A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #321

Project Cars #321: upgrades e detalhes do meu Ford Escort XR3 conversível

Olá! Novamente estou aqui para a terceira postagem sobre meu Ford Escort 2.0i XR3 Mk5 Conversível 1995 Azul Europa. Meu nome é Régis e sou de Porto Alegre/RS. Pra quem perdeu os primeiros dois posts, leia aqui e aqui.

Antes de começar a falar sobre o carro, quero agradecer aos diversos comentários feitos no meu Project e à quantidade de pessoas legais que conheci até agora. Troquei ideias com muita gente boa e até ajudei alguns doidos a adquirir seu Conversível. Também agradecer aos amigos que estão sempre na parceria, incentivando, auxiliando, dando dicas e botando a mão na massa.

_Foto 59

Alguém conhece esse Escort branco aí do fundo? RS Turbo do Solenta, Project #309, Aquele abraço, irmão!

Até então falei sobre a compra e posteriormente sobre a grande revisão mecânica e elétrica que fiz no carro. Neste post, vou tratar sobre upgrades que fiz no carro, peças já compradas para as melhorias e falar mais algumas curiosidades sobre a parte da capota. Comecemos!

 

Primeiros upgrades

Anti-vácuo nas portas: apesar de muita gente dizer que são carros modernos, que não se pode considerar como antigo, muitas peças já são raríssimas ou impossíveis de serem encontradas. Entre elas estão as borrachas da capota, as quais são itens bastante delicados e impossíveis de se adquirir novas. O desgaste ao longo do tempo é inevitável mas existem algumas formas de amenizar isto.

Um upgrade muito legal que fiz foi a instalação de dispositivos anti-vácuo nos vidros das portas dianteiras. Alguns devem estar falando: ¨Grandes coisa colocar antivácuo, algo tão comum nos carros de hoje em dia.

Não parece nada demais porém, para quem tem um carro conversível, cada vez que o vidro fechado ¨roça¨ na borracha da capota, vem na sua cabeça que aquilo está prejudicando e abreviando a vida útil dessa peça que inexiste nova no mercado. Nós, donos de conversíveis, temos quase TOC com as borrachas da capota e cheguei com o problema para o pessoal da oficina e eles bolaram um sistema com dois módulos de interface.

O desafio maior era fazer com que as duas portas abrissem independentes, e não alternadas como acontece com a maioria dos módulos disponíveis no mercado. Esse dispositivo que foi instalado abre e fecha ambos os vidros das portas do motorista e carona de maneira independente, ou seja, ao abrir as portas, o vidro baixa alguns centímetros, a pessoa entra, fecha a porta e o vidro sobe novamente sem passar lambendo a borracha da capota. Feito! Objetivo atingido e vida longa às borrachas.

Após muito quebrar a cabeça, o Laerte e o André conseguiram fazer um sistema bem legal, conforme mostro no vídeo a seguir. Quando tiver um tempo, pretendo colocar isso no meu Mk4 vermelho também.

 

Spoiler de Renault Laguna: sabe aquela peça que tu sempre quis ter no teu carro? Sabe aquela peça que o pessoal baba e fica doido pra botar no carro? Pois antes mesmo de comprar um MK5 eu já tinha a certeza que desejava colocar um disputadíssimo spoiler Dianteiro de Renault Laguna inspirado em um XR3 MK5 gringo cinza que tem imagens rolando pela internet (foto abaixo). É incrível ver a quantidade de gente na Europa que adotou este spoiler, principalmente em Escorts. Eu já tinha a peça guardada em casa e meu amigo Solenta do Project Car #309 foi responsável pela instalação no meu carro. Pra variar, o carro dele também tem o mesmo spoiler!

_Foto 60

Originalmente o XR3 vinha comsSpoilers na dianteira. Eram duas peças separadas em formato bumerangue porém é difícil achar um carro ainda com estas peças originais. Eu tenho um par destas peças copiadas em fibra mas preferi colocar o spoiler de Laguna.

 

Rádio original com equalizador: uma das coisas mais legais que esse carro tem é o rádio CD player original com módulo e equalizador. No meu carro tudo está funcionando com exceção de um autofalante que está chiando. Obviamente ele roda somente CD original e praticamente sem arranhões, mas é a oportunidade de botar pra rodar aqueles velhos CDs da década de 80 e 90 guardados em casa começando por Guns, Nirvana, passando por Paralamas do Sucesso e até mesmo mergulhando no rock argentino com Fito Paez e os doidos dos Los Ladrones Sueltos.

 

Obviamente que hoje existem aparelhos com muito mais qualidade mas nada supera a nostalgia de ter um aparelho desses em funcionamento. Alguns botões estão sem iluminação mas aparentemente me parece fácil de resolver em um serviço de paciência, abrindo o aparelho e trocando as lâmpadas velhas.

Esse grafismo do rádio com a sequência de barras do equalizador trazem um chame muito especial para o painel do carro. Diante disto, decidi substituir os quatro alto-falantes do carro, investindo em um par de Alpine 5 pol. coaxiais de duas vias para a dianteira e tinha guardado em casa um par Bomber 5 pol. triaxiais para a traseira. Não pretendo usá-los ligados em módulos paralelos, apenas no sistema original do carro. Antes que alguns ¨berrem¨, o Mk5 é de uso plenamente civil, ao contrário do Mk4 que tem boas melhorias no sistema de som com amplificador, sub, etc.

_Foto 63

Surpreendentemente até a antena elétrica funciona, item sempre problemático mas que traz uma nostalgia especial para o carro.

 

Problemas inesperados: carro antigo é gasto. Não tem jeito!!! Encostei o carro na oficina para fazer a revisão básica de troca de óleo mais filtros, além de enfim reparar o cabo do velocímetro devido à quebra do macho do sensor de velocidade que sai da caixa e é utilizado pela injeção digital Bosch. Alguns dias antes, eu havia notado que o sistema de arrefecimento borbulhava, como se tivesse ar no sistema. Lá na oficina, os guris desmontaram para tentar descobrir o que estava havendo e verificaram que a vazão da bomba estava muito baixa.

Ao desmontar a bomba, verificou-se um desgaste excessivo no rotor, o que estava iniciando um processo de cavitação da bomba e levando à diminuição do desempenho do sistema. Ufa! Gasto inesperado mas de extrema necessidade. Vou dizer eu tenho um toque com os Escorts e fico com um olho pra frente e outro no marcador da temperatura. Em 8 anos, somente uma vez o Mk4 ferveu devido a um vazamento mas a atenção (e tensão) sempre foi muito grande neste quesito. Não me perguntem o porque que eu não sei. Talvez manias ou transtornos de um gearhead!

Aqui em casa é assim, se um vai pra revisão, o outro logo vai atrás. Deixa um, busca o outro. Tudo sempre em dia!

 

Câmbio longo: este é um dos ups que estão em processo de andamento. Uma das coisas mais desagradáveis que pode existir em um carro é a 5ª marcha curta. Um dos grandes investimentos que fiz no Mk4 foi trocar a engrenagem da 5a. por uma de Verona GLX. Tal fato não seria diferente no Mk5, ainda mais depois de encarar as duas primeiras viagens dele andando a 100km/h e desagradáveis 3600 giros. Entendo que estes carros possuíam câmbios com relações mais curtas com o objetivo de dar um pouco de esportividade ao motor AP mas não consigo compreender porque não faziam carros com 4 marchas mais curtas e uma última marcha mais longa, quase um overdrive.

Os câmbios dos Escorts Mk5 são os mesmos utilizados em Verona, Logus e Pointer, já que a base é a mesma. Acionados por cabos, eles possuem nomenclaturas de três letras que se diferenciam pela relação de marchas e do diferencial. Ao se consultar a tabela abaixo, pode-se ver os diferentes câmbios adotados e suas relações.

_Foto 66

Pela meu conhecimento em Escorts, os câmbios que mais vi saírem nos Escorts XR3 são o CAN, o CNV e o CUP. O modelo mais longo e desejado por quem busca um rodar mais confortável é o famoso CAL que tem o conjunto diferencial e marchas mais longas. Este câmbio é mais encontrado em Escorts 1.8 e 2.0 Ghia, GLX, Veronas Ghia, Logus e Pointers GLS.

Saí para garimpar um câmbio destes e encontrei uma unidade em um Logus 2.0 GLS Carburado Branco Pérola. Que dor no coração ao ver aquele carro ser depenado, mas fechei os olhos para a carnificina automotiva e disse: “Vem pra mim!”

Como falei antes, neste intervalo entre os posts, tive que realizar manutenções meio urgentes no Mk5 e também no irmão Mk4 que me fizeram gastar a grana destinada à troca da caixa. Mandei lavá-la, já que parecia ter vindo direto da Guerra do Golfo Pérsico, e guardei com muito carinho na garagem até me recuperar financeiramente.

 

Pára tudo! Tem mais um Project Car na garagem!

Sim! O projeto deu uma pequena patinada nestes últimos tempos mas vou explicar o motivo: não resisti e coloquei mais um carro conversível na garagem!!Simplesmente um baita achado, única dona e sete meses de uso, baixa quilometragem, capota de tecido, pneus seminovos, freios em bom estado. Pensem na máquina! Nada menos que um modelo Loola da marca Bébé Confort, oh wait! Serei pai e meu menino nasce em Maio! É um momento de imensa felicidade e de certas mudanças nas prioridades financeiras.

_Foto 69

Os pais não devem gerar expectativas que os filhos gostarão das mesmas coisas que eles gostam, mas pensar que esse menino poderá ser meu parceiro gearhead, alguém que poderá dividir comigo o carinho pelos Escorts na minha garagem, curtir minhas miniaturas 1:18, revistas automotivas, meus Legos e torcer para o meu Grêmio! Isto me entusiasma demais!

_Foto 70

Quero ver se busco meu menino de Escort na maternidade e o modelo já está escolhido: o Mk5 azul já que este carro tem cinto três pontos no banco traseiro, requisito para prender a base do Bebê Conforto.

O Mk4 vermelho tem somente cintos abdominais (dois pontos) no banco traseiro e isto inviabiliza a colocação do bebê-conforto e das cadeirinhas modernas e seguras. Pensei em adaptar um cinto de três pontos nele porém ainda não defini exatamente o que vou fazer. Andei lendo as resoluções do Contran e, pelo que entendi, posso levar meu filho no banco traseiro já com três anos de idade, com cinto abdominal (dois pontos) e sem assento de elevação (já que ele é necessário somente para elevar a criança evitando que o cinto de três pontos posicione-se de maneira errada no pescoço dele). Mesmo assim, qualquer pai, assim como eu, deve pensar que cinto abdominal é bastante inseguro e tem o desejo de proteger seu filho da maneira mais eficiente possível! Project Car do Flatout também é kids!

 

Vamos falar sobre a capota

Falar de conversível e não falar um pouco sobre a capota é a mesma coisa que falar de Interlagos e não lembrar do S do Senna. Não tem como não citar! No Post do outro XR, o #177, eu havia contado sobre a questão da vedação da capota e sigo repetindo que se tens um carro conversível que hoje não entra água por algum ponto da capota, amanhã vai entrar. Isto é tão certo e definitivo quanto a morte (Que horror!).

Eu ainda estou no patamar da ilusão com o XR Azul já que ele realmente não entra água quando chove, apenas se eu chego com a mangueira e exagero na dose na junção do vidro com a capota, bem sobre os vidros das portas,na hora de lavar o carro. Acabam escorrendo alguns pingos pelo lado de dentro, sendo que a capota tem pouco mais de um ano.

Quando comprei o carro em São Paulo, o antigo dono gentilmente levou o carro pra mim em São Caetano do Sul em um conhecido capoteiro para fazer a troca. Pelo que sabemos, ele é o único cara que faz a capota com costuras eletrônicas (fusão a quente) nas laterais pois arrematou os equipamentos antigos originais da Karmann-Ghia. Infelizmente não dei muita sorte e a capota está encolhendo do lado direito.

Falei com o cara que produziu e ele me disse que pode ter soltado algum cabo pelo lado de dentro. De um lado está quase perfeita porém do lado direito está ficando feio e eu definitivamente não estou gostando. Pra variar, é mais um item que eu preciso mexer e não tenho tido tempo. Isso é o ruim de fazer serviços longe da sua cidade. Já podia ter resolvido mas ficando mais de 1000km de distância. Pendência! Põe na conta pra eu resolver!

Aproveitando a temática, vou abrir aqui uma discussão sobre o que muita gente vem me perguntar: Qual a melhor capota? Lona ou Bidim? Começo falando que isto aqui é uma opinião totalmente pessoal, baseada na vivência ao longo desses oito anos de Escort. Respeito as opiniões dos outros e não se sintam ofendidos.

Na minha opinião, a melhor capota é a de Lona, o material original. O Bidim tem um acabamento aveludado lindo e que dá um charme especial ao carro mas, na minha opinião, ela tem muito mais ônus do que bônus.

Como eu sempre digo, o Bidim para capotas é uma invenção brasileira para tentar imitar o tecido Canvas utilizado nas BMWs, Porsches e demais esportivos europeus. Um material não tem nada a ver com o outro e o Bidim me parece muito mais um material adaptado para capota que qualquer outra coisa. O aveludado junta poeira que fica incrustada ao longo do tempo, resultando em um material difícil de ser limpo. A

lém disto, quando a capota de bidim molha, ele absorve água, tornando-a mais pesada e sobrecarregando o sistema eletro-hidráulico dos pistões da capota. Considero também que a durabilidade da capota é menor pois aparentemente é um tecido que resiste bem menos ao sol e ao tempo que a lona. A lona é de fácil manutenção e não absorve água. Passou um pano e está zero km! A do meu XR vermelho tem 6 anos, feita por outro capoteiro de São Paulo, e está em perfeitas condições.

_Foto 74

Independente da escolha, Lona ou Bidim, o que interessa é ter uma capota nova, em boas condições, sem rasgos, encolhimentos ou demais avarias.  O cartão de visitas dos conversíveis é sua capota!

 

Comprei e não instalei

Comprei outras peças para o carro mas ainda não tive a oportunidade de instalar e, pelo visto, tão cedo não conseguirei me dedicar. Tenho tampa do porta luvas, pecinhas de acabamento, etc. Pelo menos o carro está com manutenção em dia e as peças estão bem guardadas.  Alguns mimos foram instalados com muito carinho!

_Foto 75

Bom, pessoal. Ficamos por aqui neste post. Tenho alguns planos para o Mk5 até o nascimento do meu filho e quem sabe consigo realizar o desejo de buscá-lo na maternidade de XR3. O próximo post vai demorar um tempinho maior e pretendo também fazer dos problemas de lataria e pintura que ele tem, além de falar sobre as viagens que já fiz com ele neste período de um ano e quatro meses. Um grande abraço a todos e obrigado por acompanhar meu PC.

_Foto 76

Por Régis Vasconcellos, Project Cars #321

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #246: meu Mini John Cooper Works finalmente está pronto (e com 300cv !)

Leonardo Contesini

Project Cars #371: a restauração do Volkswagen Gol GT 1985

Leonardo Contesini

Project Cars #403: meu Volkswagen SP2 está pronto!

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados