A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Petrobras anuncia nova redução nos preços da gasolina e do diesel

Enquanto corríamos de cima para baixo no Salão do Automóvel, a Petrobras anunciou mais uma redução nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias. Desta vez a queda dos preços será ainda maior: 3,1% para a gasolina e 10,4% para o diesel. Segundo a Petrobras, se as distribuidoras repassarem a redução para os postos, o preço do diesel poderá cair R$ 0,20 e o da gasolina R$ 0,05.

Ainda de acordo com a Petrobras, o reajuste dos preços se deve à nova política de preços da estatal, que permite a variação de acordo com a cotação do petróleo no mercado internacional. Como o preço do petróleo baixou em relação a outubro, a estatal repassou a redução para as refinarias.

Este é o segundo reajuste nos preços dos combustíveis em menos de um mês. O primeiro aconteceu no dia 14 de outubro, quando a Petrobras anunciou uma redução de 3,2% no preço do diesel e 2,7% no preço da gasolina. A estatal estimava uma redução de R$ 0,05 nas bombas, o que não aconteceu devido ao aumento do álcool anidro adicionado à gasolina, segundo a associação dos postos de combustíveis de São Paulo.

Desta vez, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo, José Alberto Paiva Gouveia, disse ao jornal “Folha de S. Paulo” que é preciso ter cautela antes de falar em reduções, pois será preciso antes observar os preços praticados pelas distribuidoras.

Como havíamos noticiado há pouco mais de um mês, estas são as primeiras reduções nos preços dos combustíveis desde 2009. A intenção da nova política de preços é uma forma de atrair investimentos no setor de refino. A antiga política de preços, que mantinha os preços congelados independentemente da cotação do petróleo, desestimulava os investimentos devido à possibilidade de prejuízos, caso os preços para o mercado interno fossem mantidos abaixo da cotação internacional do petróleo — o que aconteceu durante alguns períodos entre 2009 e 2014 e resultou no endividamento da Petrobras.

Matérias relacionadas

São Paulo terá 40% mais radares e espera arrecadação de R$ 1,2 bilhão em 2014

Leonardo Contesini

Valentino Rossi, piloto de rali: quando o Rei do MotoGP encara as quatro rodas

Dalmo Hernandes

Assustador: este carro recebeu zero estrela no crash test do Global NCAP

Dalmo Hernandes