A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

Os melhores desenhos animados com carros de todos os tempos – Parte 1

Você lembra exatamente do que te tornou um entusiasta? Calma, não precisa responder. O fato é que, lembrando ou não, de uma coisa temos (quase) certeza: em algum momento da vida, você assistiu algum desenho animado que trazia carros como protagonistas ou, ao menos, elementos importantes da trama — e isso certamente te influenciou. Sabendo disso, decidimos separar alguns deles — e pode acreditar que a nostalgia vai bater forte em muita gente. Vamos dar uma olhada?

Speed Racer

Speed Racer é um piloto de 18 anos que disputa corridas com o poderoso Mach 5, um carro construído por seu pai, Pops Racer, e recheado de recursos acionados pelo painel, como controle de tração, serras rotativas, macaco automático, capota blindada e câmera onboard. Como um bom esportivo japonês ele é pintado nas cores branco e vermelho, mas seu motor, segundo os criadores da série, é um V12 Ferrari com 580 cv e câmbio de seis marchas, capaz de levá-lo aos 350 km/h.

Ele não foi o primeiro desenho sobre carros, mas certamente foi o primeiro a fazer sucesso mundialmente, conquistando até mesmo quem não curte muito animes. Como muitos animes, Speed Racer estreou na forma de mangá em 1966 e logo no ano seguinte ganhou uma série animada de apenas 52 episódios produzidos entre abril de 1967 e março de 1968. Se você tem entre 25 e 60 anos é bem provável que tenha conhecido as aventuras do piloto japonês por esta série, que foi exibida nos anos 1960 e 1970 na TV Tupi, depois na Rede Globo, Record, Cartoon Network e até na MTV Brasil.

 

Pole Position

Com o sucesso do game Pole Position da Namco, o estúdio de animação DIC Entertainment apostou em uma série animada com o mesmo nome e os carros do jogo. O resultado foi desenho Pole Position, que conta a história dos irmãos Tess, Dan e Daisy em busca do pai, que desapareceu após uma explosão durante uma corrida. A série teve somente uma temporada de 13 episódios (você jurava que havia bem mais, não?) produzida em 1987, e exibida no Brasil na TVS/SBT no fim dos anos 1980 e começo dos anos 1990.

Enquanto procuram seu pai Tess e Dan disputam corridas, fazem apresentações como dublês e combatem o crime trabalhando para a organização secreta “Pole Position” com a ajuda de seus carros inteligentes Wheels e Rodão — um Mustang de primeira geração estilizado e um protótipo em forma de cunha, ambos com computadores de inteligência artificial com telas no painel, por onde se expressavam e interagiam com seus motoristas. Sim, não faz sentido algum, mas você certamente ficava colado na telinha quando essa música do vídeo acima começava a tocar.

 

Initial D

Quando se fala em desenhos sobre carros nenhum supera a qualidade e realismo de Initial D. O anime produzido entre 1998 e 2013 foi inspirado nos mangás de mesmo nome e conta a história de Takumi Fujiwara, um jovem que ajuda seu pai a fazer entregas de tofu com um antigo Toyota AE86 “panda” e, no caminho, pratica drifting pelas montanhas japonesas.

O realismo vem das orientações de ninguém menos que Keiichi Tsushiya, o rei do drifting, que foi o consultor técnico das cenas de drifting de todos os episódios. Além disso, Initial D também reproduz os carros com uma fidelidade impressionante para um desenho animado, chegando a diferenciar detalhes de versões de anos diferentes de um mesmo carro. Diferentemente de Speed Racer, Initial D fez sucesso no Brasil inicialmente pelos mangás — o anime só se popularizou depois que foi transmitido no extinto canal por assinatura Animax e mais recentemente por meio de downloads dos episódios em sites de torrent.

 

Carros

Este pode parecer o mais infantil de todos os itens da lista e, bem… talvez seja mesmo. Mas isto não significa que não seja interessante para entusiastas crescidos — porque, apesar de ser uma animação da Pixar feita para crianças, “Carros” (Cars – 2006) é cheio de referências que só os mais velhos vão pegar — caso do Café V8, um restaurante em forma de um motor Ford V8 Flathead.

O filme conta a história de Relâmpago McQueen, um carro de corridas famoso e bem sucedido — e um tanto arrogante — se perde e acaba parando em uma pacata cidadezinha do interior chamada Radiator Springs. Ali ele passa por uma lição de “vida” antes de voltar às pistas e aos holofotes.

Apesar de o protagonista, Relâmpago McQueen, ser um carro de corrida “genérico” que corre em um campeonato que lembra a Nascar, outros personagens são modelos de carros bem conhecidos — como a namorada de McQueen no primeiro filme, Sally Carrera, que é um… Porsche 911. Outros personagens foram baseados em histórias reais, como Doc Hudson, que é inspirado no Fabuloso Hudson Hornet que competiu na Nascar entre 1951 e 1953 e dublado por ninguém menos que Paul Newman na versão americana.

O segundo filme, “Carros 2” (Cars 2 – 2011), é igualmente divertido e cheio de referências do mundo automotivo real, como os kei cars japoneses, e até um McLaren chamado Emerson Fittipaldi dublado pelo próprio piloto. Na verdade, não se deixe enganar pela cara e enredo de filme infantil, “Carros” garante uma boa diversão mesmo que seus carros de brinquedo tenham motores de verdade.

 

Michel Vaillant

Ele não é japonês mas também surgiu de uma série de quadrinhos. Michel Vaillant é uma série animada de 65 episódios produzida em 1990 na França inspirada nos quadrinhos do cartunista francês Jean Graton. Ela conta a história de Michel Vaillant, um piloto de corridas da equipe Vaillante, que disputa a Fórmula 1, Indy, rali e desafios de enduro.

O que mais impressiona na série animada é o realismo dos carros e de seu universo em geral. A Vaillante é uma empresa com uma rotina real, incluindo seus problemas e ações de administração, enquanto os carros têm detalhes técnicos reproduzidos com fidelidade, como os braços da suspensão de um Fórmula 1 ou o balanço da carroceria em cenas off-road.

A série nunca foi exibida na TV brasileira, mas pode ser facilmente encontrada para download na internet como “Heroes on Hot Wheels” — nome criado por contrato de merchandising com a Mattel, fabricante dos carrinhos Hot Wheels.

 

Wangan Midnight

Talvez o segundo anime sobre carros mais conhecido entre os entusiastas (logo depois de Initial D, claro), Wangan Midnight tem este nome porque as corridas ilegais se passam em uma rodovia de Tóquio conhecida como “Wangan” — uma trecho de 70 km da Shuto Expressway que é conhecido como a reta mais longa do país.

Como Initial D, Wangan Midnight surgiu nos mangás, em 42 volumes publicados entre 1990 e 2008. A série de TV é mais recente, com 26 episódios exibidos em 2007 e 2009. Em ambos os casos, o protagonista é Akio Asakura, um jovem piloto de rua que perde seu 300ZX vermelho em um acidente. Dias depois, ele encontra outro Z, desta vez um S30 azul, em um ferro velho, e o compra sem pensar duas vezes. Logo ele descobre que o carro é “amaldiçoado”, tendo matado todos seus donos anteriores em acidentes (e todos eles também se chamavam Akio Asakura) — o que não o impede de usá-lo nos rachas.

Também como Inicial D, Wangan Midnight se destaca pelo realismo das cenas e pela fidelidade na reprodução das versões animadas dos carros — caso do “Blackbird”, um Porsche 911 personalizado e preparado por Akira Nakai da RWB. Diferentemente dos outros dois animes desta lista, Wangan Midnight nunca foi exibido no Brasil.

 

Akira

Este anime, novamente inspirado em um mangá, não é uma série de TV e sim um longa animado de 1988 ambientado em uma Tóquio distópica com pitadas cyberpunk de 2019. Após uma grande explosão que destruiu a antiga Tóquio em 1988 a cidade foi reconstruída e nela vivem os amigos Kaneda e Tetsuo. Os dois são membros de uma gangue bosozoku que disputa território na cidade até que um dia Tetsuo encontra Takashi, uma estranha criança com poderes paranormais que fugiu do hospital onde era mantido como cobaia pelo exército e quase a atropela.

 

Durante o incidente, a criança explode a moto de Tetsuo, que acaba ferido e antes mesmo de receber a ajuda dos amigos é levado por integrantes do exército. A partir daí Tetsuo passa a desenvolver poderes paranormais, o que faz com que seja comparado a Akira, o responsável pela explosão de 1988. Enquanto isso, Kaneda se interessa por Kei , uma garota envolvida com espiões que tentam decifrar o enigma por trás dessas cobaias chamadas.

Além da trama complexa e da qualidade gráfica dessa Neo Tóquio distópica, o filme também ficou famoso pela cena de perseguição das motos. Na verdade, a cena chega a ser mais famosa que o filme, algo semelhante ao que aconteceu com a perseguição de “Bullitt” (1968). O filme foi lançado no Brasil em versões dubladas e legendadas, mas atualmente está fora de catálogo.

 

Seu desenho/anime favorito ficou de fora? Deixe sua sugestão nos comentários e ajude a formar a segunda parte desta lista!

Matérias relacionadas

Uma retrospectiva dos esportivos da Fiat em seus 40 anos de Brasil – Parte 1

Dalmo Hernandes

Os carros mais icônicos (e colecionáveis) da década de 1990 – parte 1

Dalmo Hernandes

As promessas da Fórmula 1 que morreram cedo demais

Leonardo Contesini