A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #222

Project Cars #222: a transformação de um pacato Maverick Super em um V8 Quadrijet

Desde pequeno o cheiro de combustível  e o ronco de um motor ligando sempre me encantaram. Cresci desmontando e montando meus brinquedos, e meu pai sempre foi meu grande professor, que me deu a sede por conhecimento e a coragem para encarar cada desafio. Meu nome é Bruno Mena, e esta é a história do meu Maverick Super 1976 V8.

Cresci com o metanol dos aeromodelos e a admiração por carro no meu sangue, mas o destino me chamava para algo maior, tinha vontade de algo mais pretencioso, então comecei a ler sobre os tão desejados  motores V8. Durante as pesquisas encontrei uma oportunidade de um Ford 302 ainda nas medidas standard, abracei a causa sem pensar, mesmo ainda não tenho um destino para ele.

Foto Aeromodelo

Como todo gearhead que tem um parafuso a menos, mil ideias malignas vieram a mente: um hot rod pela facilidade de adaptação das peças e baixo peso, cogitamos a construção de um aerobarco pelo prazer de fazer drifts na água, pois temos chácara perto de uma represa. Contudo optamos pelo swap clichê de colocarmos onde ele nasceu: em um Maverick. Ah, o projeto do aerobarco não morreu, mas receberá um motor menor!

Hot

Começou então a caça por um Maverick em bom estado e com um valor acessível. Como muitos, criamos a imagem de um carro perfeito e que atenda todos os nossas exigências, mas esta combinação na maioria das vezes é inatingível. A minha era um Fase 1, pelos reforços pronto nas torres para o V8, duas portas, na cor vermelha, mecânica quatro-cilindros funcionado para dar uma curtida antes da desmontagem, e também para aproveitar o sistema de direção. Deveria estar bom de lata e impreterivelmente com interior ainda original, o que é bem difícil.

Depois de muita procura e encontrei um modelo Super, ano 76, com a combinação de requisitos quase perfeita, num preço interessante, mas… a cor era marrom!

Maverick 1

É, marrom! Grrr 

Bom, nada que não possa ser pintado depois. Foi ele mesmo. Trouxe para casa e dei o talento inicial, lavei, removi o insulfilm, poli os cromos e a pintura, e aquela sujeira começou a revelar uma beleza que eu não conhecia. O marrom metálico transformou a aceitação em admiração e ele não terá mais sua cor substituída.

Interior

O carro ganhou pestanas e maçanetas novas, mas o que me incomodava era o visual da dianteira, aquela grade de plástico judiada e farol selado que não iluminava nada estavam me torturando. Comprei uma grade de alumínio e restaurei a moldura dos faróis, pintei no padrão do modelo GT. No lugar dos sealed beans entraram os faróis de moto Twister com lente lisa e lâmpada halogena. Há quem questione esta adaptação, mas ela me agradou consideravelmente!

Maáaneta Frente

Sobre a mecânica? Confira a preparação no próximo cap… não! Espera! O motor foi desmontado com todo cuidado e cada dúvida estudada a fundo. Bloco e virabrequim foram enviados para retífica, pistões, anéis e bronzinas novas, comandinho escolhido a dedo, coletor alumínio e Quadrijet.

Quanto mais você aprende, mais vai se empolgando e tentado a mais upgrades. Balanceei o conjunto do vira, bielas, volante, embreagem e polias. No cabeçote identifiquei folga nas válvulas, aí já importei umas de inox maiores, molas novas com damper. Os prisioneiros que eram prensados precisaram ser trocados para não voar com a nova pressão. Também aproveitei e fechei com balancins roletados.

Prisioneiro Balancins

Como já tinha melhorado toda a admissão, mandei os cabeçotes para trabalhar os dutos, comprei escapes dimensionados e válvulas cutoff para os escapes de 2.5’’. O motor todo trabalhado mereceu um sistema de ignição melhor, e ganhou distribuidor, bobina e modulo MSD, em conjunto com velas Iridium. Toda a preparação ampliou o giro do motor de 5.000 para 6.400 rpm.

Fluxo cabeáote Igniá∆o

E a transmissão e o diferencial? Estes sim ficarão para o próximo capitulo! Até aqui, toda escolha das peças foi feita por mim após muita leitura, para a montagem e instalação estou recorrendo a dois amigos e profissionais para que seja tudo bem feito! Até a próxima!

Por Bruno Mena, Project Cars #222

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars Trip #03: um estrangeiro dirigindo pela Europa. O que levar? Como se comportar?

Leonardo Contesini

Project Bikes #395: resolvendo o motor e os detalhes estéticos da minha Turuna Café Racer

Leonardo Contesini

Project Cars 515: a história do meu Honda Civic Si Nighthawk Black

Project Cars
error: Direitos autorais reservados