Pesos pesados: quando os SUVs vão para a pista

Dalmo Hernandes 6 junho, 2017 0
Pesos pesados: quando os SUVs vão para a pista

Quem compra um utilitário geralmente não tem a intenção de levá-lo para a pista – mesmo que seja um utilitário esportivo, ou SUV. Eles costumam ser comprados para trabalho, diversão off road ou, sejamos francos, apenas para levar as crianças para a escola e passear no asfalto. Não somos nós que estamos dizendo isto, você sabe muito bem que é verdade.

Acontece que o fato de um veículo não ter sido feito para acelerar em um circuito não o impede de acelerar em um circuito. E isto também vale para os SUVs, como vamos mostrar nesta coletânea de vídeos que, por mais “errados” que pareçam, são bastante interessantes de assistir. Especialmente se considerarmos que alguns SUVs atuais se sentem bem mais à vontade que outros no autódromo.

 

Um track day em um Hummer H1

O Hummer H1 é o legítimo herdeiro civil do HMMWV, ou Humvee, veículo militar feito pela AM General para o exército americano. Ele tem a mesma construção básica e as linhas de sua carroceria são bem fiéis às do jipe de combate, e suas capacidades off road são reais – o motor V8 Detroit Diesel de 6,2 ou 6,5 litros, com até 172 cv, o câmbio automático de três ou quatro marchas com reduzida, pneus lameiros, suspensão elevada e tudo o mais. No asfalto, porém, os 3.091 kg cobram seu preço. Doug Demuro, dono deste H1, precisou da ajuda de um instrutor para domar o brutamontes no asfalto.

Ele parece ter curtido a brincadeira, pois também levou seu Hummer H1 para uma pista de arrancada, onde cumpriu o quarto-de-milha em… 22 segundos, a 100 km/h. É…

 

SUVs em Nürburgring

O Hummer H1 é um SUV esportivo se o seu esporte foi atravessar trilhas, mas há SUVs esportivos realmente capazes de se virar razoavelmente bem no asfalto. E, quando você tem um destes e mora na Alemanha, é questão de tempo até que decida levá-lo para a Meca dos entusiastas – sim, Nürburgring Nordscheife.

Dito isto, para pilotar em Nürburgring você precisa saber o que está fazendo – seja com um carro esportivo como, digamos, um Mazda MX-5 Miata ou um hot hatch turbinado de 300 cv; seja com um utilitário. Aliás, especialmente com um utilitário. Por mais que alguns tenham suspensão mais baixa, pneus mais grudentos e motor mais potente, o centro de gravidade ainda é alto e eles ainda são pesados. É por isto que você não pode fazer como o dono do deste Honda CR-V, que entrou em uma curva empolgado demais, perdeu o controle e capotou de forma assustadora.

O mesmo pode ser dito deste Aud SQ7. Apesar do conjunto mecânico voltado para a esportividade no asfalto, com um V8 TDI de quatro litros e 435 cv, tração integral, suspensão mais rígida e pneus largos de perfil mais baixo, não há veículo a prova de frenagens atrasadas demais e um pé direito descontrolado. Especialmente no karussel de Nürburgring.

 

Arrancada de super SUVs: Range Rover Sport Autobiography vs. Bentley Bentayga

E se dois dos SUVs mais caros e potentes do planeta disputarem uma prova de arrancada? Esta foi a pergunta que o pessoal do Auto Express quis responder e, para isto, os caras colocaram um Bentley Bentayga, dono de um motor W12 biturbo de seis litros e 608 cv, para acelerar lado a lado com um Range Rover Sport Autobiography e seu V8 supercharged de cinco litros com 510 cv.

O Bentley pesa 2.440 kg, enquanto o Range Rover tem 2.453 kg, e ambos têm câmbio automático de oito marchas. A corrida durou um quilômetro e foram medidos os tempos de 0-50 km/h, 0-100 km/h e 0-160 km/h. Não vamos dizer quem venceu, mas ficamos surpresos com o desempenho dos dois.

 

BMW X5M: nem parece um SUV

Os dois ingleses aí em cima fazem o BMW X5 M parecer mundano, mas é só impressão: o utilitário é um dos que mais se dão bem ao fingir que é um esportivo de pista, como o vídeo acima deixa bem claro. A suspensão rola pouco, as curvas são feitas com bastante desenvoltura, e o ronco do V8 biturbo de 4,4 litros com 575 cv (acoplado a uma caixa automática de oito marchas) é uma agradável surpresa. O piloto diz que os 2.400 kg do X5M se fazem sentir, especialmente nas frenagens antes das curvas mas, fora isto, também se surpreendeu.

Boa parte do bom desempenho se deve ao conjunto de suspensão, que traz buchas mais firmes, molas mais duras, geometria revisada nos braços triangulars superiores e uma redução de 10 mm na altura do utilitário em relação ao solo, além de amortecedores com ajuste pneumático ativo.

Sabine Schmitz, o Grand Cherokee SRT8 e Nürburgring Nordschleife

Em 2012, Sabine Schmitz já tinha dado mais de 30.000 voltas em Nürburgring. Por esta razão, ela foi escolhida pela SRT para testar o Jeep Grand Cherokee SRT8, equipado com um V8 Hemi de 6,4 litros e 470 cv, no Inferno Verde. O tempo da rainha? Nada mais que 8:49. Como comparação, o Porsche Cayenne GTS com Walter Röhrl ao volante fez em 8:50 em 2008, e o Range Rover Sport V8 Supercharger com Paul Wijgaertz fez em 8:55.00 em 2010.

A marca não impressiona somente quando comparada a outros SUVs: ela é mais baixa que a de hot hatches como o Golf GTI Mk5 DSG (8:53) ou o Ford Focus ST Mk2 (8:51).

 

O mais rápido de todos no Inferno Verde

Difícil é encerrar esta compilação sem falar do SUV mais velos em Nürburgring (até agora): o Alfa Romeo Stelvio, que tem a cara e o motor V6 biturbo do sedã Giulia, de 2,9 litros e 510 cv, virou 7:59 no circuito alemão. O ronco do motor é bem empolgante — afinal, estamos falando de um V6 biturbo desenvolvido pela Ferrari —, e a velocidade com que o piloto contorna certas curvas te faz esquecer que se trata de um SUV.

É claro que um SUV destes, que tem o porte do Porsche Macan (outro SUV que se sai muito bem no circuito), dificilmente será usado fora da estrada e é quase uma trapaça na pista, com seu câmbio automático capaz de realizar trocas em 150 milissegundos e pneus 235/55 calçando rodas de 19 polegadas. Mas e daí?