A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Pontiac Catalina: este enorme cupê V8 dos anos 1960 está à venda no Brasil

Para muitos entusiastas, a segunda metade da década de 1960 foi a era de ouro da indústria automobilística nos Estados Unidos. E é fácil entender o motivo: naquela época, as fabricantes encheram as ruas de cupês com motor V8 – e não falamos apenas dos muscle cars, que eram explicitamente criados com o propósito de serem velozes e descolados. Simplesmente todos os segmentos, dos compactos e baratos aos grandes e luxuosos, tinham seu cupê V8. E isto era incrível, mesmo que no fim do dia fosse mais uma questão de aproveitar ao máximo as plataformas e motores que havia na prateleira.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Assim, o universo dos cupês norte-americanos V8 é bem maior do que o dos medalhões – Ford Mustang, Chevrolet Camaro, Dodge Challenger, Dodge Charger, Pontiac GTO. Existem outros, menos conhecidos, que também podem ser carros colecionáveis interessantes.

Quer um bom exemplo? Nosso Achado meio Perdido de hoje, um Pontiac Catalina 1968. Ele era feito sobre a plataforma B da GM, a mesma do Chevrolet Impala, por exemplo, mas tinha uma proposta mais refinada e luxuosa.

O nome Catalina, embora mais desconhecido fora dos EUA, foi usado por bastante tempo: a primeira vez foi em 1950, denominando um acabamento específico do Pontiac Chieftain hardtop, com teto pintado de branco e sem coluna “B”, garantindo uma cabine arejada e bem equipada sem a necessidade de uma capota removível. Foi assim por nove anos, até que em 1959 a Pontiac decidiu abandonar o nome Chieftain – foi assim que o Pontiac Catalina se tornou um modelo próprio.

O exemplar anunciado no GT40 pertence à terceira geração, lançada em 1965 – a primeira a apresentar uma identidade visual totalmente nova, com perfil “garrafa de Coca-Cola” e elementos estéticos visivelmente inspirados no Pontiac GTO – que, como sabemos, tecnicamente foi o primeiro de todos os muscle cars. Isto posto, a terceira geração do Catalina foi fabricada entre 1965 e 1970, e a cada ano a Pontiac dava a ele um visual novo, como era costume naquela época por demanda do público.

 

No ano-modelo de 1968, por exemplo, a Pontiac deu ao Catalina uma dianteira completamente nova, abandonando os faróis “empilhados”, alojados nas extremidades, e adotando faróis duplos horizontais na parte de dentro da grade – esta, por sua vez, ladeada por um para-choque cromado em todo seu perímetro, em um elemento de estilo mais popular no fim da década de 1960.  Uma curiosidade: o Catalina era um dos maiores modelos vendidos pela GM. Em 1968, ele tinha 5.499 mm de comprimento, 2.027 mm de largura e 3.073 mm de entre eixos, pesando pelo menos 1.810 kg.

O Pontiac Catalina, como outros modelos da marca, era oferecido com o motor V8 próprio da Pontiac – no caso deste exemplar, com deslocamento de 389 pol³ (6,4 litros), dupla carburação, 294 cv e 59,1 kgfm de torque. O câmbio era automático de três marchas.

O exemplar em questão está anunciado no GT40 pela Vintage Garage Curitiba, de Bird Clemente Jr. De acordo com ele, o carro está muito bem conservado, com painel de instrumentos original, bem como os revestimentos das portas e vidros. Bancos e teto tiveram o revestimento refeito no padrão de fábrica. A estrutura, de acordo com Bird, também está muito íntegra, com exceção de alguns pontos de ferrugem superficial nas laterais inferiores. A pintura traz alguns pontos onde o verniz está descascando e riscos – danos discretos, que um bom serviço de funilaria deve resolver.

Detalhes de acabamento interno e externo, como comandos para o motorista, faróis, lanternas e emblemas, são todos originais de fábrica.

Bird afirma que mecanicamente o Pontiac está em dia, tendo sido realizada uma revisão recentemente, incluindo sistema de suspensão e freios – obviamente, na compra de qualquer carro antigo é importante verificar todos os sistemas do carro e garantir que está tudo conforme o anunciado

Caso tenha se interessado, você pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do vendedor.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Que tal levar para casa este Ford Escort XR3 bonito e bem cuidado – e por um preço bacana?

Dalmo Hernandes

Quer um importado anos 90? Este Chevrolet Tigra está à venda

Dalmo Hernandes

Que tal este Chevrolet Corvette C4 com câmbio manual que está à venda no Brasil?

Dalmo Hernandes