FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #02

Project Cars #02: colocando a mecânica do Alfa Romeo 156 “GTA” em dia

Primeiramente gostaria de agradecer todos os comentários no meu primeiro post aqui no Flatout e fora os outros tantos de amigos no Facebook. Muito obrigado.

Depois da compra da Ruiva tive varias ideias sobre o que fazer, principalmente em relação à preparação. Nesse ponto me veio à lembrança de um episodio do Top Gear UK (S12E03) em que eles tinham a missão de preparar uma comportada Renault Avantime para andar mais rápido na pista que um Mitsubishi Lancer Evo X. Tentaram muitas coisas: rodas e pneus maiores, pneus semi-slick e freios maiores, entre outras coisas. O que mais deu resultado foi uma boa revisão no motor, que devolveu ao Renault uma boa quantidade de cavalos que haviam se perdido com o tempo e principalmente por causa de uma manutenção deficiente. Como não conhecia o antigo dono da minha Alfa e muito menos o histórico da sua manutenção, esse seria o meu ponto de partida.

Mas antes havia uma coisa que me incomodava. Ela estava equipada com um jogo de rodas de 17”aftermarket que não me agradava muito, deste de a compra do carro já tinha o desejo de trocá-las e ao fazer o balanceamento vi que além dos pneus estarem deslocados e as rodas estavam empenadas.

Investir na recuperação num jogo de rodas do qual não gostava me deixaria mais longe financeiramente de um que me satisfaria. A solução veio em um desmanche próximo a Goiânia, era um jogo 15” Speedline original da Alfa Romeo 164, seria um investimento pequeno e mesmo depois ainda usaria em certar ocasiões devido aos buracos em viagens e deslocamentos cotidianos. Um passo para trás para dar dois para frente.

Project Car -2 Project Car -2

Antes e depois da reforma.

Depois de uma pequena reforma nas rodas e com pneus novos o comportamento dinâmico mudou, o carro respondeu de uma maneira bastante positiva, com um rodar mais macio e solto. Gostei muito, apesar de o visual ter ficado careta.

Project Car -2

O primeiro passo da revisão da Alfa foi a troca de óleo e filtro. Todos que nos envolvemos em uma restauração, preparação ou até mesmo manter o carro em um estado de conservação primoroso, sabemos que nem tudo são flores. Alguns aborrecimentos sempre envolvem muita dor de cabeça e uma boa quantidade de dinheiro indo embora de uma maneira inesperada. Assim começaram os problemas de uma forma bem simples, óleo pingando no chão da garagem. Isso não estava acontecendo antes? Como assim? Sim, o trocador havia espanado a rosca do bujão do cárter.

Solução. Retirar o cárter e refazer a rosca, mas na Alfa isso não é tão simples assim. O cárter da Alfa 156 de certa forma “abraça” o semi-eixo direito, fazendo com que seja necessário a retirada do mesmo para a remoção do cárter. Nesse momento observei o mau estado das coifas das homocinéticas, como o semi-eixo da direta já estava no chão, mandei o da esquerda também para o chão. E já que estávamos nessa situação, por que não dar uma olhada na embreagem? E lá foi a caixa para fora também.

Realmente a embreagem precisava de substituição e também foi possível ver um vazamento no retentor que fica atrás do volante do motor. De repente eu estava com o a parte de baixo do carro toda desmontada, sem dinheiro e ocupando um elevador da oficina de um amigo. Mas tudo se resolveu, ficando somente um grande rombo na conta bancária que ainda não havia se recuperado da compra do carro.

alfa-romeo-156-gta-selespeed_

 

Alfa 156 GTA, a musa inspiradora

Depois da tempestade sempre vem a bonança, nesse caso veio através de dois amigos: Dinairon, professor de pintura automotiva, e Diogo, professor de funilaria, ambos do Senai da Vila Canaã aqui em Goiânia, que fizeram uma revitalização da pintura, com polimento e pintura das partes danificadas e a instalação de um conjunto de saias laterais que havia comprado dois anos antes do carro. Um trabalho primoroso que com o carinho e capricho colocado por eles e pelos seus alunos, tenho certeza que não haveria local melhor para isso ter sido feito.

Um grande problema que enfrento aqui em Goiânia e que já aprendi a contorná-lo é a falta de peças para esse modelo. Ele compartilha muitas peças com a linha Fiat, mas não são todas, e sempre fica faltando uma especifica para a Alfa. Então uma manutenção tem que ser bem planejada antes de começar. Somente com todas as peças em mãos, maioria comprada pela internet fora de Goiânia, que aí podemos começar os trabalhos.

No próximo texto, darei mais detalhes do projeto e trarei outras novidades. Enquanto isso, aqui vai uma prévia:

Project Car -2

Arbraços e até a próxima!

Por Helvio Bertolucci, Project Cars #2

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #384: a história do meu Mitsubishi Eclipse GS-T

Leonardo Contesini

Um Fox 1.6 Turbo acertado em track days – conheça a história do Project Cars #87

Leonardo Contesini

Chevrolet Chevette turbo: a conclusão do Project Cars #238

Leonardo Contesini