A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #34

Project Cars #34: a hora da temida troca de correia dentada do Fiat Marea Weekend Turbo

Here I am, rock you like a hurricane! Olá, galera do FlatOut. As coisas não andam muito fáceis para o Project Cars #34, também conhecido como Time Bomb. Se você não lembra dos posts anteriores, clicar no link de detonação e ler o andamento até aqui. Por falar nisso, aproveito para deixar o Facebook do Time Bomb e da Th13teen Crazy Sublime (minha oficina residencial).

Ah! chegaram uns souvenires: o adesivo FlatOut, que será colado em algum lugar na Th13rteen Crazy Sublime, e uma cartela de selos comemorativos dos 50 anos da Puma, que será adicionado a um quadro e pendurado também na oficina.

aw2648-1

Flatout e Puma 50 anos!

Mantendo o foco e sanando algumas dúvidas.

A ideia do time bomb é manter o visual geral mais próximo ao original, o que inclui cofre do motor, e caso existam upgrades estes devem ser anunciados por mim. – não quero um carro de 400 ou 500cv, quero “apenas” 250/280cv na roda (até o dia que tiver que forjar), e sei que posso extrapolar essa conta mas não é o que quero.

Não posso esquecer que o Time Bomb é um dayli driver, confortavel, de embreagem leve e que proporciona prazer ao pilotar, e atualmente o freio é apenas razoável ao meu ponto de vista, e já terei que investir em freios para parar os 250cv de roda, imagine subindo a conta.

Avaliei diversas opiniões, mas mantive meu foco, se algum investimento já foi feito em itens de perfomance mudar o rumo elevaria os custos, às vezes pode ser bom, mas confio no acerto que pretendo fazer principalmente pelo feeling e know-how de quem fará o acerto fino, – Mr. Overspeed.

Preparação é uma coisa dispendiosa e viciante, e acertar um carro não é tarefa fácil… é como diz a música sanidade, “o que parece bom pra você, pode não parecer pra mim” essa frase diz exatamente o que é acertar um carro.

 

Peças para aguentar a nova cavalaria

 

De olho no futuro: continuando com a manutenção corretiva

Como vimos anteriormente a admissão estava uma podridão que só. Com tudo desmontado e avaliado era hora de comprar o que não havia sido incluido na lista. Foi um balde de água fria, mas fazer o quê? – Vender o carro estava fora de minhas cogitações (primeiro porque não consigo ser um fdp e passar o carro zuado a outra pessoa, segundo porque sempre quis ter este carro). Foi então que percebi que carro com um único dono no histórico nada significa que foi bem cuidado.

O custo das peças nas concessionarias FIAT são um absurdo para a grande maioria, e importa-las passou a ser prioridade pra boa parte dessas peças, mas o que fosse com preço acessivel ou de extrema urgência era adquirido no Brasil. Importar me deu tempo de fazer um detailing na admissão, e refazer quase que 100% da parte elétrica com novos conectores automotivos, o que sanou por completo as falhas elétricas.

2aj3q4l

Admissão completamente limpa

O pior ainda estava a vir, não, não era nenhum defeito ou algo errado, mas a temida sincronização do Fivetech (risada sinistra ao fundo).

Trocar e sincronizar a correia do Fivetech não é nenhum bicho de sete cabeças (hoje em dia ainda dá calafrios em 99% dos mecânicos), tudo bem que se não fosse pelo CDM e pelos amigos Manoel e Willedu eu teria ficado receoso, primeiro por achar que tinha atropelado valvula, e depois por estranhar a correia dentada bamba após o funcionamento, até que eles me passaram a informação de que era normal (quase perdi o sono ao imaginar ter atropelado válvula).

 

Correia instalada corretamente e com a folga depois do funcionamento, reparem que o tensionador fica no máximo

A disposição dos itens no cofre do Marea Turbo não é exatamente igual ao 2.0 aspro e a 2.4, o Marea Turbo tem o cambio cinco centimetros menor, o que dá tranquilidade para trocar a correia sem ter de deslocar o motor e semieixo para a esquerda conf. destaca a foto abaixo reforçada pelas linhas vermelhas.

2ec0jtv

Motores 2.0, 2.4 e turbo

Pode até não ser um bicho de sete cabeças, mas não é coisa que um leigo consiga fazer, precisa-se de tempo, habilidade com mecânica, coragem, ferramentas especias, ferramentas de uso cotidiano e bons amigos e esposa com paciência pra ouvir você questionar sua sanidade.

 

As ferramentas

Para trocar uma correia você precisará no caso da Marea de uma oficina (risos), brincadeira, basicamente são essas as ferramentas:

– Relógio Comparador

– Torquimetro de baixo e médio torque

– Suporte rosca para Relógio Comparador

– Chave do Comando (ribe) em alguns casos Torx

– Ferramenta de retenção das polias do comando

– Ferramentas de fasagem

– e um jogo de soquetes com extensores, dois de preferencia para virar o eixo.

Com isso você já consegue trocar a correia da versão Turbo (que isso fique claro) para os aspirados adiciona-se algumas ferramentas.

 

As Peças

Mais do que essencial para que o funcionamento do relogio suisso fivetech, as peças devem ser de extrema qualidade. Posso colocar peça paralela? Claro que pode, você pode fazer o que quiser, só não espere a mesma performance de uma peça de alto padrão. Ex.: o tensionador original do MT é de fabricação da INA e ela só tem a polia dentada em metal se for adquirida nos concessionarios ou se por milagre encontra-lá em alguma loja de auto peças. As paralelas são sempre com carcaça plástica embora esteja cada vez mais dificil de encontrar as originais metalicas, até na Fiat.

Existem peças paralelas de ótima qualidade tais como Nytron e Ranalle, só verifique os rolamentos dos mesmos, estes devem obrigatoriamente ter rolamentos da SKF, INA, ou FAG.

– Tensor e guia do comando, e dos auxiliares – Prefira os originais Fiat, ou das marcas mencionandas acima, sempre se atentando a marca do rolamento.

– Correia dentada – Gates, Contitech, Dayco, embora essa última tem registrado bastante reclamação de durabilidade e ruído. A Correia de sincronismo (dentada) da versão Turbo é a mesma da 2.0 20V aspirada (167 dentes), diferente da 2.4 20V (168 dentes).

– Correia auxiliar – A correia utilizada na versão Turbo varia o comprimento total de acordo com cada fabricante, mas pode-se utilizar a variação de comprimento entre a 6PK1715 até a 6PK1720 já que a original é a 6PK1718. E procure sempre por correias de qualidade como as já mencionadas acima.

– Retentores – Os originais são da Corteco, mas temos ótimos retentores no mercado nacional, como os SABÓ, dê preferencia por esses que são em sua maioria mais baratos que os originais.

– Junta da tampa de valvulas – Recomendo os originais, mas mesmo estes precisam de dois pontos de adesivo de junta (3M) nas partes em ângulo (comandos), o preço é salgado e já temos paralelos que suprem a necessidade do original.

– Bucha do tirante superior – Essa bucha quebra com facilidade e não é caro, mesmo o original, mas caso queira uma com qualidade OEM e por um preço bem melhor indico a Birtec que é a representante oficial da Birth no Brasil e para a comunidade do FlatOut consegui um tag especial que dá 5% de desconto na aquisição de peças Birth, só que este TAG é por tempo limitado: CBM785. 

Basicamente é isso, não indico comprar alguns itens pelo ML caso não tenha a certeza da originalidade da peça, hoje o maior problema é a falsificação de peças de reposição e a grande maioria é vendida no ML. Pra quem é de SP existe a MercadoCar, a Birtec com excelentes preços sem contar as milhões de autopeças espalhadas pela capital, mas de qualquer forma toda cidade tem sua região tipicamente voltada para o mercado de reposição de peças, dê um pulo por lá.

 

O Procedimento

Após retirar a tampa dos comandos pude perceber que o verniz estava bem acentuado, porém sem borras, o que é bom, pelo menos o primeiro e único dono havia trocado o oleo, o que já era algo milagroso, mas com muitas marcas de vazamento de óleo.

O atuador do avanço do comando estava com o retentor danificado, coisa fácil e simples de arrumar, é só você comprar um daqueles kits de o-ring, eu sempre tenho em casa porque servem até para a paz mundial (risos).

O procedimento de sincronismo é facilmente encontrado na internet, sinceramente não indico que tente fazer este serviço principalmente se este for um Marea, procurar um mecânico com conhecimento, ferramentas ideais, e que trabalhe corretamente ainda continua sendo a melhor solução, mas este tipo de mão de obra não é e nem será barato quando bem executado. Feito o sincronismo segui com o detailing só que agora do motor e uma dica pra limpar aquele óleo seco no motor é usar os limpa TBI encontrado nas autopeças (se puder depois vaporizar àgua quente melhor ainda), compre do mais barato pra fazer a limpeza externa, já para limpeza do corpo de borboleta indico o CAR80, Wurth, ou Koube, estes são os três melhores do mercado em minha opinião.

Retirei a tampa de valvulas, carter, troquei todos os retentores e juntas possiveis, tudo novo. A tampa de valvulas dos marea merece uma atenção maior devido ao respiro e com o tempo o vapor de oleo que sobe vai fechando estas pequenas aberturas até a obstrução total, então é bom limpar quando fizer o sincronismo, pois elas podem gerar pressão extra no sistema ocasionando vazamentos e até queima de oleo.

6ftbvc

Tampa de Válvulas

 

Decifrando o quebra-cabeça

Da desmontagem até a montagem do motor o carro ficou parado exatos dois meses e quatro dias, o que é tempo demais pra você lembrar a sequencia de montagem e aonde vai N parafuso ou porca, mas como já tinha experiência em desmontes (não esquecem que já rodei o Brasil de mudança) cada peça que saia era catalogada, e uma dica é voltar com a porca e o parafuso para o lugar de onde saiu e bater muitas fotos do desmonte, mas como o motor passava por revitalização aproveitei para trocar muitas porcas e alguns parafusos que ao longo dos anos perdem suas propriedades e acabam espanando, essa é outra dica.

 

Eu quero ver o oco!

Dar a partida foi como tomar uma caixa de Red Bull e tentar ir dormir! Adrenalina a mil… será que fiz shit? – Mesmo com todos os sensores de admissão desligado o carro pegou de primeira, sensação igual a está só saltando de paraquedas ou correndo de motovelocidade tamanha a adrena! (peço desculpas mas ainda não consegui editar os videos e subir pro YT).

Depois de ter funcionado o motor e sanar algumas duvidas com os amigos de CDM continuei com a montagem, pressurização e escape, torqueando conforme especificado no Reparador Fiat.

Tomando forma: começo, meio e fim (da montagem)

No dia 30/11/2013 o motor estava todo montado e funcionando, pude me dedicar as coifas do semieixo que não existiam mais, e um dia depois o carro estava pronto pra rodar…

Pra este post é só, para o próximo falarei sobre algumas falhas e problemas que enfrentei logo após o funcionamento e o rodar do dia a dia, quanto aos custos logo abrirei minha planilha para todos.

E os que acham que este Project já está finalizando vai um To Do do mês passado.

11l63ra

To Do de Dezembro de 2014

Por Rodrigo Sublime, Project Cars #34

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #136: todos os detalhes do motor e da preparação do Mitsubishi Eclipse GST de Leandro Amorim

Leonardo Contesini

Project Cars #331: meu Gol AP 1.9 Turbo finalmente está andando – e andando bem!

Leonardo Contesini

Project Cars #288: escolhendo pneus e rodas e a volta às pistas do Fiat Palio de Rali

Leonardo Contesini