A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #261

Project Cars #261: o início da restauração do meu Citroën AX GTI

No episódio anterior, muitas pessoas me perguntaram sobre o carro e muitas nunca nem tinham visto um, então vou contar um breve relato sobre o AX antes de falar sobre o início da restauração.

A Citroën sempre foi inovadora com seus carros e na década de 70 foi absorvida pelo grupo Peugeot,  e nessa época existia o Visa que surpreendia pelas suas opções sport. Precisando se renovar  por causa da emissão de poluentes eles criaram o AX já como grupo PSA e criaram um carro do zero, lançado em 2 de outubro de 1986 com motores TU 1.0, 1.1 e 1.4, logo depois ganhou 4 portas e motores  a diesel e até elétrico. E outras carrocerias como Bugy, SW e conversível.

 

Com seu peso de 640Kg e coeficiente de arrasto de 0,31, logo surgiu uma versão Sport em 87 com motor 1.4  e 2 carburadores com 95 cv, lançado pra competir com o 205 Rallye que vinha com rodas brancas, body kit e bancos esportivos.

Foto 5

Peugeot 205 Rallye, outro mito sobre 4 rodas. 

Foto 6

O AX GT veio 1988 com 1 carburador e 84 cv. 

Comparado pela revista inglesa Car, o AX GT agradou pelo comportamento: “O carro é um prazer de fazer curvas, muito seguro, comunicativo e rápido. Ele parece à prova de erros como um VW Golf GTI.

E em 1991 com injeção mono ponto, motor 1.4 e incríveis 101cv, surge o AX GTi, com ele vieram mudanças estéticas em toda linha, como estofados, volante de 3 raios e tampa traseira redesenhada.

O esportivo GTI trazia injeção eletrônica, 101 cv e 12,2 m.kgf no motor de 1,4 litro e freios antitravamento (ABS). Seu visual ganhava molduras nos arcos de para-lamas, rodas de alumínio e defletor traseiro, mas os para-choques vinham em preto fosco, assim como as faixas laterais. Essa versão chegou a ser vendida no Brasil pela importadora oficial da marca, a XM.

Sai tropeçando da oficina, com o cara gritando atrás de mim, era a 15° vez que eu ia lá perguntar do carro. Enfim, três semanas depois do que eram pra ser três dias, encostei o guincho pra buscar o AX. O trampo das soldas e troca das “virgulas” ficaram nota mil, tanto que levei as torres e bandejas pra montar no carro e poder rodar ele dali e tudo encaixou sem muitos problemas, só uma batidinha aqui e outra ali, perfeito, mas era combinado dele dar um tapa nas partes com ferrugem e uns amassados ele não fez, alegou falta de tempo etc… e vcs já conhecem essas desculpas, Mas tirei o carro pq o que eu mais queria foi feito..

Foto 9

Antes:  Mola de caminhão e muita gambiarra

Foto 10

Depois : Virgula do 106 no lugar

Foto 11

Tudo clean e  no encaixe certo.

Foto 12

Adeus gambiarras, até nunca mais.

Com o carro em casa tratei de limpar a sujeira, lixar umas partes de ferrugem e uns furos no assoalho, passei  veda parabrisas nos furos e buracos que achei e meti  spray no assoalho pra evitar problemas futuros. Depois dos furos tampados e com as borrachas de vedação nos seus lugares eu apliquei manta asfáltica no assoalho pra evitar infiltrações e tentar abafar um pouco do ruído.

FOTO 13

Antes:  Só buracos e ferrugem

Foto 14

Limpinho e vedado

Nesse meio tempo em que o carro ficou no Funileiro, eu estava de saco cheio e com vários problemas pessoais e automobilísticos, tinha feito o cabeçote do 106 prata e em uma semana bateu a parte de baixo, ai  deixei ele na rua  estacionado e bateram nele,  e eu só me chateando.

Eis que surge um amigo que me fala de um motor EC5 1.6 16v á venda, novo sem uso, liguei para o cara e descobri que no lugar de um ele tinha mais um 1.5 TU4 também novo sem uso. Como o AX eu ia ter que fazer o cabeçote etc, e o 106 tava com o motor batendo, negociei com o cara e acabei levando os dois. Pausa para refletir nas loucuras que essas máquinas nos fazem cometer e em seus efeitos colaterais.

Mulher:  Como você comprou dois motores e eu aqui querendo…

Amigos:  Seu loko filho da…

Amigos que estou enchendo o saco para me ajudarem no swap:  Já te falei, para de gastar dinheiro com essas maconhas. Compra um Corolla.

Foto 15

Motor PSA EC5 1.6 16v 122cv, usado nos modelos 208, 308, C3 etc

Foto 16

Motor PSA Tu4 1.5 8v 93 cv, usado nos 208, C3 etc

Resumindo: o AX vai ganhar o 1.6 16v, com a ajuda do Pixel do Marley e muitos outros. Já arrumei os chicotes do Xsara 1.6 e módulos ME 7.4.4,  suportes  de motor eu tinha tudo em casa, e periféricos vou usar do AX mesmo que estão ótimos. O câmbio vou usar o do AX mesmo como sugeriu o Swapman em seu post.

O único porém  é o VVT que ainda não achamos uma solução pra ativar, o Marlon Brandi colocou um EC5 no seu 206 mas desligou o VVT  pq mesmo usando injeção alone, ele não conseguiu acerto, mas com fé, até eu subir e ligar o motor já resolvemos isso. Se algum amigo leitor que acompanha os PCs souber de alguma dica, por favor compartilhe.

Passei duas semanas com um problema de saúde sem poder mexer no carro e agora estou no estágio de limpeza das peças e estofados para começar a montagem do interior. Aproveitei minha folga  numa quinta de muito sol e lavei os bancos e o carpete.

Curiosidade: os assentos dos bancos dianteiros se soltam do corpo do banco.

Foto 17

Depois de 21 anos aguentando tudo que é bunda, um merecido banho com muito sabão.

Por enquanto é só, pessoal. Depois vem a parte chata e desafiadora, a montagem do carro.

Por Warlei “Maxx Rider”, Project Cars #261

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #100: o desenvolvimento dinâmico, os testes mecânicos e os detalhes finais da construção do nosso Fórmula SAE

Leonardo Contesini

Project Cars #450: a história de um Chevette L 1979 de único dono – e com 86.600 km

Leonardo Contesini

Project Cars #463: a história do meu Mitsubishi Eclipse Turbo 1991

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados