A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos GT40 Classificados Zero a 300

Perua ou sedã? Esta dupla de Honda Accord dos anos 90 está à venda

Você provavelmente conhece a fama de duráveis e robustos que os carros da Honda nos anos 1990 têm: bonitos, robustos e confortáveis. O Civic importado naquela época é o mais popular entre os entusiastas por sua personalidade esportiva. Mas o Accord, seu irmão maior, também tem tem seus fãs – maior, mais potente, mais confortável, ainda melhor acabado e muito bonito.

Sendo um carro mais caro, de um segmento superior, o Accord também é mais raro que o Civic. No GT40.com.br temos apenas estes dois – que, por acaso, são ambos de Minas Gerais e ambos da mesma geração, a quinta, fabricada entre 1994 e 1997. Um deles é um sedã, o outro é uma perua, os dois estão bem cuidados e pouco rodados, e nós vamos dar uma olhada neles agora!

img_69704_4_e4731322-814e-46a6-8ad7-30a5d48c6dab

O Honda Accord começou a desembarcar no Brasil logo que as importações foram liberadas, em 1990, vindo por empresas independentes. Vendo o sucesso que o modelo fazia, a Honda decidiu trazer a quinta geração, recém-lançada, em 1994, posicionando o modelo acima do Civic.

O Accord vinha em duas versões, a básica LX e a de topo EX, vindas dos Estados Unidos. Ambas eram equipadas com motores de 2,2 litros com potência de 130 cv e 145 cv, respectivamente – apenas o motor de 145 cv tinha comando viariável VTEC, só o Accord EX tinha de série equipamentos como teto solar e couro nos bancos.

img_69712_4_e4731322-814e-46a6-8ad7-30a5d48c6dab

Vamos ver o que estes dois carros têm em comum. São dois Honda Accord EX, ambos com motor 2.2 16v de 145 cv a 5.500 rpm e bons 20,3 mkgf a 4.600 rpm, com câmbio automático de quatro marchas. Ambos estão pouco rodados, parecem bem cuidados, e custam mais ou menos a mesma coisa.

O sedã verde metálico com interior bege foi fabricado em 1994. O carro pertence a Eduardo Godoy, de Belo Horizonte/MG e, segundo o dono, tem apenas 66.000 km rodados. Eduardo diz que comprou o carro de seu primeiro dono em 2015, quando o hodômetro marcava 56.000 km. Ele conta que o carro tinha apenas alguns retoques na pintura mas, fora isto, era todo original.

img_69764_4_e4731322-814e-46a6-8ad7-30a5d48c6dab

img_69760_4_e4731322-814e-46a6-8ad7-30a5d48c6dab img_69756_4_e4731322-814e-46a6-8ad7-30a5d48c6dab

Tendo rodado cerca de 10.000 km desde então, ele conta que fez todos os serviços de manutenção de praxe, como a troca das correias de sincronização e do eixo balanceador, pastilhas de freio, velas e cabos, fluidos e filtros, além do retentores do motor e das juntas do cárter e das tampas de válvulas. Ele também mandou recarregar o gás do sistema de ar-condicionado. Os pneus também são praticamente novos.

O carro parece bem conservado por fora e por dentro. O dono mandou fazer um jogo de tapetes de couro, na mesma cor creme do revestimento dos bancos, enquanto os demais itens de acabamento são 100% originais, de acordo com Eduardo. O carro ainda acompanha o manual do proprietário, registros de serviços de manutenção realizados em concessionária e a chave reserva.

img_69772_4_e4731322-814e-46a6-8ad7-30a5d48c6dab

Curtiu o sedã e quer saber mais sobre este carro? É só clicar aqui para acessar o anúncio e pegar todos os detalhes com o dono, que diz que estuda trocas.

Agora, se você gosta mesmo é de uma perua…

img_14632_4_0551355a-94c9-47a2-abe5-61b9cd2fb8a5

O Accord wagon branco é um exemplar de 1995 e também é pouco rodado, com apenas 44.000 km segundo o dono, Daniel Cruz. Ele também procurou um carro íntegro, e encontrou um exemplar que estava na mesma família havia 12 anos – e não rodava já fazia dois anos. O Accord estava sujo e com alguns ralados nos para-choques e passou por uma restauração completa nas mãos de Daniel, nos padrões originais. Uma das poucas concessões foi a troca dos piscas dianteiros, que agora são cristal em vez de âmbar.

img_14628_4_0551355a-94c9-47a2-abe5-61b9cd2fb8a5 (1)

O carro foi desmontado e lavado (processo durante o qual foi constatou-se que o Accord nunca foi batido, e nem apresentava sinais de corrosão), o interior revestido em tecido cinza foi higienizado por completo. Daniel comenta que qualquer peça que apresentasse sinal de desgaste foi trocada, o que inclui (mas não se limita) a buchas de suspensão; pastilhas e discos de freio; lâmpadas internas e externas; faróis, juntas e retentores do motor. O sistema de injeção também foi revisado, e Daniel diz que seu funcionamento é perfeito. Filtros e fluidos foram trocados, e o dono garante que tudo com componentes originais Honda.

img_14588_4_0551355a-94c9-47a2-abe5-61b9cd2fb8a5img_14644_4_0551355a-94c9-47a2-abe5-61b9cd2fb8a5 img_14580_4_0551355a-94c9-47a2-abe5-61b9cd2fb8a5

Daniel diz que o carro foi montado sem poupar gastos, para ficar com ele por muito tempo. No entanto, uma mudança de apartamento com garagem menor lhe obriga a desfazer-se da perua. Ele acrescenta que há mais de 100 fotos que documentam todo o processo de restauração a quem se interessar.

img_14640_4_0551355a-94c9-47a2-abe5-61b9cd2fb8a5

Da mesma forma, quem quiser saber mais pode clicar aqui e pegar os contatos do dono.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

 

Matérias relacionadas

Um legítimo Renault 5 Turbo do Grupo B de rali à venda é algo raro de se ver

Dalmo Hernandes

O dicionário Inglês-Português de termos automobilísticos do FlatOut – Parte 2 de 3

Leonardo Contesini

Os games de corrida mais bacanas do PlayStation 2 – parte 2

Dalmo Hernandes