A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #114

Project Cars #114: meu Toyota Celica GT finalmente ganhou um câmbio manual

E aí, amigos flatouters? Nesse post teremos muitas novidades e, por fim, a tão esperada troca de transmissão. Para começar, como tinha comentado no último post de cinco meses atrás, eu precisava comprar um carro pra ser o meu novo daily driver pelo tempo que o Celica ficaria na oficina. Além disso, o carro ficaria um pouco ruim para o uso diário com o câmbio manual e embreagem preparada — e futuramente muito mais potência. Não seria um carro legal para ficar parado em longas filas nos engarrafamentos e semáforos.

O caro escolhido para daily driver foi um Toyota IST 2002 (nos EUA saiu com o nome Scion Ax) 1.5 automático JDM com a cor Spectra Blue Mica (sim igual à do Celica. Dá pra ver como gosto de azul né?) com conversão de volante algo muito comum aquí no paraguai e alguns outros países da america latina. A conversão do volante esta muito bem feita, e o carro ja veio com alguns extras, Body Kit TRD, rodas aro 15, pneus dunlop, suspensão esportiva TRD rebaixada e ECU remapeada.

 

Voltando ao PC que é o que interesa vou mostrar um pouco das coisas feitas no carro depois do último post, começando por algumas coisas que estavam escondidas mas que me incomodavam muito como, como a alma do para-choque dobrada por alguma pequena batida que o carro teve ainda quando estava nos EUA.

5 6

Depois de procurar bastante encontrei a frente de um Celica que estava sendo desmontada e consegui um parachoque usado em bom estado. Notem nas fotos que o para-choque original estava bastante deformado e provavelmente dificultaría futuramente a colocação do intercooler do turbo.

Depois da instalação do para-choque retirei os suportes do radiador, da caixinha do relay, dos farois e os hood pins que ja estavam com a pintura bastante deteriorada então mandei fazer pintura eletroestática e tambem troquei todos os parafusos possiveis do vão do motor por parafusos de aço inox o que deu una renovada na cara do vão do motor.

13 14

O seguinte paso foi melhorar o sistema de iluminção do carro como ja explique em post anterior meus farois são xenônio de fabrica mas os reatores Denso estavam começando a falhar e as lâmpadas eram D2S Chinesas por que quando comprei os faróis não tinha as lampadas Phillips originais.

Comprei os reatores Denso e as lampadas Osram Xernac de 5.500k de 3.200 lumens.

Para trocar os reatores que eu pensei que seria coisa de dois minutos foi de uma dificuldade enorme pra por que o conector da lâmpada não tinha espaço para sair então nessa hora xinguei muito os ingenheiros japoneses e suas mães por que fizerão algo que deveria ser tão fácil de trocar ser tão difícil. Só consegui depois de encontrar um vídeo no youtube explicando como fazer.

16 15

A diferença entre a lâmpada chinesa e a Osram é enorme. Acho que a Osram deve iluminar umas três vezes mais que a chinesa, como dá para ver na foto.

17

Lado motorista lâmpada Osram e lado acompanhante lâmpada chinesa

18

Já com as lâmpadas Osram nos dois lados

 

As peças para a troca de transmissão e alguns upgrades

A primeira etapa para a troca de transmissão foi uma pesquisa nos fórums e conversas com meu mecanico para descubrir todas as peças necesarias e que na hora da verdade o carro não tenha que ficar duas ou três semanas a mais parado por faltar alguma peça.

A segunda etapa depois de ter toda a lista necesaria começou a busca pela transmissão e pelas peças logo de cara encontramos a dificuldade de não encontrar nenhum Celica GT manual sendo desmontado só automatico então começamos a procurar que carro teria a transmissão igual a do Celica GT que é a C-56 e não conseguimos encontrar nada por aquí, é aquele negocio né quando voce precisa de alguma coisa nunca encontra até quando voce ja não precisa mais daí voce acha por todo lado. No final encontramos uma transmissão muito parecida com a C-56 de um Corolla 1ZZ-FE 2003-2007.

Dei uma pesquisada e descobri que essa transmissão era a C-59 e era compativel com o Celica por que todos os parafusos e suportes coincidiam com as da C-56 a única diferença praticamente nela eram os seletores para a troca de marcha que no C-56 do Celica fica perto do radiador e isso só acontece com o celica por que com outros carros com a C-56 ele fica no lado da cabine assim como a C-59 que conseguimos, e não era um problema por ter bastante espaço naquela área no vão do motor

19 20

Reparem na primeira foto a C-56 do Celica e na segunda a C-59 do Corolla os seletores invertidos

Outra diferença é a relação de marchas que as três primeiras marchas são iguais, mas a quarta e quinta da C-59 são mais compridas e a relação final tambem.

Junto com a transmissão consegui também o volante do motor, platô, e o garfo.

27 26

O resto das peças trouxe todas dos Estados Unidos algumas peças usadas que encontrei em boas condições como, ECU, alavanca de câmbio com o suporte e manopla, cabos, pedais de freio e embragem,  linhas da embreagem, bombas de embreagem e sensor de velocidade que é diferente do sensor do automatico.

O que comprei novo foi o rolamento da embreagem, suporte da homocinética do lado direito que tinha uma pequena variação do automatico pro manual, coifa da alavanca, e o suporte traseiro da transmissão.

28 29

Tambem aproveitei para fazer alguns upgrades, o primeiro foi buchas de poliuretano da Energy Suspension no suporte frontal e no suporte traseiro da transmissão para evitar o balanço das rodas em arrancadas ao soltar a embreagem com o RPM, alto que lendo nos fórums vi que é um dos principais motivos de quebras de transmissão em arrancadas. Na verdade ese é um upgrade muito barato e pode evitar grandes gastos futuros. Só que como tudo não é perfeito esse upgrade aumenta um pouco a vibração do carro mas não a ponto de incomodar.

Outro upgrade foi o Short Shifter que diminui o percurso da alavanca de marchas deixando mais rápido e preciso a troca de marchas o Celica tem varias opçoes de Short Shifters a minha escolha foi pelo da B&M que junto com o da TWM são os melhores Short Shifters para Celica e MR2 Spyder inclusive são melhores que o da TRD.

A instalação dele é muito fácil demorei 20 minutos em trocar as alavancas sendo que não tinha nenhuma experiencia nisso. O funcionamento dele é bem simples, diminui o tamanho da alavanda encima do eixo e aumenta embaixo diminuindo o percurso e para compensar o maior tamanho embaixo do eixo vem umas buchas de aluminio que levantam mais a base da alavanca e dão muito mais precisão nas trocas de marcha que as originais que são de borracha.

Também foi feita a retífica da embreagem, que foi modificada por um disco com quatro pastilhas de cêramica com especificações pra aguentar o torque quando instalar o turbo.

39

 

A troca da transmissão

Depois de conseguir todas as peças e fazer todos os upgrades necesarios levei o carro para fazer a troca da transmissão.

Fotos antes da desmontagem da transmissão

A primeira coisa a fazer foi desmontar tudo e retirar a transmissão automática a instalaçao dos pedais de embreagem e freio e cortar a lataria para a colocação da bomba da embreagem.

43

Transmissão automática já retirada

Na foto, marcado com um círculo vermelho, está o lugar exato que já vem marcado onde tem que ir o pedal e a bomba da embreagem o que facilitou muito a instalação. O seguinte paso foi a instalação da alavanca e dos cabos.

Depois foi feita a instalaçao da transmissão, tudo encaixou perfeitamente parafusos, suportes, homocinéticas, o único problema que tivemos apareceu quando o cabo foi encaixado na transmissão, como a transmissão do era de um Corolla e os seletores estavam do lado invertido, o suporte do cabo era diferente do Celica e o cabo tambem, então ao encaixar os cabos alavanca ficava puxada para a direita em ponto morto então depois de pensar um pouco decidimos modificar o suporte do cabo mudando ele de lugar 4,5cm e problema resolvido.

Em quanto o suporte dos cabos foi para a pintura eletrostática que ia ficar pronto no dia siguiente recem ja foi feito a troca de oleo e filtro de motor.

58 59

Quando o suporte voltou da pintura instalamos e a alavanca ficou perfeitamente centrada, depois foi instalada a ECU para a transmissão manual, e feito ponte nos cabos que estavam no conector que ia no seletor de marchas da transmissão automática para que o carro podesse arrancar. Então tudo foi montado de volta e quando foi dada a partida tudo funcionava perfeitamente.

60 61

Testamos o carro na cidade e nenhum problema, tudo funcionou muito bem. Então marcamos de testar o carro na estrada no fim de semana.

62

Antes de pegar a estrada no fim de semana tambem troquei o muffler por um novo um pouco menor.

Quando chegou o fim de semana pegamos uma estrada no interior bem deserta com meu mecanico e amigo Eduardo Gonzalez (o melhor especialista en Celicas do Paraguai) e seu Celica para testar de verdade a transmissão.

Resumindo foi muito surpreendente ver um carro que usei por quase seis anos com câmbio automático e que eu estava super acostumado ser tão diferente. Parece outro carro e, claro, muito mais divertido depois da troca de transmissão. Apesar de todo o trabalho e meses procurando peças valeu muito a pena!

Até o próximo post, pessoal!

Por Junior Gaboardi, Project Cars #114

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Um Subaru Impreza WRX feito por conta própria – a primeira revisão, os retoques visuais e um swap de motor para o Project Cars #196

Leonardo Contesini

Project Cars #215: salvando e preparando um Subaru Impreza GL 1994

Leonardo Contesini

Project Cars #109 – os primeiros retoques no Honda CRX 1989 de Leandro Garcia

Leonardo Contesini