FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os tempos do Shelby GT350 em Nürburgring, Tony Kanaan vence as 24 Horas de Daytona, “Keke Rosberg” é flagrado dirigindo bêbado em Alagoas e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Shelby GT350R pode ser mais rápido que Camaro Z/28 em Nürburgring Nordschleife

Mustang GT350 R Nurburgring Record

Depois que o Camaro Z/28 derrubou o mito de que muscle cars não sabem fazer curvas ao cravar 7:37,40 em Nürburgring Nordschleife, a Ford obviamente armou sua resposta ao rival engravatado. Como diz a sabedoria popular, a vingança é um prato que se come frio. Primeiro eles esperaram a nova geração do Mustang, com suspensão independente na traseira.

Com ela, a Ford preparou o Shelby GT350R, usando um V8 de comando duplo no cabeçote e virabrequim plano, do jeito que os europeus fazem (e outras melhorias no chassi e aerodinâmica, que você confere em detalhes neste post). Depois, bastou levar a Nürburgring. Mas qual foi o tempo do Mustang puro sangue?

Segundo o site Horsepower Kings, o Shelby GT350R completou a volta em incríveis 7:32,19. Se isso for realmente confirmado, são longos cinco segundos de diferença em relação ao Z/28. Ao menos o tempo não seria vergonhoso apenas para o Camaro, pois os supostos 7:32,19 do GT350R o tornariam mais rápido até mesmo que o Porsche 911 GT3 RS 997. Quem diria que um Mustang um dia poderia ser mais rápido que o mais radical dos Porsche 911? Quer dizer… isso se o tempo for confirmado.

 

Tony Kanaan vence as 24 Horas de Daytona, Christian Fittipaldi fica em segundo

622_84315649-77d3-346a-bf2e-dd941b3172a2

A Chip Ganassi Racing venceu pela sexta vez as 24 Horas de Daytona neste último domingo (25) com o quarteto de pilotos formado por Tony Kanaan, Jamie McMurray, Kyle Larson e Scott Dixon dividindo o volante do Ford EcoBoost Riley DP #02.

Eles completaram as 24 horas de corrida com uma vantagem de apenas 1,333 segundo sobre o trio a Action Express Racing, formado por Christian Fittipaldi, João Barbosa e Sébastien Bourdais. Rubens Barrichello, que dividiu um BMW com Ryan Hunter-Reay, Brendon Hartley, Scott Mayer e Tor Graves largou em oitavo, mas a equipe teve problemas no carro e abandonou a prova após 14 horas.

Com a vitória Kanaan se torna o quarto brasileiro a vencer as 24 Horas de Daytona. Antes dele Christian Fittipaldi, Raul Boesel e Oswaldo Negri faturaram o caneco.

 

Keke Rosberg é flagrado bêbado em Alagoas

keijorosberg

* não fui eu!

Depois de Alan Prost ser preso no Paraná, quem caiu nas garras da polícia brasileira foi Keke Rosberg, mas não aquele que você está pensando, e sim Keke Rosberg Guimarães da Silva, de Maceió/AL. Ele estava dirigindo um Voyage 1.6 pela Cidade Universitária no último dia 15 quando começou a fazer manobras em frente a uma viatura de polícia.

Logicamente Keke acabou parado pelos policiais, que constataram sintomas de embriaguez. Ele foi multado por dirigir sob efeito de álcool e por fazer manobras arriscadas, e liberado após o registro da ocorrência. As informações são do portal Primeira Edição.

 

Os 40 anos da primeira dobradinha brasileira na F1″

75_bra08-1

Há exatos 40 anos, no dia 26 de janeiro de 1975, era realizado o 4º Grande Prêmio do Brasil em Interlagos, que na época era a segunda corrida da temporada. No grid havia três grandes atrações para a torcida da época: um bi-campeão brasileiro, a estreia do Copersucar-Fittipaldi FD02 em solo brasileiro e José Carlos Pace com sua Brabham BT-44B, o primeiro carro que tinha condições de lhe dar uma vitória.

pacegpbrasil75

E foi extamente o que aconteceu: depois de largar no meio do pelotão e se manter entre os primeiros durante a maior parte da corrida, Pace assumiu a ponta na 33ª volta e ali ficou até a bandeirada. Emerson chegou em segundo e garantiu a primeira dobradinha brasileira na F1 — algo voltaria a acontecer no GP da Inglaterra de 1975 com as posições invertidas, e depois somente em 1986, quando Nelson Piquet venceu o GP do Brasil em Jacarepaguá, seguido por Ayrton Senna. O GP do Brasil de 1975 também foi a última corrida disputada por Graham Hill, que sofreria um acidente fatal de avião em novembro daquele ano.

 

Mini pode voltar a ser pequeno com ajuda da Toyota

Captura de Tela 2015-01-26 às 10.29.18

Se você já viu um Mini moderno ao lado de um Mini clássico, certamente ficou espantado com a diferença de tamanho entre eles. Com um pouco de razão o nome mais adequado ao hot hatch moderninho seria Medium Cooper. Mas há alguns anos a Mini/BMW anunciou um conceito que devolveria as proporções diminutas ao modelo. Batizado de Rocketman como a música de Elton John, ele foi apresentado no Salão de Genebra em 2011, ele teve sua produção cancelada poucos meses depois, mas foi confirmado novamente no fim de 2014.

28-mini-rocketman-concept

Aparentemente, quem irá ajudar a marca a produzi-lo assim pequeno será a Toyota, que já ajudou a Aston Martin a fabricar o Cygnet (apelidado de Aston Marty pelo FlatOut) e tem uma parceria técnica com a BMW, dona da Mini. A parceria inicialmente produziria apenas a nova geração do Toyota Supra e o próximo BMW Z4, mas segundo uma fonte da Automobile Magazine, o Mini Minor (como está sendo chamado atualmente) já está em desenvolvimento e será produzido sobre uma plataforma compartilhada entre as marcas, que dará origem ao sucessor do Aygo no lado japonês da parceria.

 

 

 

Matérias relacionadas

BMW M4 GTS flagrado em Nürburgring, calor derrete asfalto na Índia, Fórmula 1 terá novas equipes e mais!

Leonardo Contesini

Os super Mercedes: dez carros que explicam a filosofia insana da Brabus

Leonardo Contesini

Jetta e Cruze de cara nova, Velozes e Furiosos ganha atração em parque, o recall da Toyota e mais!

Leonardo Contesini