A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Placas Mercosul adiadas para 2020, Renault Arkana não virá para o Brasil, SSC Tuatara em produção e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Placas do Mercosul são adiadas mais uma vez

Estreou nesta sexta-feira (28) a quarta temporada da novela “Placa do Mercosul”. Neste primeiro capítulo, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) anunciou mais um adiamento para a adoção das placas, que prorrogou o prazo para 31 de janeiro de 2020. É a quinta vez que o processo é adiado.

Conforme havíamos noticiado em maio, os Detran das 20 UF que ainda não haviam implementado o novo sistema entregaram ao Denatran um relatório solicitando o aumento do prazo para 31 de dezembro de 2019. Agora, o Contran revogou a resolução que obrigava a adoção até 30 de junho e editou uma nova resolução com o novo prazo e algumas alterações no processo de substituição das placas.

A principal mudança é que as placas serão obrigatórias apenas para veículos novos ou em casos de mudança de cidade e substituição por dano ou furto. Se o carro for transferido de propriedade em um mesmo município, ele poderá manter a placa cinza. Segundo o governo, essa mudança evitaria um gasto de R$ 3,4 bilhões em transferências pagas pelos compradores.

Outra mudança aconteceu nas regras de credenciamento de estampadores e fabricantes para aumentar a concorrência como forma de reduzir o preço do novo modelo. Atualmente há 21 fabricantes e 1.300 estampadores em todo o país.

Até agora somente Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte  Rio Grande do Sul adotaram o novo padrão, o que corresponde a aproximadamente 2 milhões de veículos — ou 2% da frota nacional. (LC)

 

Renault Arkana não será vendido no Brasil

Previsto para este ano, o lançamento do Renault Arkana no Brasil não vai acontecer. A marca chegou a estudar a viabilidade de oferecer o modelo por aqui, mas acabou desistindo. A apuração é do jornalista Fernando Calmon. Segundo suas fontes, a marca já havia decidido no ano passado que não iria lançar o carro no Brasil.

O modelo estava cotado para ser o novo modelo de topo da Renault, substituindo o Fluence. Com a desistência, a Renault irá manter sua linha brasileira com ela é hoje, com o Kwid na base, os novos Sandero, Logan e Duster como intermediários e o crossover Captur no topo. (LC)

 

Chevrolet Trailblazer 2020 chega em versão única, custa a partir de R$ 193.190

A Chevrolet anunciou nesta semana a linha 2020 da Trailblazer, seu SUV de topo. Agora, ela só será vendida na versão Premier – até agora, ainda havia Trailblazer mais acessível, a LTZ. Agora, quem quiser um utilitário mais barato terá de se contentar com o Equinox, que parte de R$ 149.890.

São duas as opções de motorização, sempre com câmbio automático de seis marchas. Com o motor V6 a gasolina de 3,6 litros, 279 cv e 35,7 kgfm de torque, ela custa R$ 193.190. Já com o motor 2.8 turbodiesel de 200 cv e 51 kgfm de torque, são R$ 235.990. Em ambos os casos houve acréscimo de preço em relação à linha 2019 – o modelo a gasolina ficou R$ 3.300 mais caro, enquanto a versão a diesel agora custa R$ 4.000 a mais.

Com qualquer um dos motores, a Trailblazer Premier vem equipada com airbags frontais, laterais e de cortina; controle eletrônico de estabilidade e tração; bancos de couro, sendo que o do motorista vem com ajustes elétricos; alerta de colisão frontal; detector de ponto cego e alerta de mudança de faixa; câmera de ré; sensores de chuva e crepuscular; alerta de colisão frontal; e partida remota. São sete as opções de cor: Vermelho Edible Berries, Preto Ouro Negro, Cinza Graphite, Branco Summit, Prata Switchblade e Vermelho Chili. (DH)

 

Bentley Continental GT conversível ganha edição especial em homenagem a clássico da década de 1930

Em 1932, o piloto Tom Birkin – vencedor das 24 Horas de Le Mans e um dos “Bentley Boys”, foi até o circuito de Brooklands com seu Bentley Blower (equipado com um motor de 4,5 litros com supercharger)e atingiu os 220 km/h, um recorde de velocidade para a época que ficou de pé por dois anos. Agora, em 2019, a Bentley anunciou o Continental GT Convertible Number 1 Edition by Mulliner, edição especial em homenagem ao feito de Birkin – e a seu carro.

Para isto, o Continental GT recebe pintura especial em vermelho Dragon Red II ou preto Beluga, com teto de lona em vermelho Claret ou preto Beluga. Por fora, ele também vem com o número “1” pintado na grade (o mesmo número do Bentley Blower), emblemas folheados a ouro nos para-lamas dianteiros e rodas de 22 polegadas com pintura vermelha nos carros pretos, e preta nos carros vermelhos.

Por dentro, há um pequeno adorno no centro do painel – a réplica de uma calotinha central da Bentley, feita com o metal dos pistões do Bentley Blower. O revestimento dos bancos e portas pode ser em couro preto Beluga ou roxo Cricket Ball. O painel de instrumentos tem acabamento em madeira Grand Black, com botões de ouro 18-quilates, enquanto o volante e a alavanca de câmbio são forrados em Alcantara.

Mecanicamente, o Bentley Continental GT Convertible Number 1 Edition by Mulliner não traz alterações – não que fosse necessário: ele é movido por um motor W12 biturbo de 635 cv, acoplado a uma caixa de dupla embreagem e oito marchas, capaz de levar o conversível de zero a 100 km/h em 3,7 segundos. (DH)

Aston Martin Rapide não deve deixar sucessor

A Aston Martin acabou de revelar a versão elétrica de seu sedã esportivo de luxo, o Rapide-E, mas o futuro do modelo não é muito promissor. De acordo com o site australiano Motoring, o Rapide a gasolina deixará de ser produzido assim que o SUV DBX for lançado, ainda em 2019.

Os aussies falaram com Andy Palmer, o presidente da Aston Martin. Segundo ele, a expectativa é alta para o primeiro SUV da companhia – 5.000 unidades serão fabricadas por ano, e mesmo que a demanda aumente, a produção continuará no mesmo ritmo para manter a exclusividade e garantir excelência em qualidade de construção. Com isto, o DBX tomará o lugar do Rapide como o modelo “de volume” da Aston Martin.

Mais adiante, em 2023, o crossover Lagonda – que foi apresentado recentemente como conceito – tomará o lugar do elétrico Rapide-E. De acordo com Palmer, a partir daí, serão fabricados 4.000 do DBX por ano, e 3.000 do Lagonda. (DH)

 

SSC Tuatara começou a ser produzido

A SSC vem exibindo o Tuatara desde 2011, mas somente agora começou a produção de seu novo hipercarro. A empresa confirmou que a primeira unidade vai sair da fábrica no terceiro trimestre de 2019 e terá produção limitada de 100 unidades.

O Tuatara tem a missão de quebrar o recorde de velocidade máxima do Koenigsegg Agera RS, que atingiu 447,19 km/h. A SSC está confiante de que o Tuatara tem capacidade de ultrapassar a marca de 482 km/h (300 milhas por hora), mesma promessa que a Hennessey fez para o F5.

O SSC Tuatara usa um V8 5.9 biturbo que produz 1.368 cv quando abastecido com gasolina de octanagem 91 RON e 1.774 cv quando abastecido com E85. O motor é feito de alumínio billet e tem corte de giro a 8.800 rpm. O carro pesa 1.247 kg a seco e usa uma transmissão automatizada de sete velocidades. (ER)

 

Chefe da Audi Sport quer manter o V10 aspirado na próxima geração do R8

O chefe da Audi Sport, Oliver Hoffmann, declarou que está lutando para manter o motor V10 aspirado na próxima geração do R8. Hoffmann disse que a equipe de desenvolvimento do R8 está trabalhando em conjunto com a Lamborghini, o fabricante italiano já declarou que não vai abandonar os motores aspirados.

O desafio para a Audi Sport é o crescente investimento da Audi em veículos elétricos, o que vai contra os planos de manter o R8 movido apenas por um motor à combustão. Hoffmann não descarta a opção de um R8 V10 híbrido, provavelmente usando o motor elétrico para compensar a falta de torque do motor aspirado em baixas rotações. (ER)

 

Honda anuncia recall de 27.500 veículos

A Honda está repetindo o recall para troca de airbags defeituosos da Takata usados em seus modelos produzidos entre 2000 e 2008. Não se trata de um reforço, mas de uma nova falha nos airbags.

Segundo a Honda, o recall envolve alguns dos veículos já convocados anteriormente para substituição do airbag. No primeiro chamado o problema era a produção do insuflador, mas agora o caso é a possível degradação do componente químico dos insufladores devido à umidade e temperatura, que pode levar à fragmentação do insuflador e à projeção de estilhaços metálicos.

Os modelos envolvidos foram os nacionais Civic e Fit e os importados Accord e CR-V fabricados entre 2000 e 2008. Os proprietários de modelos produzidos neste intervalo devem consultar a fabricante pelo site www.honda.com.br/recall. (LC)

Matérias relacionadas

Governo suspende radares móveis, Bugatti EB110 vazou antes do lançamento, o novo Dodge Daytona e mais!

Semana Família Gol no GT40: Saveiro, Voyage e Parati também anunciam na faixa até terça que vem!

Juliano Barata

Alfa Romeo apresenta 4C Spider, Rússia proíbe transsexuais de dirigir, os novos Mercedes AMG e mais!

Leonardo Contesini