A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #321

Project Cars #321: a história do meu Escort XR3 Conversível 1995

Sim! Cá estou novamente! Pra quem não se lembra de mim, meu nome é Régis Vasconcellos, 33, Engenheiro Civil e Arquiteto aqui em Porto Alegre/RS, e claro, pra quem lembra, dono também do Project Car #177, o Ford Escort 2.0i XR3 Mk4 Conversível 1989/1990 Vermelho Radiante com 156 cavalinhos.

Encerrei o último post do #177 falando que Coração de Gearhead é grande. Sempre cabe mais um nas nossas vidas e então vamos começar a falar sobre essa segunda máquina, o Ford Escort 2.0i XR3 Mk5 Conversível 1995 Azul Europa. Não, ainda não! Primeiro vamos falar sobre o ritual de procura.

Foto 02

A vida toda eu falei que sempre preferi os Mk5 em relação aos Mk4. Quando comecei a procurar conversíveis antes de 2007, olhei diversos Mk5 mas na hora do ¨vamos ver¨, acabei comprando um Mk4 pois foi o que estava disposto a gastar na época. Não me perguntem porque!!! Ao longo do tempo, aprendi a venerar os Mk4 porém o carinho pelos Mk5 nunca foi reduzido.

Acho a frente do Mk5 XR3 absolutamente linda, perfil mais baixo, com seus faróis de duplo foco, os piscas no pára-choque e aquela grade lisa com desenho simples porém muito bonito. Também adoro a traseira do Mk5 mais alta, seja ele fechado ou conversível. Se eu for ficar falando da beleza do carro, fico até amanhã escrevendo neste post. Paro por aqui!

Foto 03

O sonho de ter um Mk5 sempre foi muito grande e essa ¨loucura¨ se refletiu em um cadastro nacional que fiz ao longo desses quase 10 anos. Não bastava conhecer apenas sobre a máquina. A vontade sempre foi construir a história do modelo no Brasil, tentar entender a quantidade de carros produzida em cada ano, as cores que mais saíram, entre outras curiosidades legais que só um Gearhead entende.

Atualmente são mais de 600 Mk5 Conversíveis que vi na rua, anúncios, carros de amigos, fotos da internet, ferro velho, etc. Lembrando que foram feitos aproximadamente 3600 Mk5 Conversíveis e, se formos considerar, meu cadastro conseguiu atingir quase 17% da frota até hoje. Vale lembrar que boa parte já não está mais rodando nas nossas ruas e considero que este material é uma bela base de dados para futura busca de informação. Este material ainda não está público, mas pretendo beneficiá-lo com o objetivo de divulgá-lo no Escort Clube, do qual sou administrador. Nesta planilha cadastrei placa, Número Karmann-Ghia, Cor, Cidade, Estado, se tinha Recaro ou não, se tenho fotos nos meus arquivos, 5 últimos dígitos do Renavan, onde vi o carro e, claro, um breve comentário sobre o estado geral de cada carro.

Foto 04

Este material se transformou em um grande banco de dados e, sempre que um amigo tem interesse em um Mk5, eu busco em meus registros para saber dados e estado físico do dito cujo.

Foram anos e anos namorando Escorts Mk5, vasculhando a internet, indo a lojas, entrando nos carros, analisando centímetro por centímetro da lataria, olhando cofres e analisando tudo o que deve ser visto num carro deles. Compilo abaixo em um mosaico, algumas fotos de carros que eu vi pra vender, busquei informações sendo que muitas fotos são tiradas por mim. Podem ter certeza que foram muitos!

Foto 05

Meus amigos do Escort Clube sempre ficavam me incentivavam a comprar, mas o momento ideal tem que ser aguardado: Emprego melhor, vida financeira mais estável, aquisição e mobília da casa própria, entre outros fatores mais importantes que a maioria dos que tem família e carro antigo vão entender. Quando questionado, eu dizia: Calma, tudo a seu tempo, podem ter certeza que, quando eu comprar um Mk5, vai ser ¨O¨ (com o bem maíusculo) Mk5.

O momento (ou não) para aquisição do Mk5 finalmente chegou e as buscas se intensificaram. Pensei muito e foquei em carros Branco Pérola 93 a 95 ou Azul Europa 95, as cores mais bonitas na minha opinião. Como a gente diz aqui: ¨Só aparece carniça!”

Eu sou um completo adepto à Lei de Murphy e pra variar a compra do Mk5 não foi diferente. Estava de férias fora do país quando vi um usuário do Fórum do Escort Clube anunciando um Mk5 1993 Azul Dallas. Ao ver o anúncio, lembrei que ele tinha também um Mk5 1995 Azul Europa e, pra aumentar a tensão, ele tinha também um jogo de Rodas 16 Ford Alemãs Originais do Escort MK7 RS. Estas rodas foram importadas por outro amigo do Escort Clube e vendidas para o ex dono do meu carro. São lindas, incríveis, quase iguais às originais 14 do XR3 e uma polegada menor e com menos Offset que as do RS Cosworth, ou seja, pirei!

Foto 11

Na hora enviei mensagem privada pra ele perguntando se ele vendia o Azul Europa e que só compraria com as rodas 16. Ele disse que sim e fez o preço. Voltei para o Brasil numa segunda-feira de manhã e na sexta posterior já tinha passagem marcada para ir ao Salão do Automóvel 2014 em São Paulo. Durante a semana encaminhei o negócio e combinamos de fechar o negócio diretamente no pátio da transportadora em São Bernardo do Campo.

Não posso deixar de citar que durante esta semana, alguns amigos daqui, que tinham ido de carro para o Salão do Automóvel, foram ver o carro pra mim. Muito obrigado AG, Leonardo (vulgo Feio) e Denis que foram ver o carro antes pra mim e ao Sperotto que estava junto no momento do despacho na transportadora!

Pronto, eu era dono de um MK5 e o segredo entre os demais amigos de clube tinha que ser mantido para aparecer de surpresa no encontro na outra sexta-feira. Carro na cegonheira e diversão total no Salão do Automóvel.

São tantas histórias pra contar que eu às vezes tenho que parar pra ordenar os fatos na minha cabeça para poder passar corretamente pro post. Lido, relido, ok, vamos adiante!

Foram três dias de angústia até que, numa manhã chuvosa, toca meu telefone dizendo que meu carro estava chegando.

Foto 20

Agora vamos falar um pouco mais do modelo: A Ford produziu o Escort Conversível até 1995 no Brasil. O meu é o KG 3173, ou seja, o 3173º Mk5 produzido pela Karmann-Ghia.

O Escort não estava perfeito, mas era um carro bastante íntegro, bem diferente do meu Mk4 Vermelho que era um carro problemático. A experiência adquirida ao longo de 7 anos com o 89/90 me fez saber dividir o joio do trigo, enxergar os pontos fracos e fortes de cada carro e saber por qual lado arriscar. Mecanicamente apresentava vazamentos no cárter, em mangueiras da DH além de estar com uma tampa adaptada no reservatório.  Tinha alguns problemas elétricos como vidros elétricos com falhas intermitentes, problemas na suspensão, irregularidades na lenta, entre outros itens.

Em termos estéticos, ele tem alguns arranhados e uns dois ou três tons de azul na pintura, porém nada muito grave. Me incomodam muito alguns arranhados no capô e umas bolhas no verniz abaixo do retrovisor do motorista. O Ar Condicionado não funciona com 100% de eficiência, mas gela, e o ar quente não está operando.

Foto 21 Foto 22

Agora vamos aos pontos bons: Interior bastante inteiro e só um pouco sujo, apenas com alguns detalhes como tampa do console quebrada, algumas molduras coladas com silicone, Bancos Recaro com a espuma perfeita, raro CD Player original com o equalizador magnífico que só veio nos Mk5. Além disto, até a antena elétrica funciona! Por fora, faróis, piscas e neblinas originais. Lanternas traseiras originais, porém desgastadas pelo tempo.  Na primeira revisão eu já troquei as lanternas por novas e troquei os piscas por transparentes porque gosto mais.

Foto 24

No geral, um carro excelente, com uma boa base para trabalhar. Bom, paro por aqui ou sigo o post? Vou falar mais um pouco.

Voltando um pouco no tempo, quando estava com o negócio fechado lá em São Paulo, os meus amigos que foram revisar o carro me avisaram que a capota estava feia e que logo eu iria querer trocar. Gentilmente o antigo dono do carro, o Danilo, se prontificou a levá-lo num cara que troca as capotas em São Caetano do Sul. Este prestador de serviço arrematou as máquinas que eram da Karmann-Ghia e hoje reproduz a capota do conversível inclusive com a costura eletrônica, praticamente igual a da época. Isso tudo foi uma mão na roda pois não precisaria mais me preocupar com a capota, item bastante delicado no Conversível.  Vou dizer que esperava um pouco mais do serviço da capota que deu uma encolhida do lado direito, porém posso dizer que nesse carro não entra água (por enquanto).

Hora de revelar para os amigos do clube! Foi muito legal aparecer de surpresa no Encontro do Escort Clube vendo o povo pasmo depois de tamanha novela que foi a compra do Mk5 ao longo dos anos. Eu realmente estava emocionado e meus amigos também, pois apesar de ser só um bem material, essa procura ao longo do tempo acabou gerando grandes episódios engraçados, parcerias, conhecimento de gente nova, e muito mais.

Antes de emplacá-lo acabei mandando o carro para uma grande revisão, pois o motor não cansava de chorar óleo e estava com vergonha da sujeira que ele estava fazendo na garagem. Daqui a pouco poderia levar alguma notificação do condomínio.

Chega por hoje. No próximo post vou falar sobre a ¨pequena-grande¨ revisão mecânica que foi feita e a primeira viagem realizada com ele. Muito obrigado às pessoas que votaram para meu XR3 estar aqui no Project Cars e até a próxima. Um grande abraço!

Foto 29

Por Régis Vasconcellos, Project Cars #321

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Puro metal: a restauração da carroceria do Mustang Mach 1 1969, o Project Cars #131

Leonardo Contesini

Project Cars #321: upgrades e detalhes do meu Ford Escort XR3 conversível

Leonardo Contesini

Project Cars #474: a história do meu BMW 323ci E46

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados