Richard Hammond em 2011 no Top Gear, que pesa nada menos que 10.000 kg, não é muito rápido: sua velocidade máxima é de até 120 km/h, dependendo dos pneus – o motor turbodiesel de 300 cv já gasta a maior parte de sua força puxando tanto peso.

Mas há um bom motivo: tendo sido criado primariamente para combate militar, ele só pode ser abatido por… veículos militares. Sua blindagem é resistente a munição anti-tanque e minas terrestres. Não são as metralhadoras e revólveres dos policiais que vão pará-lo. Além disso, ele ainda pode levar nada menos que dez pessoas – uma quadrilha completa. Ah, e ele custa £ 300 mil, o que dá cerca de R$ 1,3 milhão. Mas você vai roubá-lo, não é mesmo?

 

O Bluesmobile

Sugerido por: Alexandre Baims

O Bluesmobile é um Dodge Monaco 1974 que os “Irmãos Cara-de-Pau” Jake e Elwood Blues, interpretados por Dan Arkroyd e James Belushi no clássico The Blues Brothers. E ele é um carro de fuga incrível. Primeiro porque ele já havia sido um carro de polícia. Segundo, porque ele é capaz de desafiar a física: com ele, Elwood faz manobras impossíveis como saltos incrivelmente altos e longos, aterrissagens violentas e até um backflip. Não havia fuga mal-sucedida com o Bluesmobile.

Isto sem falar na clássica cena de perseguição no shopping, onde Elwood foge da polícia em um carro de polícia com uma frieza impressionante. O Bluesmobile dá conta do recado.

 

Porsche 911 Turbo S 991

Sugerido por: Mr. Porschemann

Na verdade Mr. Porschemann foi bastante específico: ele sugeriu o Porsche 911 Turbo 991.2 – a versão mais recente. Vejamos: ele tem um flat-six biturbo de exatos 3.800 cm³ com dois turbos para entregar 580 cv, tração integral, câmbio PDK de sete marchas e é capaz de ir de zero a 100 km/h em menos de três segundos com o Sport Chrome Package. Sua velocidade máxima é de 330 km/h.

E mais: apesar do desempenho de hipercarro, o 911 Turbo S ainda é um 911 bastante equipado, com ar-condicionado, som de primeira, revestimento caprichado e confortável e utilizável o bastante no dia-a-dia. Sem falar na dinâmica matadora que já é marca registrada do 911 991, especialmente com o esterçamento das rodas traseiras. Inalcançável nas retas e nas curvas. É… talvez o 911 991 Turbo S seja O carro de fuga perfeito.

 

Lotus Omega

Sugerido por: Tairusiano

Você já viu aquele vídeo do Chevrolet Omega que desvia em cima da hora de um carro que vinha na contramão? Claro que viu: ele já está no ar há 11 anos! Aquela é uma demonstração da eficiência do arranjo de suspensão multilink na traseira do sucessor do Opala (que, aliás, era bem mais traiçoeiro neste aspecto). Mudar de direção com rapidez e precisão em uma situação de emergência é essencial para uma perseguição em uma via movimentada.

Agora, se você quiser ter a certeza de que seus captores vão ficar para trás, seu Omega precisa ser um Lotus Omega. Seu motor de seis cilindros retrabalhado pela famosa firma britânica de engenharia era muito semelhante ao 3.0 usado no Brasil, porém tinha comando duplo nos cabeçote e 24 válvulas, deslocamento ampliado para 3,6 litros e dois turbos Garrett T25 operando a 0,7 bar para entregar 384 cv. Sim, quase 400 cv em um Omega com carroceria alargada e aerodinâmica retrabalhada. Era o bastante para que o super sedã chegasse aos 100 km/h em 5,2 segundos, com máxima de 283 km/h. O vídeo acima mostra o que um Lotus Omega é capaz de fazer em uma fuga da polícia.

 

Ruf CTR2 “Yellowbird”

1987-ruf-ctr-yellowbird-911-turbo-photo-552558-s-1280x782

Sugerido por: TougeRacer

Você é um larápio, mas é um larápio conhecedor de carros que está pronto para roubar uma loja cheia de carros dos sonhos. Um deles é um Ruf CTR Yellowbird. Você escolhe o CTR Yellowbird por três razões.

Primeira razão: ele era mais rápido que a Ferrari F40 em 1987, com velocidade máxima de 340 km/h. O motor biturbo de 3,4 litros e 476 cv era capaz de levá-lo até os 100 km/h em 3,7 segundos. Seria impossível ser alcançado por terra.

Segunda razão: seria uma oportunidade única na vida, pois só fizeram 31 exemplares dele. Esse tipo de coisa a gente não deixa passar. Imagine, dirigir o carro de Faszination Nürburgring!

Só há um problema: você só precisa ser muito bom de braço, porque o CTR2 Yellowbird é um derivado direto do Porsche 911 Turbo e, com o mesmo entre-eixos curto, o mesmo layout de motor traseiro e 200 cv a mais, consegue ser ainda mais traiçoeiro.

Matérias relacionadas

Dodge pode ter revelado o torque do Demon, Picanto terá versão 1.0 turbo, Lamborghini anuncia recall de quase 6.000 Aventador e mais!

Leonardo Contesini

Um McLaren F1 praticamente zero-km a venda, o primeiro esportivo da Polestar, novo Jetta chega em janeiro e mais!

Leonardo Contesini

A concessionária-fantasma da Subaru em… Malta!?

Leonardo Contesini