A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

Os melhores clipes musicais com carros já feitos no mundo — parte 3

A Rádio FlatOut! está à toda e chegamos a nossa terceira parte da lista com os melhores clipes com carros já feitos neste mundo e em qualquer outro — pelo menos até onde sabemos. O que você está esperando para aumentar o som e rolar a página?

As duas partes anteriores foram focadas no rock e na música eletrônica. Agora, chegou a vez de tudo o mais — hip hop, pop e até alguns clipes que fizeram falta em alguma das listas anteriores. Mas uma coisa todos estes artistas têm em comum: eles sabem fazer clipes com carros. E não esqueça de conferir as partes 1 e 2!

 

Jamiroquai – Cosmic Girl

“Cosmic Girl”, single da banda de funk e acid jazz Jamiroquai (ou você achava que era só “pop”) para o álbum Travelling Without Moving, de 1996, deve ser o vídeo musical com supercarros por mais tempo em cena de todos os tempos.

O vídeo, que mostra uma corrida no deserto entre uma Ferrari F40 (que veio da coleção de Nick Manson, baterista do Pink Floyd e gearhead de primeira), uma F355 e um Lamborghini Diablo. Originalmente, a F355 e o Diablo viriam da coleção do próprio vocalista do Jamiroquai, Jay Kay (ele mesmo outro ávido colecionador), mas o Diablo foi acidentado pela companhia que o transportou dos EUA à Espanha, onde o clipe foi filmado, e os produtores do clipe tiveram que pegar um Diablo emprestado de um colecionador local.

 

M.I.A. – Bad Girls

A cantora britânica de ascendência indiana M.I.A. é conhecida por seus clipes polêmicos e Bad Girls, single do álbum Matangi (2012) não foi exceção. Filmado no Oriente Médio, o clipe recebeu elogios por confrontar os direitos limitados das mulheres na Arábia Saudita ao mostrá-las dirigindo seus BMW e Alfa Romeo pelas ruas, ao melhor estilo gangsta — com direito a burnouts, derrapagens controladas e até carros andando sobre doas rodas. Na Arábia, as mulheres são proibidas de dirigir — e nada como um clipe chamado Bad Girls para ironizar e criticar esta situação. A música é bacana, também!

 

Jamiroquai – White Knuckle Ride

Se Cosmic Girl é um festival de supercarros, White Knuckle Ride é o clássico clipe com perseguição — no caso, entre um Porsche 911 Carrera RS 2.7 e um helicóptero. Só que, desta vez o artista é quem persegue — o helicóptero pertence a Jay Kay, que é piloto habilitado e esteve no comando do helicóptero quase todas as cenas, com exceção das mais arriscadas, que usaram um piloto profissional.

 

Ludacris – Act A Fool

Agora, prepare-se para a nostalgia — mais precisamente, para 11 anos atrás, quando “+ Velozes + Furiosos” (2 Fast 2 Furious, 2003). Pois é, o tempo passa. E você pode ir admitindo que há 11 anos achava animais todos aqueles carros tunados, com nitro e câmbios manuais de 138 marchas — bem, isto se você tem até uns 30 anos de idade. Act a Fool, de Ludacris, fez parte da trilha sonora do filme — e o rapper também foi um dos protagonistas da trama.

 

Dr. Dre – Still D.R.E.

Antes de lançar uma grife de fones de ouvido, Dr. Dre era um verdadeiro rapper gangstaStill D.R.E. é um belo exemplo. O clipe que exalta a cultura de rua dos lowriders americanos conta com a participação de Snoop Dogg e The D.O.C. — um dos compositores principais do N.W.A., possivelmente o maior grupo de gangsta rap dos EUA. É impossível ouvir os primeiros toques no piano sampleado e não pensar em banheiras americanas coloridas e impecáveis com suspensão hidráulica.

 

Don Omar – Conteo

Ainda na saga “Velozes e Furiosos”, temos o clipe de Conteo, single do cantor porto-riquenho de reggaeton Don Omar que fez parte da trilha sonora de “Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio” (The Fast and the Furious: Tokyo Drift, 2006), terceiro filme e, para muitos, o melhor. Se afastando da trama principal envolvendo Brian o’Conner e Dom Toretto, “Desafio em Tóquio” mergulhou de cabeça na cultura automotiva japonesa e, claro, nos universo do drifting.

 

Crazy – Aerosmith

Ainda não conseguimos entender como este clássico do hard rock ficou de fora da primeira lista — é uma das baladas mais legais do veterano conjunto do bocudo Steven Tyler, ainda tenha sido lançada como single do álbum Get a Grip, de 1994, e seja um dos símbolos da fase mais pop da banda. No clipe, duas belas garotas (Liv Tyler, filha do vocalista, e Alicia Silverstone) dirigem um Mustang de terceira geração conversível preto. Embora não seja nosso Mustang favorito (na verdade, poucas pessoas gostam da plataforma Fox body), bem, ainda é um Mustang. E quem não gosta ver Liv Tyler ou Alicia Silverstone no auge da beleza ao som de uma das maiores bandas de todos os tempos?

 

Rob Zombie – Dragula

Se você jogava Gran Turismo 2 ou Twisted Metal 4 no Playstation, certamente tem boas lembranças de seus momentos na frente da TV com a versão remixada desta música como trilha sonora. Mas a versão original, lançada em 1998 como single para o primeiro álbum solo de Rob, Hillbilly Deluxe, é que tem um dos vídeos com carros mais loucos que já vimos, com uma inusitada mistura de cenas de Rob Zombie ao volante de um calhambeque diabólico, os membros da banda tocando com um cenário chroma key ao fundo e cenas de filmes de terror antigos — uma das maiores paixões do cantor. Curiosidade: Twisted Metal 4 tinha até um personagem, Mr. Zombie, com carro e aparência baseados em Rob Zombie no clipe.

 

Gorillaz – 19-2000

Esta é a segunda vez que trazemos Gorillaz à playlist. Assim como Stylo, o clipe de 19-2000 se passa quase todo na estrada — mas uma estrada feita em animação pela qual roda o famoso buggy que ilustra a capa do primeiro disco, o autointitulado Gorillaz, lançado em 2001, do qual a música foi o segundo single. 19-2000 deve ser a música mais famosa do projeto paralelo de Damon Albarn, frontman do Blur — logo ao lado de Clint Eastwood.

 

Ok Go – Needing/Getting

Além da música, o OK Go é uma banda que explora muito a imagem de seus clipes. Tudo começou com o criativo clipe coreografado de Here it goes again, lançado em 2009 e, desde então, virou tradição a banda lançar um clipe bem sacado de tempos em tempos. Em 2012, foi a vez do clipe de Needing/Getting, single do álbum Of the Blue Colour of the Sky — que na verdade foi uma ação de marketing da Chevrolet para promover o Sonic — o carro foi usado para “tocar” a música enquanto dirigia por uma série de objetos.

 

BB King e Eric Clapton – Riding With the King

Esta vai para a galera que curte um som das antigas: Riding With The King, uma bela canção de blues lançada em 2000, no álbum de mesmo nome, pelo deus Eric Clapton e pelo deus maior ainda BB King, que é um dos maiores (senão o maior) nome do estilo. O clipe não poderia ser mais certeiro, quase todo composto por cenas de Clapton e King em um Cadillac DeVille de terceira geração, produzido entre 1965 e 1970.

 

Mamonas Assassinas – Brasilia Amarela

Este foi, simplesmente, a sugestão mais votada de todas. Pudera: o grupo de rock com altas doses de humor e escracho teve uma carreira meteórica. Se não tivessem sido levados pelo trágico acidente de avião, provavelmente o Mamonas ainda estariam nos divertindo ao falar de seu templo do amor com motor refrigerado a ar e uma reluzente pintura amarela.

 

Matérias relacionadas

Art-cars: as mais incríveis obras de arte feitas com carros – ou pedaços de carros

Dalmo Hernandes

Os pocket rockets mais legais que se pode comprar em 2018 (e que não temos por aqui…)

Dalmo Hernandes

Save the manuals: as alavancas e manoplas de câmbio mais icônicas e curiosas já criadas

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados