FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #229

Project Cars #229: reencontrando (e preparando) o Ford Maverick dos meus sonhos de infância depois de 21 anos!

Olá, galera. Primeiro gostaria de agradecer ao pessoal da FlatOut pela oportunidade de contar a história do meu Maverick aqui no site! O projeto está quase pronto, faltando alguns detalhes como melhores freios e ar condicionado para eu considerá-lo concluído. Pelo menos por hora já que restaurações de carros clássicos provavelmente nunca tem fim!

 

O sonho

Bem, essa história conta a realização de um sonho de criança e espero mostrar com isso que sonhos podem se tornar realidade quando menos se espera. Nunca desista! Espero também mostrar aos amigos leitores do FlatOut que é perfeitamente possível fazer uma restauração ou qualquer que seja o projeto do seu carro sem gastar rios de dinheiros com oficinas que cobram os olhos da cara para isso. A restauração desse carro foi feita quase que 100% em uma cidade pequena do interior de São Paulo e salvo pelo motor que foi montado em São Paulo e a tapeçaria dos bancos feitas em Rio Preto, todo o resto foi feito em Potirendaba, cidade com cerca de 15.000 habitantes.  Bom, chega de conversa e vamos à história!

Tudo começou na pequena cidade de Adolfo/SP (pequena mesmo!) onde eu cresci. Naquele tempo bom que não volta mais, brincávamos muito na rua. Bom, lembro-me bem que em um desses dias pela rua vi um carro que me chamou muito a atenção! Era um carro diferente de tudo o que já tinha visto, cara de mau, como um touro pronto pro ataque… pirei naquele carro! Não fazia idéia do nome, mas sempre que via esse carro passar, parava o que estivesse fazendo pra ficar olhando a fera passar. Era sempre o mesmo carro: marrom, com rodas pretas. Eu não me lembro na época de ter visto outro da mesma “raça” por lá. Era sempre esse marrom!

carro limpo e polido IMG_1303

Tempos depois descobri o nome do bicho: Maverick! O dono? Um sargento da polícia de Adolfo, Sr. Barguena. Sempre tive certeza que quando crescesse aquele seria o carro que queria ter na minha garagem. Mais tarde lembro-me de outro Maverick ter aparecido, dessa vez um vinho que pertencia a um professor da cidade e esses eram os únicos Mavericks que consigo lembrar de toda a minha infância.  Depois,  quando fui crescendo, eles desapareceram, não só de lá, mas em todo o Brasil. Bom, o Maverick marrom sempre esteve presente na minha mente como o meu grande sonho de criança.

Anos se passaram, fui morar muito longe de lá, fiz faculdade, consegui trabalho, conheci países mas estava lá o Maverick sempre na minha mente. Bom, todo mundo sabe que esses carros desapareceram! Foram fabricados por um curto período de tempo e os que não viraram pó nas mãos de seus donos nos anos 80 e começo dos 90, viraram relíquias guardadas a sete chaves por seus donos. Até fui atrás de comprar um há uns três ou quatro anos atrás, mas os preços me assustaram. Havia eu portanto, deixado esse sonho de lado.

 

A maior surpresa da minha vida

Ano de 2013, eu na época vivia na cidade de São Paulo com aquela que hoje viria a ser minha esposa. Como nossas famílias viviam (e ainda vivem) no interior, sempre que possível viajávamos pra lá para pelo menos para passar um final de semana. Era Setembro daquele ano e em uma dessas viagens, aproveitei para cortar o cabelo no barbeiro local lá em Adolfo. O barbeiro estava restaurando um Fusquinha e isso guiou o rumo da “prosa”. No meio dessa conversa revelei minha paixão pelo Maverick e disse que havia desistido, pelo menos por hora, por conta dos preços que estavam pedindo pelo carro. Nessa hora o barbeiro me fez uma pergunta que me fez pular na cadeira (ainda bem que ele não estava com a navalha no meu pescoço!). Ele disse: “Por que você não tenta comprar o Maverick do ‘seo’ Barguena?”

Imaginem minha reação ao saber que aquele Maverick que via quando criança e que despertou minha paixão pelo carro não tinha virado pó. Melhor ainda: ainda pertencia ao mesmo dono, o Sr. Barguena!

Eu não podia acreditar! O Maverick dos meus sonhos ainda existia! Quase saí de lá só com a metade do cabelo cortado! Sai de lá “voando” e fui até a casa do Sr. Barguena. Chamei várias vezes e ninguém respondeu. O pior é que eu tinha que voltar para São Paulo bem cedo na manhã seguinte. Retornei para São Paulo sem ter conseguido falar com ninguém. Imagina a minha angustia! Dei então ao meu irmão a missão de tentar contato com alguém da família na manhã seguinte. Achava que se não agisse rápido alguém iria comprar o carro a qualquer momento!

Minha agonia começou a diminuir quando recebi uma mensagem de texto do meu irmão com quatro fotos! Não mostravam muita coisa, já que a garagem era pequena e não muito clara, mas imagina minha felicidade ao ver o carro, nem que fosse por fotos, tanto tempo depois!

As quatro fotos enviadas pelo meu irmão

Começava ali a realização de um sonho de criança de uma maneira improvável: eu não só estava próximo de realizar meu sonho de ter um Maverick, mas estava próximo de comprar o primeiro Maverick que vi na vida e que fez crescer o sonho de ter um carro daqueles.

Faltava comprar o carro primeiro né! Bom, infelizmente o Sr. Barguena não andava bem de saúde e a negociação foi feita com os filhos dele. Proposta vai, proposta vem… comprei o carro! Comprei sem ver o carro pessoalmente, apenas tomando por base aquelas quatro fotos enviadas pelo meu irmão.

Meus amigos, vocês que gostam de carros podem imaginar minha felicidade! Preciso destacar um ponto importante aqui: quando comecei a negociar o carro, não podia gastar dinheiro pois estava de casamento marcado e casar não é barato. Conversei então com minha noiva, contei sobre esse sonho de criança e, bem, a resposta dela me fez ter ainda mais certeza de que estava me casando com a mulher da minha vida! Ela disse: “Eu acredito nos sonhos”.

 

Restauração Fase 1 – o casamento

Quando meus pais se casaram adivinhem em qual carro minha mãe chegou para a cerimônia? Acertou quem pensou Maverick. O que seria mais perfeito então que no dia do meu casamento minha noiva chegar à cerimônia também de Maverick, o nosso Maverick? Nosso casamento estava marcado para o dia 5 de abril de 2014 portanto não havia muito tempo. Fui buscar o carro no dia 24 de dezembro de 2013. Melhor presente de natal da minha vida, lembrando que foi a primeira vez que vi o carro ao vivo depois de muito, muito tempo! Tinha que correr contra o tempo se quisesse o carro pronto para o casamento. Sabia que uma restauração completa em tão pouco tempo seria impossível, decidi então focar na estética do carro, para ele poder estar pelo menos com interior e exterior bonitos para a cerimônia para depois com tempo mexer na parte estrutural: motor, freios, suspensão etc.

Por sorte, fiquei sabendo que na cidade de Potirendaba/SP, não muito longe de Adolfo, tinha um funileiro que havia feito um Maverick. Fui pesquisar e descobri que o Maverick era dele próprio. Fui então falar com ele pra ver se ele encarava o desafio de fazer a funilaria do carro em menos de três meses! Tinha claro que fazer todo interior também, tapeçaria, bancos novos etc. Por sorte, o funileiro encarou a empreitada. Eu trabalho com turismo e viajo muito e além disso morava em São Paulo, 500 km de onde o carro estava sendo restaurado.

Carro na rua depois de muito tempo e primeiro banho

Foi uma correria só! Tentava no meu tempo livre comprar as pecas necessárias: borrachas, batentes, pneus, rodas, acabamentos internos… fui descobrindo que restaurar corro antigo demandava muita pesquisa e paciência.

Faltando apenas 15 dias para o casamento, o carro ainda estava longe de ficar pronto. Por sorte, eu tirei 15 dias de folga pra ir pra Potirendaba e ajudar no que fosse preciso pra que tudo ficasse pronto. Resumindo a história: corre pra lá, corre pra cá, tapeçaria e bancos de couro no lugar, motor revisado e com um tapa de tinta (esqueci de dizer que o carro estava com um quatro cilindros), funileiro trabalhando na última semana antes do casamento até muito tarde e ufa… o carro ficou pronto as 11:30 da manhã do dia 5 de abril, o dia do casamento!

O Lafaiete, funileiro/pintor/mecânico etc foi convidado de honra pro casório. Sem o esforço dele não teria ficado pronto de maneira alguma. Foi inclusive ele, que manja muito de mecânica, quem abriu e revisou todo o motor e trabalhou além da conta pro carro estar pronto para transportar minha linda noiva até o altar! Valeu, Lafa!

Casei! Minha noiva ficou ainda mais linda vindo de Maverick! O carro se comportou bem na chegada, mas no final da cerimônia, amigos e familiares jogando arroz, fogos estourando no céu, viro a chave e…nada! Outra vez e…nada! Quase o Maverick me faz passar vergonha. Sorte que por cause do barulho ninguém ouvia o motor de arranque patinando e o carro nada de pegar. Voltei a chave, pensei positivo e… vai Maveco! Sorte que ligou!

lá vem a noiva! Carro chegando à cerimônia  IMG_1978

Bom amigos, essa primeira fase como deu pra notar, foi basicamente de melhorias na estética. Foram feitos funilaria, pintura (a cor pra quem estiver curioso é o Laranja Califórnia da Ford e foi escolhida por minha esposa! Bom gosto não?), tapeçaria com bancos trocados e revestidos de couro, volante importado Grant com aro de madeira, rodas palito aro 17 calçadas com pneus 215/50 na dianteira e 255/45 na traseira, grade dianteira esportiva, partes metálicas recromadas ou polidas e um tanque de combustível novo de polietileno com 80 litros de capacidade.

Chegou a hora! Lá vem a noiva! IMG_1218Chegou a hora! Lá vem a noiva! IMG_1224

Depois do casamento o carro foi pra garagem esperar pela segunda fase. É chegada a hora de deixar esse Maverick do jeito que eu sempre sonhei! Mas isso é assunto pra próxima parte desse Project Cars! Tem V8, T5 e muita coisa boa vindo por aí!

Obrigado e grande abraço galera! Té mais!

Por Zapa, Project Cars #229

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #19: funilaria, acerto e o novo seis-em-linha do meu Opala Comodoro!

Leonardo Contesini

Project Cars #45: os macetes da embreagem do Escort XR3 1.8

Leonardo Contesini

Project Cars #99 – a história do F-SAE da Unicamp E-Racing que conquistou os EUA

Leonardo Contesini