A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Pag Nick: este raro clássico brasileiro com motor de Gol GTi pode ser seu!

Já viu quanto está custando um Volkswagen Gol GTi – o modelo lançado em 1988, com “i” minúsculo? Não precisa procurar muito para achar exemplares em estado apenas razoável na casa dos R$ 20 mil, enquanto os melhores já estão encostando nos R$ 50 mil.

Se o seu sonho sempre foi um Gol GTi, isto significa que ele está um pouco mais distante do que há alguns anos. No entanto, o nosso Achado meio Perdido de hoje pode ser uma boa alternativa, especialmente (mas não apenas) por causa do preço: este PAG Nick, que tem praticamente o mesmo conjunto mecânico do célebre Volkswagen quadrado, está em ótimo estado e custa praticamente metade de um GTi.

12717899_1262269417120111_4472987927831255356_n

Como você deve saber, a Dacon foi uma famosa concessionária paulista que criava kits de modificação para os Volkswagen desde a década de 1960. Os modelos customizados pela Dacon recebiam visual inspirado nos VW europeus e americanos, além de acessórios e equipamentos que ajudaram a dar forma ao tuning de época brasileiro (como já comentamos neste post).

Em 1988, Paulo Goulart, fundador da Dacon, criou a Projects d’Avant Garde (“projetos de vanguarda”), ou simplesmente PAG. A ideia era aproveitar a experiência adquirida modificando carros para criar seus próprios modelos. O primeiro deles foi o PAG Nick, uma minicarro de dois lugares com interior luxuoso, motor potente e estilo bastante ousado.

12728902_1262269340453452_4402212849270851083_n

Quer dizer, há quem realmente não engula o visual dos fora-de-série brasileiros, mas não dá para negar que o Nick tem personalidade. A carroceria projetada por Anísio Campos aproveitava as portas e parte da estrutura da Volkswagen Saveiro, porém tinha a dianteira e a traseira encurtadas. A caçamba era fechada e se transformava em um porta-malas, e duas alças atrás da coluna “B” davam a impressão de se tratar de um hatchback.

Dacon Nick 1280

 

Foto: Paulo Keller

As lanternas eram do VW Quantum. O capô dianteiro recebia um “calombo” para acomodar a tampa de válvulas do motor – o VW AP de 1,6 litro e 81 cv.

14523265_1453711877975863_7912156350917369616_n

Em 1989, a PAG decidiu ampliar a linha oferecendo uma versão maior do Nick, agora um legítimo hatchback que usava o VW Voyage GLS como base. Agora, o Nick podia ter dois ou quatro lugares (nos modelos de dois lugares, os vidros laterais traseiros são menores, tornando-se um carro mais prático. No entanto, a maior e mais bem-vinda mudança foi a adoção do motor de dois litros com injeção eletrônica e 121 cv usado no Santana e no Gol GTi. Na prática, dá para dizer que o Nick era um hot hatch. E ele custava caro: segundo consta, o equivalente a quase mais de R$ 70 mil em valores atuais.

14495357_1453711841309200_4856186110887816460_n

Naturalmente, era um carro de nicho: a ideia original era fabricar 50 unidades por mês. No entanto, o alto preço acabou reduzindo este número a algo entre 150 e 200 unidades produzidas (ainda há discordâncias a respeito deste dado) até 1991. Para piorar, em 1990 as importações foram reabertas pelo governo Collor e, de repente, um carro exclusivo e muito mais caro feito no Brasil não fazia mais sentido: os importados custavam ainda mais, mas eram mais avançados, mais potentes, mais modernos e melhor equipados.

Com isto, ver um exemplar bem cuidado do Nick à venda é algo bastante raro. O carro em questão, branco, fabricado em 1989, está anunciado pelo nosso colega Mário Cezar Buzian, do Traga o Guincho, e está ótimo estado.

12729133_1262269487120104_5110387612235037061_n

Buzian diz que o carro pertence a um amigo, e está cuidando da venda. Segundo ele, o carro tem 111.000 km rodados, o que não é uma quilometragem exatamente baixa mas, em um “Volkswagen” de quase trinta anos, isto não é tão alarmante – afinal, trata-se de um conjunto mecânico para lá de conhecido, e de fácil manutenção. Mais preocupante seria a disponibilidade de componentes externos, como os vidros laterais e as peças de fibra de vidro da carroceria, mas estes estão em bom estado. A pintura ainda é original e, pelas fotos, está livre de maiores imperfeições.

12715626_1262267447120308_2694357515275230793_n

O mesmo pode ser dito do interior, que também é original (incluindo o revestimento de couro dos bancos) e traz ar-condicionado, vidros e travas elétricos, tudo funcionando. Detalhe para a plaqueta no painel, assinada pelo projetista Anísio Campos.

Considerando a raridade do modelo e sua íntima ligação com os Volkswagen da época, talvez estejamos diante de um negócio bem interessante: o valor pedido pelo Nick é de R$ 24.900, o que nos parece bem razoável para um colecionável neste estado.

Ficou interessado? Pode entrar em contato com Buzian pelo email [email protected], ou ligar para (51) 9258-7332.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial, tampouco de uma reportagem aprofundada. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

À venda: um raro Mini Cooper S 2.0 turbo com câmbio manual – e algumas melhorias

Dalmo Hernandes

Este bonito Ford Maverick Super Luxo marrom com motor V8 está à venda

Dalmo Hernandes

Honda CR-X Del Sol à venda: que tal um conversível com motor B16 de 160 cv na sua garagem?

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados