FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #145

Project Cars #145: os primeiros resultados do novo setup do Ford Focus “Blue Label” nos track days

Sim, o projeto anda um pouco mais lento que eu imaginava. A situação econômica atual não dá segurança à ninguém e eu que não serei o maluco de encarar um investimento grande agora. Mas nem por isso temos coisas entediantes para este post — pelo contrário, os bons números de pista indicam que o caminho recém traçado não está de todo errado.

Do último post para agora temos de diferente no carro: amortecedores coilover, bancos concha, volante e pneus esportivos. Os coilovers KSport foram instalados seguindo mais ou menos a receita que usei no Bala de Prata, fazendo um ajuste inicial com a menor pré carga de molas possível, e lembrando que esta especificação de suspensão é a mais braba da KSport (RR – Roda Racing) e as molas por si só já tem uma carga altíssima. Sorte ou não este carro não é de uso diário, pois se fosse essa suspensão já teria voado longe! O comportamento dele é o mesmo de um carro de pista, de Marcas etc. Totalmente travado e pula feito um cabrito. Mas o objetivo é travar, não?! Então, agora aguenta.

FlatOut 2015-07-04 às 22.21.14

Após alguns Track Days e Hot Laps comecei a pegar a mão dos ajustes de Bound/Rebound de acordo com cada pista. Ainda estou muito longe do que seria o ideal, mas o que mais importa agora é o bom comportamento do carro, sem sustos, “it means”, diversão garantida.

Tive a grata chance de andar na chuva em Piracicaba; e que experiência! Tudo muda: traçado, calibragem de pneus, reações ao volante, ajuste da suspensão. Você percebe muito mais cada curva, cada desnível do circuito, cada frenagem, tudo chega de forma diferente à você; o nível de atenção triplica, o peso nos ombros também, tudo fica muito tenso, mas junto vem aquele sentimento de conquista – do ponto de vista de aprender a fazer melhor cada volta – então se vale aqui uma recomendação, andem na chuva sempre que possível. Vocês serão apresentados à um novo carro/kart que jamais conheciam. Salve o mestre Senna!

Em uma viagem à trabalho à Alemanha consegui unir o útil do agradável: participar dos treinamentos da empresa, e aproveitar o fim de semana andando numa BMW alugada em Nurburgring (agradecimentos ao Barata pela indicação da locadora e do hotel) e também consegui visitar Spa-Francochamps e Hockenheim. Sim, foi a viagem dos sonhos! Ainda demoro a realizar que consegui conciliar tudo isso. Em Nurburgring, ao devolver o carro à locadora, questionei onde teria uma loja de peças, afinal era sábado e eu só tinha visto lojas de souvenir abertas. Eis que o dono da locadora (Rent 4 Ring, aluguem lá! Empresa séria, mais que recomendada!) me ofereceu um par de cintos OMP de quatro pontos usados (ainda não foram montados), mas em ótimo estado por uma bagatela. Na mesma hora fechamos negócios. Fui pro hotel, deixei o cinto e o maRdito capeta do ombro esquerdo falou: “Porque não pergunta se eles tem algum banco à venda”. Três minutos depois estávamos negociando um par de bancos Cobra zerados. Pensem num cabra feliz, e ao mesmo tempo preocupado de como levaria isso pra casa… brasileiro se vira, né?!

Já em SPA, após a visita ao autódromo, fui até a loja Acoutil, que tem simplesmente TUDO de artigos Racing. Mas quando digo tudo é tudo mesmo! Sem menosprezar as lojas que temos em SP, mas põe todas no chinelo. Dessa loja vieram os suportes dos bancos, o volante,  cubo do volante, novo capacete e Hans. A p** ficou séria. E pra acomodar tudo isso veio também um big mochilão da Bell. Pensa numa criança saindo da Disney…e o resultado ficou assim.

FlatOut 2015-07-04 às 22.21.22FlatOut 2015-07-04 às 22.21.06

Falando um pouco de pneus, acabei seguindo a receita de usar semi-slick novos à usar slick usados. E desta vez parti para uma nova experiência, com os Yokohama Advan A048, na medida 195/55 R15 – até então sempre usei série 50 nos Toyo R888.

Num primeiro momento achei que pneus 55 iriam pegar no para-lama dianteiro, lembrando que uso rodas aro 15” e tala 7”, com offset 37 (pra fora) e somando à isso, cambagem com quatro graus negativos. Por sorte não raspou nada, e de quebra deu um visual mais recheado à lateral do carro.

FlatOut 2015-07-04 às 22.20.53

Não posso deixar de mencionar aqui o ótimo trabalho de alinhamento feito na oficina WRA em Sorocaba/SP, que dispõe de uma mesa alinhadora Hunter, simplesmente fantástica! E que permitiu corrigir pequenos desvios que as máquinas de alinhamento convencionais não detectam, tão pouco corrigem. Me tornei fã do trabalho dos caras e recomendo à qualquer pessoa que anda em pista à levar seu carro à esta mesa alinhadora; seguramente ficará espantado com as respostas que ela dá, isso sem contar com a surpresa em andar com o carro após tal alinhamento. É coisa de profissional. Parabéns ao Wilson e ao Edu pelo investimento. Tem o meu respeito!

Depois dessa parafernália toda montada tive a chance de andar num Hot Lap e posteriormente em dois Track Days em Piracicaba.

No Hot Lap – ainda com slicks usados – apanhei bastante do carro, escapava demais e não consegui extrair tudo que dava. Mesmo assim o tempo ficou mais baixo, 1:04,3. Quero andar num próximo Hot Lap já com os A048, com acerto mais amadurecido da suspensão e ver que bicho dá.

Já nos Track Days em Piracicaba eu destaco o perfeito posicionamento do banco e do volante, que fizeram com que eu não me preocupasse em travar o corpo em curvas, me deixando mais atento ao traçado e às reações da suspensão. Dia 31/05 deste ano, com chuva, R888 em fim de vida, pista suja e restos de VHT da arrancada do dia anterior, consegui baixei 4 décimos de segundo em relação ao melhor tempo (1:20:1).

A cereja do bolo foi o segundo Track Day em 21/06, já com os A048 zerados, num dia de sol e poucos carros, consegui me concentrar na tocada e na nova calibragem dos pneus. O resultado veio no cronômetro => 1:18:5, e para minha grata surpresa rendeu o troféu de 2º lugar na categoria Tração Dianteira.

FlatOut 2015-07-04 às 22.20.41

Estou mais do que feliz com este lentos porém seguros passos dados, reforçados pela alta confiabilidade do carro (ainda vou e volto dos autódromos rodando), e que comprovam o resultado positivo das modificações feitas.

Ainda tenho em mente (mas não no bolso ainda) a sobre alimentação. Tudo que fiz até agora melhorou demais o comportamento do carro em diferentes circuitos, mas por outro lado me deixa sem álibi para justificar tempos de volta, digamos, “ruins”, pois a responsabilidade recai somente sobre a minha tocada.  Espero em breve postar mais modificações interessantes. Nos vemos nas pistas!

Abraços e até o próximo post.

Por João Pensa, Project Cars #145

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Ford Maverick V8 1975: o renascimento do Project Cars #292

Leonardo Contesini

Project Cars #208: a história do meu raro BMW 750iL V12 E38

Leonardo Contesini

Project Cars #117 – os pequenos reparos do Alfa Romeo 155 Super

Leonardo Contesini