A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #31

Project Cars #31: um splitter frontal, uma cara de mau e um câmbio mais curto para o New Fiesta

E aí, galera!? Vocês já viram como eu adquiri meu New Fiesta, as primeiras modificações básicas que fiz nele e também quando a coisa começou a ficar um pouco mais séria. Nesse post vou falar de algumas outras modificações que fiz e uma das mais importantes: a troca de relação final do câmbio, que foi de 4.07 para 4.56.

post #4, Project Car #36

Junto com o coletor de escape, várias outra peças vieram na mala da viagem: os cabos de vela da FSwerks, as velas de iridium da Iridium Power, os espaçadores de rodas da HR de 20 mm na traseira e 5 mm na dianteira, as pastilhas de freio da EBC, e mais umas besteiras como a bola de engate preta e as tampas das válvulas de ar dos pneus.

post #4, Project Car #36

Quando instalei os cabos e as velas de iridium eu senti o carro um pouco mais redondo, não falo em ganhos de potência, mas sim no funcionamento do motor. Dava para sentir que ele estava trabalhando mais suave.

post #4, Project Car #36

Os espaçadores de roda trouxeram grandes diferenças para o visual do carro e também resultaram em uma dinâmica de suspensão um pouco diferente – coisa que não gostei muito e irei resolver. As rodas traseiras do New Fiesta são muito para dentro da caixa de roda, dando um ar estranho no stance do carro quando visto por alguns ângulos. Para resolver isso eu coloquei os espaçadores de 20 mm na traseira, o que empurrou (e muito) a roda mais para fora, melhorando o visual do carro. Coloquei 5 mm a mais na dianteira, ajudando um pouco a estética também. Porem quando fui alinhar o carro os espaçadores causaram uma mudança maior que eu esperava na suspensão…

A cambagem aumentou mais do que esperado tanto na dianteira quanto na traseira, e o fato da traseira esta bem mais alargada que a dianteira matou a tendência sobre-esterçante que o Fiesta tinha, e passei a sofrer um pouco com saídas de frente. Nada demais, mas gosto de carro com a traseira um pouco mais solta. Agora vou trocar os 5 mm da dianteira por 15 mm, visto que a roda ainda vai caber dentro da caixa e vai compensar um pouco essa diferença da bitola. A cambagem vai aumentar ainda mais, mas isso tem como resolver.

post #4, Project Car #36

As pastilhas EBC Green me decepcionaram, me deixando na mão no último trackday que fui. Eu sei que não são pastilhas de pista, mas esperava algo superior a Ecopads e SYL (pastilhas nacionais de menos de $R$ 100). Usava Hawks com o mesmo tipo de composto (cidade) e nunca me deixaram na mão em trackday nenhum, aguentam muito bem! Por isso achei que as EBC Green serviriam bem, mas nem de perto. Lição aprendida, hoje eu tenho dois jogos de pastilhas, na cidade uso Ecopads e na pista Hawk Black Pads.

post #4, Project Car #36

Uma coisa que sempre quis no meu carro e nunca achei em lugar algum foi um splitter frontal, sempre achei lindo e fui louco por um. Já que não tinha em lugar nenhum inventei de fazer o meu mesmo e “DIY the f*** out of it”, Gostei muito do resultado embora precise de um acabamento melhor. Surpreendi-me com a funcionalidade do splitter — acima de 120 km/h dá para sentir a frente do carro mais colada no chão. Detalhe, resolvi fazer isso um dia antes do trackday, e tenho que viajar 200 km para chegar ao autódromo..

post #4, Project Car #36

Não tinha a mínima ideia se aquela porcaria que eu tinha pendurada na frente do carro ia aguentar a pressão na pista ou durante a viagem, mas queria porque queria ter o splitter e com sorte deu tudo certo. Até hoje ele não voou nem arrancou meu para-choque. Hoje em dia ele tem até um apelido carinhoso: ora perna (acho que a pelo fato de ser uma lâmina de alumínio na altura da canela). E não, não arranquei a perna de ninguém. Ainda.

post #4, Project Car #36

Tambem fiz mais um detalhe no meu carro, esse não tenho a autoria, copiei dos fiestas MK7 (versão pre-facelift) da Europa: os bad eyebrows.

post #4, Project Car #36

Após instalar todas as novas peças participei de mais um trackday, e o resultado foi de cair o queixo (pelo menos para mim que não estava esperando), derrubei seis segundos do meu tempo com o carro original (2:02,700 – 1:56,600) ainda com os Michelin XM2 185/60/14 e as pastilhas EBC Green. Em algumas partes do vídeo estou sendo um pouco agressivo, mas na tentativa de desgarrar a traseira um pouco (o que não deu certo).

E agora, para finalizar o post de hoje, vamos falar do tópico principal desse texto, a relação nova! Com certeza muito de vocês já viram o pessoal dos muscle cars falando sobre relações 3.31, 3.73, 4.11, 5.10. Isso é um tema bem discutido entre eles. No meu caso — diferentemente dos monstros de tração traseira que têm a coroa e pinhão no diferencial no eixo traseiro – o pinhão seria a árvore secundaria da caixa de marcha e a coroa que fica acoplada no diferencial que fica dentro da caixa. Essa modificação também migrou do Mustang, eu era louco para encurtar a relação de marcha daquele carro, que dava quase 60 mph (96 km/h) em primeira marcha. Lá nos EUA é muito comum esse tipo de modificação, aqui nem tanto (pelo menos era o que eu imaginava).

post #4, Project Car #36

Mas na realidade essa ideia não tinha me passado pela cabeça até certo dia, quando um amigo que tem um New Fiesta 1.5 me ligou para contar uma curiosidade: o novo Focus 2014 com o motor 1.6 e caixa manual tem exatamente o mesmo escalonamento de marchas, porem uma relação final muito mais curta, 4.56 em comparação com a do Fiesta 4.07. Eu precisava descobrir o que eu precisava para dar essa encurtada! Fiz o serviço na concessionária, precisei da segunda árvore e coroa do Focus, óleo de caixa, um aditivo que quis colocar, o rolamento da segunda árvore, e a cola isolante. Carro pronto, desci do elevador, liguei e saí para dar uma volta. Minha cara de felicidade, surpresa, e satisfação fez o chefe da oficina (que foi testar o carro comigo) cair na gargalhada. Diferença absurda na aceleração do carro! Sem dúvidas a melhor modificação até agora.

No próximo post prometo mais algumas “coisinhas” e umas invenções meio malucas! Abraços e até lá!

Por Luiz Leão, Project Cars #31

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #74: em busca das difíceis peças originais do Puma GTB S1 1978

Leonardo Contesini

Project Cars #117 – a vida a bordo do Alfa Romeo 155 Super

Leonardo Contesini

Project Cars #373: o terceiro track day e a tentativa de suicídio do meu Renault Clio 1.6 16v

Leonardo Contesini