FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #304

Project Cars #304: a história do meu Ford Escort RS 16v Turbo

Olha eu aqui! Pra quem não me conhece, meu nome é Vinícius Fernando Solenta, conhecido apenas como Solenta entre os gearheads, tenho 27 anos, filho de Leonir A. Solenta e Sueli S.Solenta, noivo da Gláucia E. Carniel , sou natural de Concórdia/SC mas atualmente estou morando em Porto Alegre/RS.

Tenho uma longa e divertida história para contar a todos sobre o meu Project Car, e o porque do Escort vocês vão entender no decorrer da leitura. Vou iniciar contando como tudo começou.

unnamed

Sempre vivi rodeado por carros, principalmente os da marca Ford, minha mãe trabalha com revenda Ford há cerca de 30 anos, meu pai sempre gostou e modificou carros na sua juventude. Infelizmente ainda não havia nascido nesta fase de vida dele e acabei não conhecendo grandes carros que ele teve em suas mãos como Maverick, Puma GTB, Opala e outros. Entretanto com ele conheci Pointer GTI, Apollo GLS, e Escort, muitos Escorts. Agora é que começa a grande história do meu project car:

unnamed-2 unnamed-1

Na linda carreira e história que minha mãe construiu dentro de uma rede de lojas Ford houve um fato marcante: em 1994 ela comprou, junto com meu pai, o primeiro carro zero km. Era um Ford Escort Hobby contemplado com todos os acessórios originais do XR3 da época, e como vocês devem saber, o XR3 tinha um valor muito alto e não era do alcance financeiro de meros mortais. Esse Escort Hobby “bem vestido” marcou a vida da minha mãe. Eu, que na  época tinha apenas 6 anos, confesso que não lembro muito do carro.

Depois desse episódio vieram muitos Escorts na família, de modelos e anos diferentes, XR3, GL, GLX, Verona, SW, o próprio Apollo que citei antes e o Pointer que eram praticamente Escorts, lembrando a parceria que a Ford e a VW tinham à época (Autolatina).

unnamed-3

XR3 que era dos meus pais

Eu sei que muitos querem que eu saia falando do Mk7 porém a história do meu carro não pode ser contata antes de falar sobre a minha vida com este modelo. Vou citar alguns dos fatos que marcaram muito a minha vida e me fizeram ser um adorador de Escort.

É muito possível que meu pai não vá lembrar deste fato, mas tenho certeza que dois grandes amigos meus vão se recordar, não é Jhonatan e Laerte? Por volta dos anos 2000 meus pais tinham um Ford Escort GLX 1.8 Zetec 1998 Cinza escuro. Nesse dia teve um jogo de futebol com os amigos do meu pai em Fragosos, distrito próximo a Concórdia/SC e meu pai convidou meus amigos e eu para acompanhá-lo ao jogo.

No retorno tinha uma bela reta na rodovia estadual e meu pai acelerou forte o Zetec 1.8 16V, que sempre foi um carro mostrou bom desempenho, chegamos a 170 km/h, o que para nós, gurizada, foi um espetáculo e me marcou muito, o Escort já começou a se consagrar ali mesmo.

unnamed-4 unnamed-5

Logo no início do meu namoro em 2003, o irmão do meio do meu pai, Cleonir Solenta tinha um Ford Escort RS. Esse tio sempre foi um grande entusiasta, extremamente cuidadoso com o carro, e esse Escort era lindo, de cor Bordô, com rodas Momo de 16 polegadas e pneus 195/45. Lembro ainda como se fosse hoje.

Sempre que esse tio ia visitar meus avós que moravam em frente a minha casa, eu e meus amigos ficávamos encantados com o carro, admirando cada detalhe, e quando ele retornava eu pegava carona até a casa da Gláucia. Atualmente esse carro foi resgatado e adquirido por grandes amigos do Escort Clube, Ricardo e Henrique, mas ainda não sei se o carro é do pai ou do filho.

Outro motivo que me fez mergulhar no mundo dos Escorts foi quando meus pais tinham um Ford Escort SW 2003 1.6 Zetec Rocam, e com esse, antes mesmo de ser habilitado, minha mãe emprestava pra eu ir até a casa da minha namorada. Lembro exatamente da perna tremendo na embreagem quando saía de casa. O Escort foi o primeiro carro que eu liguei e dirigi sozinho.

unnamed-8 unnamed-7

Meus pais não sabem mas agora vão saber: como meu pai sempre foi motorista de caminhão,  minha mãe trabalhava na Ford e muitas vezes utilizava o carro da empresa, a chave do carro ficava em casa e eu ia pra garagem, ligava o carro, o som e ficava acelerando o carro como se estivesse em uma longa viagem na autoestrada. Diante de tudo isso e muitas outras coisas que não contei pra não tornar um texto cansativo, ainda tem gente que não entende a minha paixão pelo Ford Escort RS Zetec 1.8 16V Turbo que está na nossa garagem hoje.

Em 2009 decidi então que queria ter o tão sonhado Escort. Comecei a busca em sites e mais sites, procurando insanamente, até que encontrei um aqui em Porto Alegre: era um Ford Escort XR3 2.0i Conversível ano 1993. Fiquei fissurado e apaixonado pelo carro, tão apaixonado, que não vi os milhares de problemas que o carro tinha. Comprei o carro e era só alegria. Até hoje minha mãe conta do dia em que levei ela e meu pai para dar uma volta sem capota, os bolsos vazios de um estudante que empolgado com a cena não se envergonhava de abastecer R$10,00 pra passear pegando um vento na companhia das pessoas mais importantes da vida!

Duas semanas depois de comprar o carro, um motorista louco com um Golf bateu na traseira do carro enquanto eu entrava em uma loja de rodas. Fui parar dentro da loja e o motorista fugiu sem que eu pudesse fazer absolutamente nada. Totalmente sem chão, com o carro batido voltei pra casa muito abatido, não tinha dinheiro pra arrumar, não sabia o que fazer. Decidi ligar pra minha mãe e contei o ocorrido. Aquele anjo que é minha mãe me deu o dinheiro pra arrumar o carro. Ele foi pintado inteiro e ai começou a minha história efetivamente com os Escorts quando comecei a fazer modificações, muitas melhorias e o carro ficou excelente. Mantive esse Escort Conversível por dois anos, quando minha vida teve uma mudança e eu precisei me desfazer do conversível porque precisava voltar aos estudos.

Vendi o Escort XR3 e um Focus Ghia que tinha pra retomar as prioridades, mas não iria ficar sem Escort, o amor pelo modelo já tinha me fisgado. Decidi que, com a venda dos carros, iria comprar um Escort RS, modelo um tanto renegado no mercado e que nunca teve um valor alto, sendo desprezado pela falta de conhecimento de mecânicos, os quais sempre dizem que não dá retifica e blábláblá… entre mil outras coisas que poderia citar. Bom pra mim!

Comecei outra busca implacável, procurando o melhor carro, com preço justo e como eu já era um membro do Escort Clube, chamei os amigos especialistas pra me ajudarem a encontrar o brinquedo certo. Não irei citar todos os nomes pela chance de esquecer algum já que são tantos amigos colaboradores!

Encontrei um Ford Escort RS em Caxias do Sul-RS, um carro que estava sendo muito polêmico no Fórum do EC. Todos dizendo que o carro era excelente e que alguém do clube tinha que salvar antes de cair em mãos erradas. Bom, chamei os especialistas que estavam disponíveis pra viajar comigo, Fernando Sperotto, Cristiano Weirich e Henrique Fernandes e lá fomos subir a serra para vermos o tal RS. Antes de irmos pra Caxias falei: “se um dos três não achar bom negócio eu não vou comprar”.

Chegando lá, olhamos o carro e tinham detalhes tal como ferrugem embaixo das borrachas de porta, forros das portas e do teto soltos e couro do volante marcado, nada que não esperávamos num Escort RS com 13 anos, porém na contramão disso, o carro estava alinhado, extremamente impecável de lataria, pneus, motor, com todos os detalhes no lugar, inclusive o spoiler do para-choque dianteiro original, algo que não é nada comum de ser visto por aí, até por que os para-choques do Escort MK7 (98 à 03) se quebram só de olhar. Enfim, era um carro integro com apenas 82 mil km originais e com toda a procedência comprovada nos documentos que o vendedor apresentou.

unnamed-18 unnamed-17

Não fechamos o negócio no mesmo dia já que era um sábado e não tinham cartórios e bancos abertos. Voltamos pra Porto Alegre e tive o aval dos três conhecedores de Escort. Na Segunda-feira (26/09/11) liguei para o vendedor e acertamos o preço, e com a carona do amigo Cristiano, fomos enfim buscar o carro.

Coincidentemente, no dia de aniversário de namoro, fui buscar o carro e não poderia deixar de dizer o quanto minha namorada é responsável por todo esse projeto também, pois sem o apoio da Gláucia, muita coisa disto não teria acontecido.

É eu era o novo dono de um Ford Escort RS, um felizardo com um carro igual ao do meu tio que sempre me deixou maravilhado com a beleza das linhas e com o desempenho sem igual dos 170 km/h que o Zetec havia me proporcionado dez anos antes.

unnamed-19

Sentar no volante do RS e descer toda serra gaúcha relembrando os maravilhosos momentos que tive indo visitar minha namorada, passeando com meu pai e meu tio, aprendendo a dirigir, lembrando de quando minha mãe dizia: pode ir a mãe sabe que tu é responsável! Bom não há palavras pra descrever meu sentimento.

unnamed-22unnamed-21 unnamed-20

Vamos encerrar esse post assim, espero que muitos dos meus amigos que lerão isto, consigam entender um pouco da minha loucura e o porquê dos porquês!

No próximo post começo contar a respeito das primeiras modificações que foram feitas e vai chover imagem.

Obrigado e um grande abraço a todos.

Por Vinícius Solenta, Project Cars #304

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Preparando um BMW 325i E36 Coupé para as pistas – conheça a história do Project Cars #123

Leonardo Contesini

Um Passat Exclusiv VR6 de exposição – a história e personalização do Project Cars #203

Leonardo Contesini

Project Cars #249: a restauração do motor 2.0 16v do meu Fiat Coupé

Leonardo Contesini