A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Procurando um bom esportivo nacional? Então dê uma olhada neste Kadett GSi

O Chevrolet Kadett foi vendido no Brasil por nove anos, de 1989 a 1998 — período mais do que suficiente para conseguir presença marcante nas ruas e também dar origem a um esportivo bastante admirado por muitos entusiastas: o Kadett GSi — como este que encontramos à venda, bem conservado e por um preço que não vai te abrir um rombo no bolso.

Uma das marcas do Kadett é seu design aerodinâmico e sólido — um carro com a cara dos anos 90, mesmo tendo sido lançado em 1984 na Europa. Cinco anos depois ele chegava ao Brasil, vindo a ocupar um segmento que pertencera ao Monza hatch com design mais moderno, porém a mesma mecânica robusta e consagrada — o Família II da Chevrolet, com deslocamento de 1,8 e dois litros.

kadett-1 (7)

Entre versões básicas e mais equipadas havia o esportivo GS. Com para-choques exclusivos, bancos Recaro, aerofólio e baixo coeficiente aerodinâmico (o Cx era apenas 0,30), o Kadett GS tinha bom desempenho para a época, indo de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos com máxima de 180 km/h. Mas foi no fim de 1991, já como modelo 1992, que a versão esportiva do Kadett atingiu todo seu potencial.

Para 1992, toda a família Kadett, incluindo a perua Ipanema, trocou os carburadores pela injeção eletrônica — monoponto nos modelos mais básicos, multiponto no GSi. Com isto, além do “i” no nome, o Kadett GSi ganhou 11 cv — agora eram 121 cv a 5.400 rpm e 17,6 mkgf de torque, suficientes para chegar aos 100 km/h em dez segundos cravados e atingir os 190 km/h de velocidade máxima.

kadett-1 (4)

O carro das fotos é um Chevrolet Kadett GSi preto fabricado em 1994 que, atualmente, está com seu terceiro dono. Apesar de não ser pouco rodado — o hodômetro marca cerca de 200 mil km —, o carro aparenta estar muito bem conservado e, segundo o proprietário, a aparência corresponde totalmente à realidade. Comprado em São Paulo em 1994, no ano de 2003 o carro foi para Campinas, onde permanece até hoje.

No ano de 2008 uma revisão completa no motor foi realizada, com diversos componentes trocados, e o dono diz que guardou as notas de todos os serviços realizados. Acompanham, também, o manual do proprietário e diversos outros documentos que comprovam o bom histórico do GSi. Desde então o carro rodou cerca de 40 mil km com o motor novo.

kadett-1 (3)

Há pouco mais dois meses o carro passou por um processo de recuperação de funilaria e pintura — segundo o proprietário, para recuperar marcas do tempo e do uso (afinal, são vinte anos) e também realizar alguns reparos no para-lama dianteiro, levemente danificado em um acidente de trânsito. “Mas nada que tenha comprometido a perfeição que ele está aparentando hoje”, diz o dono.

O interior, pelas fotos, corresponte à altura: o tecido dos bancos Recaro e das portas parece em perfeito estado, bem como o painel e todos os seus detalhes de acabamento, incluindo o cluster digital, opcional na época.

kadett-1 (2)

E quanto pedem por ele? Como dissemos, o valor não é nenhum atentado a seu bolso — por outro lado, também não é uma pechincha. São R$ 14 mil e, se o histórico do carro for mesmo este, não achamos injusto — pelo contrário, levando em consideração o momento do mercado (fica até meio repetitivo dizer isto, mas é verdade). Além disso, o Kadett GSi tem a vantagem de ser uma versão esportiva mais potente, sem dúvida, mas com mecânica conhecida, robusta e de fácil manutenção como nos modelos mais comportados. Isto é raro de encontrar hoje em dia.

Caso tenha se interessado, entre em contato pelo email [email protected] ou pelo telefone (19) 9 9202-5152.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Um Chevrolet Tigra raro e original como este é difícil de encontrar – e ele está à venda

Dalmo Hernandes

Eis a sua chance de comprar um Ford Mustang GT de quarta geração com câmbio manual no Brasil

Dalmo Hernandes

Este Monza SL/E 1985 é um verdadeiro diamante bruto à espera de seu segundo dono

Dalmo Hernandes