FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #420

Peugeot 306 Rallye: um pequeno reparo e as primeiras modificações do Project Cars #420

E ae, galera! bem-vindos ao segundo capítulo da histório do Uataréu. Este post será bem mais longo que o outro e nele vou tentar passar um pouco das minhas experiências com o DIY. Gostaria de salientar que todas as constatações são de alguém que nunca havia feito nada por conta própria, então, vocês terão que fazer vista grossa pras gauchadas que eu fiz!

Não sei se alguém percebeu, mas a minha maconha tem o número da maconha.. digita aí #420 no Google, coincidência? isso é o que eles querem que a gente pense.

Buenas, para quem não leu o primeiro post eu terminei comentando sobre um curso de Repintura Automotiva que eu fiz. Na minha cabeça, era o que eu precisava pra começar a restaurar o PUG, só faltavam as ferramentas. Tudo que eu tinha em casa era uma chave de fenda, que algum dia alguém usou pra misturar um balde de tinta, um martelo e um alicate universal apelidado carinhosamente de “moedor de fios”. Durante o curso, fiquei de olho nas bancadas de ferramentas dos mecânicos pra ter uma idéia do que eu deveria comprar, a outra parte da lista surgiu das ferramentas utilizadas nos tutoriais do Youtube.

 

Compra das ferramentas

Do dinheiro que havia guardado para começar a obra, haviam sobrado aproximadamente R$ 2.000,00, este seria utilizado para comprar desde fita isolante até uma máquina de solda. A única extravagância desta lista foi a máquina de solda, eu não precisava dela porque o único trabalho que ela realizaria seria a solda da barra tranversal, que é a barra onde o radiador é apoiado entre as duas longarinas, mas como a idéia era ser 100% DIY… botão do foda-se!

Então comecei a pesquisar sobre solda, sim pesquisar, porque eu não sabia nada sobre elas.O mais próximo de soldar que eu havia feito até o momento era unir duas folhas com Tenaz, então a busca foi mais ou menos assim: digitar solda no google tradutor -> digitar welding no youtube -> ver qual modelo era mais fácil de usar. Encontrei algumas máquinas MIG (Metal InertGas) para hobbystas com arames sem gás, uma espécie de eletrodo revestido que ao ser “derretido” liberava um gás automaticamente. Essas máquinas não precisavam daquele cilindro enorme de gás, que serve para criar uma àrea de proteção no ponto onde será soldado e para iniciar a soldar era só só prender a garra do terra e apertar o botão da tocha, fácil demais.

ferramentas

As ferramentas começaram a chegar, quase todas compradas na lojadomecanico.com.br e dutramaquinas.com.br, duas lojas muito boas diga-se de passagem. Nessa época começou a bater uma certa desconfiança em alguns familiares, eu tinha gastado todo o dinheiro que tinha  no curso de repintura e nas ferramentas e o carro continuava atirado em uma garagem. Certamente, muita gente pensou que as ferramentas ficariam pegando pó junto com o Peugeot.

Então, enquanto não comprava as peças do peugeot, exercitei meus dotes mecânicos no Fusca: troquei a carburação, instalei uma ignição eletrônica, escape 4×1, refiz todos os freios e instalei um alternador, rebaixei, pintei as rodas etc… Foi um baita laboratório, aprendi muita coisa com ele e certamente, me deu muito mais confiança pra trabalhar no Peugeot.

Outra coisa que me ajudou demais foi esse fórum com certeza salvou um 306. A dica mais importante que eu posso dar pra alguém que vai comprar um carro que precisa de “cuidados especiais” é participar de um grupo como esse, os tutoriais e dicas que eu peguei lá foram valiosíssimos. Pra quem tiver interesse, vale a pena se cadastrar no Service Box da Peugeot, dica do 306brasil, lá é possível consultar com o número do chassi, todos os códigos de peças e os desenhos das mesmas ajudam a identificar o procedimento correto de montagem e aquele anel de vedação ou parafuso, que com certeza faltaria na hora de botar a mão na massa.

 

Compra das peças

Lembram dos orçamentos que eram muito caros? Tinha um motivo. Fui até a Peugeot da minha cidade, Champs Elysees, fazer um orçamento dos itens que eu havia identificado no Service Box:

Código Item                                                          Valor

7901H1 CAPOT DO MOTOR 306 N                   – R$ 1.530,41

7401X7 PARA CHOQUE DIANTEIRO                 – R$ 908,60

6204V7 FAROL COMPLETO                               – R$ 830,40

6205V7 FAROL COMPLETO                               – R$ 842,54

7810A6 FRISO ESQ                                – R$ 31,98

7810A7 FRISO DIR                       – R$ 32,00

7810A8 EMBLEMA                   – R$ 135,93

7804G4 GRADE DIANTEIRA                               – R$ 130,09

7414K3 GRADE PARA PEDRAS                          – R$ 164,21

6204V9 FAROL NEBLINA ESQ                            – R$ 319,94

6205V9 FAROL NEBLINA DIR                             – R$ 319,94

1308H4 DEFLETOR RADIADOR                         – R$ 305,53

125387 CONJUNTO MOTOVENTILADOR        – R$ 1.299,96

1331AX RADIADOR                                            – R$ 1144,31

6455AV CONDENSADOR                                   – R$ 1022,15

720941 TRAVESSA TRANVERSAL                     – R$ 192,00

7136F5 P.BARRO DIAN.ESQ                             – R$ 52,60

7136F6 P.BARRO DIAN.DIR                              – R$ 52,60

Total R$ 8915,00

Pronto, ferrou tudo de novo, vou mandar pro moedor esse carro

Fiquei apenas com alguns itens desta lista,  para choque, frisos, emblema, grade dianteira, defletor do radiador, travessa e para barros. Os outros itens foram comprados em lojas de paralelos: htslatarias.com.br e toulouseimport.com.br. Apenas para fins de comparação, paguei R$ 540,00 no radiador novo e R$ 119,00 nos faróis de neblina na HTS.

Os faróis foram comprados na tunningimports.com.br, é um modelo da Junyan com projetores, LED Diurno e Angel Eyes custaram R$ 760,00 e deram outra cara pro carro! Muito bem contruídos e embalados, os LED’s estão funcionando até hoje.

A única peça que ainda não havia comprado era o capô, impossível de conseguir em desmanches já que é a primeira peça a ser danificada em uma colisão e pelo valor da CC não dava pra levar. Foi aí que eu descobri que, com o número da peça em mãos eu poderia consultar o valor de venda sugerido ao consumidor final no site da Peugeot e o valor do capô era de apenas R$ 800,00…. Eu já tinha levado ferro com todas as peças que eu havia comprado mas o capô não ia passar! Mandei um e-mail caprichado pro SAC da Peugeot Brasil explicando a situação. Recebi uma resposta logo em seguida e não muito depois, um contato do gerente de peças da Champs Elysees (CC de Lajeado), ele me explicou que haviam identificado uma falha no cadastro do produto e que o valor correto à vista era de R$ 790,00.

Constatações à parte, vale a pena salientar que a Champs Elysees tem o melhor atendimento ao consumidor que eu já vi, eu troquei mais de 100 mensagens por e-mail e fui dezenas de vezes até lá, sempre fui muito bem atendido, como se estivesse comprando um carro zero.

 

DIY Mecânica

Iniciando o DIY propriamente dito, meu primeiro objetivo era arrumar a parte estrutural do carro, então comecei removendo as peças danificadas, furando os pontos de solda originais e assim retirando o quadro dianteiro frontal, que é composto pelas peças em formato de triângulo (suporte) e a barra tranversal. Fiz o melhor que pude tentando desentorar os suportes e prendi a barra tranversal com presilhas plásticas. Tirei várias medidas da frente do carro usando alguns pontos como referência pra tentar “gabaritar a frente” e não deixar nada torto:

Então tive que usar a MIG, comprei o modelo MIG 130 da Leetools, que veio com arame revestido de 0,9mm, a regulagem da máquina fiz com base nos vídeos do Youtube, mas sinceramente… não tinha a mínima idéia do que estava fazendo. A realidade doeu, soldar era mais difícil do que parecia:

expectativa

Mas ficou forte! Função > forma. Continuei a montagem sem maiores problemas, cada dia que trabalhava no carro tirava alguns kilos das costas. Os faróis ficaram muito legais:

Durante a reforma eu identifiquei vários problemas na suspensão do carro, então dei uma geral nela: instalei pivôs das bandejas novos R$ 45,00 un, bandejas novas R$ 235,00 cada, terminais de direção R$ 35,00 un, buchas em PU da AJ Buchas R$ 220,00 (jogo), coxim superiores dos amortecedores R$ 55,00 un, strut bar que foi viabilizada por um groupbuy do clube 306brasil e amortecedores recalibrados que eu adquiri no Fiegenbaum Rodas e Pneus na minha cidade, comprei um jogo de rodas 16” do Peugeot 308 na mesma loja e montei elas em pneus Jinyu YH12 195/50R16.

Pra fechar o conjunto faltam as molas do Xsara VTS, elas são um pouco mais duras e por consequência acabam levantando um pouco a frente do carro, mas quando os amortecedores foram montados já pensamos nisso e baixamos a posição dos pratos onde elas ficam apoiadas. E a sway bar da Peugeot Partner que é 3mm mais grossa, parece pouco mas se vocês usarem a fórmula para calcular a rigidez da barra, esses 3mm representam mais de 100% de ganho!

Antes de colocar o carro pra andar consegui resolver um problema antigo, acontecia com frenquência nos 20 dias que sucederam o acidente, ele esquentava com muita facilidade e não teve oficina que resolvesse. Com a troca do radiador aproveitei para trocar a termostática (R$ 74,43) e todas as vedações das mangueiras, quando fiz a sangria do sistema de arrefecimento encontrei um parafuso “oco” torx na caixa onde a termostática é fixada, problema resolvido graças à um diagrama do servibox.

Terminei instalando o capô e colocando o carro para rodar. Mesmo depois de quase dois anos parado só precisei drenar o tanque, trocar o filtro de combustível e bater a chave, o carro ligou! Nesse dia, muito quente por sinal, correu uma gota de suór hétero do meu olho, foi emocionante.

Encerro o segundo capítulo, até aqui, se passaram aproximadamente quatro anos desde a compra do carro e apenas 1 ano com ele andando. A vontade de ver ele pronto era cada vez maior

foto21

Por Felipe Albuquerque de Almeida, Project Cars #420

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #407: novas rodas, mais freios e mais potência para meu Subaru WRX

Leonardo Contesini

Project Cars #110 – como é a manutenção de rotina do BMW 130i manual?

Leonardo Contesini

Project Cars #466: a história do meu Lada Laika comprado por R$ 3.000 para o dia-a-dia

Leonardo Contesini