A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars #34

Project Cars #34: novas rodas exclusivas e uma suspensão especial para o Time Bomb, meu Fiat Marea Weekend Turbo

Um passo a frente e você não está mais no mesmo lugar! ih… com mais um bom som dou sequência no #PC34, conhecido mundialmente no FlatOut! como TIME BOMB.

Para os que acompanham a saga desde o começo este post entrará na tão aguardada parte da fabricação das rodas de modelo original só que em dezessete polegadas, já para os que não sabem do que se trata o Time bomb sugiro dar uma lida nos posts anteriores!.

 

Partindo do zero

A ideia inicial de desenvolver as aro dezessete veio do pessoal do marketing da FIAT quando um anuncio apresentava o Marea Turbo levemente baixo e com rodas maiores (o que é de praxe no meio da publicidade automotiva).

01 - Foto Publicidade FIAT

Os mais novos não devem saber, mas antigamente não era comum existir rodas maiores para nossos carros, quando muito saiam em quinze polegadas e já estávamos satisfeitos, os anos foram passando e o diâmetro aumentando. No ano de 2007 começaram alguns tópicos no clube do marea (CDM) referente fazer as rodas em diâmetro maior, mas sempre havia um empecilho, o custo.

Então em 2008 conheci umas rodas bem parecidas com as do turbo, porém em dezesseis polegadas da fabricante portuguesa Brio para o trio Bravo(a), Marea e Coupé e vendidas como acessório pelos concessionários no antigo continente (e raríssimas até hoje). A diferença ficava por conta de não haver as bordas como em nosso modelo, segundo alguns amigos do meio de desenvolvimento de produto o estilo das rodas europeias foram a base para as nossas. Durante um longo período tentei comprar e importa-las, mas o custo beirou o ridículo.

02 - aro 16” da Brio e aro 15” oriundas do Marea Turbo

Aro 16” da Brio e aro 15” oriundas do Marea Turbo

No ano de 2012 resolvi então assumir uma empreitada com alguns amigos do CDM, na verdade dez amigos que confiaram a mim o desenvolvimento das rodas de dezessete polegadas. Entrei em contato com uma empresa que já havia conhecido por conta das Powertech do Omega, e que o diretor do CDM já havia iniciado as conversas. Liguei, negociei, fiz um pequeno contrato e acertamos então a produção de dez jogos de rodas a um preço de custo. Cheguei a ligar para outros possíveis fornecedores mas nenhum se mostrou interessado.

 

O Desenvolvimento

Para que não houvesse erro desenvolvi toda a matemática, mas fui informado pelo fornecedor que não seria preciso pois o mesmo não entendia nada daquilo “?”, ou seja, nada de 3D e 2D. Então como será feita a roda? Com a original em mãos é feito um molde do miolo e adiciona o aro desejado centralizando tudo, dá-se acabamento e desta maneira o molde em dezessete polegadas está pronto.

Até este momento tudo estava correndo perfeitamente até que começaram os problemas com o fornecedor, o processo do mesmo é artesanal e a desculpa pelo atraso (oito meses) era sempre a falta de mão-de-obra (o que não duvido), mas o maior problema foi começar a ver anúncios na internet das rodas sem mesmo recebermos as nossas.

Ao receber a primeira remessa percebi um erro grotesco, o offset estava completamente errado o que foi corrigido nos demais, quando resolvemos fazer as rodas nos foi dito que não poderíamos refazer a tala e nem o offset. Ok, sem problemas nos contentaremos com a tala de 6,5” mesmo, mas no final nos pareceu que toda essa alteração seria possível, uma pena, pois uma tala 7,5” com offset alterado seria ideal para um up de freios sem maiores problemas, do qual me pouparia uma boa grana gasta em espaçadores racing da sparco (falarei mais sobre eles).

 

 

Prova de fogo

Pra quem se lembra eu disse que não recomendo o fornecedor/fabricante por “n” motivos, no geral as rodas não ficaram ruins, devendo um pouco no acabamento final mas nada demais.

Um dos problemas era a quantidade de peso necessário para balancear, com o balanceamento dinâmico o problema foi sanado com quase nada de peso nas rodas.

Agora uma particularidade: – eu julgo as rodas em aro dezessete um pouco fora da realidade de meu carro, e acredito que as dezesseis ficariam melhor entre conforto e esportividade, mas nove entre dez pessoas queria dezessete polegadas.

Infelizmente não consegui andar por muito tempo com as mesmas, já que o pneu de perfil 45 é baixo e em pleno seculo XXI você ainda perde um pneu e fica parado devido um buraco, comprar um run flat está fora de cogitação, e utilizar um perfil 55 numa aro dezesseis seria mais confortável sem afetar o stance e a funcionalidade.

 

Quinze x Dezessete

O maior problema entre as duas rodas é o conforto e o peso, nas de quinze polegadas nos temos o conjunto roda e pneu pesando exatos 17,6 kg enquanto as dezessete pesaram 21,2 kg uma diferença de 3,6 kg por roda e 14,4 kg no conjunto. Este peso não está fora das rodas de dezessete polegadas vendidas no mercado.

06 - aro 17 e 15 lado a lado04 - Peso da Roda 17 + pneu 205_45 05 - Peso da roda 15 + pneu 205_55

Essa maior massa não suspensa afeta diretamente a dinâmica, e me obrigar a fazer pequenas alterações na suspensão, e principalmente aumentar a carga dos amortecedores.

Então qual é o beneficio em utilizar rodas de dezessete polegadas? – Aqui nos temos o famoso cobertor curto, e pra detalhar tudo eu teria de ser extremamente técnico por isso sugiro que leia alguns posts tecnicos do Flatout, como este sobre understeer e este sobre redução de peso.

O stance ficou lindo, e o uso de uma roda de maior diâmetro sem alterar o nominal faz com que a borda de rolagem do pneu seja menor, em outras palavras, melhor em curvas*, sem contar o upgrade de freios mais fácil com as dezessete, correr é bom, mas parar é melhor! *mas não existe milagre só aumentando a roda.

07 - Stance 17 e 15

Atualmente o setup do time bomb é exatamente aquele de quando saiu da fábrica da Fiat em Betim, com uma única diferença pois faço uso dos 205/55 R15 ao invés do 195/65.

 

O retorno dos que não foram

Voltaram as 15” porque estourei dois pneus em menos de um mês aqui em Lauro de Freitas e em Camaçari-BA, o que me deixou surpreso com a roda pois não sofreram danos. Também retornaram as molas originais o que me deixa #puto pois ter lindas rodas 17” e não usufruir é um sacrilégio.

08 - Amortecedor Cofap + Red Coil

Amortecedor Cofap e molas Red Coil

Este é um problema que logo será corrigido, pois a Time Bomb está passando por uma restauração e venderei as molas esportivas da Red Coil (alguém interessado?) e colocarei as Coil Over que estou analisando as opções de mercado e aumentarei as cargas de amortecedores. Por quê? Infelizmente esse peso a mais nas rodas faz com que a suspensão chegue ao fim de curso com certa facilidade nos mergulhos, e as ruas da região estão sendo recapeado novamente, milagre!

Jpeg

Troca por batentes de PU para aguentar o fim de curso

 

Correções e melhorias

No meu terceiro post eu mostrei que as novas rodas dianteiras colidiam com os calipers devido o erro do offset isso me obrigou utilizar espaçadores, vc deve estar se perguntando pq não enviei a roda para conserto? respondo: – mais vale um pássaro na mão do que dois voando! vai saber quando eu receberia essas rodas de novo!

De inicio adquiri aqueles espaçadores bem vagabundos vendidos no ML que supriram minha ânsia, mas aquilo não era nem de longe seguro e funcional então parti para uma solução definitiva e que melhoraria um pouco mais a aceleração lateral do time bomb.

Bitolas maiores, sim espaçadores da linha racing da SPARCO de titanium com center hub importadas da Itália e que pesam cerca de 50 gramas cada. A bitola dianteira aumentou 24 mm e 32 mm na traseira, inicialmente o novo setup me agradou mesmo diminuindo 27,5% da bitola dianteira em relação à traseira.

10 - Espaçadores SPARCO 11 - Prisioneiros e Lugnuts

O Marea Weekend Turbo não é uma excelência em curvas mas contorna bem, com um bom setup a dianteira aponta e contornam curvas deixando a traseira solta (bem solta, até por isso aumentei a bitola traseira, só que agora escapa sem dar muitos sinais, lembrando um slick), já se entrar muito forte espalhará e, se abusar das transferências de peso é certo que rodará.

Meu setup é bem simples embora já tenha sido mais agressivo, e como é um daily driver mantive algo usual (qdo a altura está original tudo fica original), para a dianteira uso o câmber de -2°, com caster de 2,5° e convergencia de -4 mm (divergência), e a traseira mantenho o especificado pela montadora.

Para segurar as rodas adquiri prisioneiros forjados da linha desenvolvida para carros da PSA de Rally da JJC que mantém o mesmo passo de 1.25, assim fica mais fácil retirar e instalar as rodas mais pesadas que não possuem o mecanismo interno de alinhamento como os originais, e por último um detalhe caro e que acho muito bonito nos JDM e que quis trazer para o polpettone look são os lugnuts da Rays Engineering.

Para completar tudo mesmo, ainda que em sonho pretendo calçar o Time Bomb com as rodas do Alfa Romeo 166, 5×98, tala 7,5

Lugnuts e espaçadores com os prisioneiros e um acerto na caixa pra não pegar o pneu (nada de fender roller)

 

A aposentadoria do daily drive

Vocês se lembram do tattoed (Inked) o Escort Zetec? Ele se foi! e nem deu tempo de bater uma foto do novo menino, o injek e o time bomb juntos. O veterano Escortera da Baêa foi vendido mas continuará na família com o meu sogro, o que é bom pois o carro tá zero! (embora as vezes eu queria ter feito fogueira de São João) só a pintura meio rat look.

Ele conviveu um longo e bom período em harmonia com o Time bomb e fizeram uma amizade verdadeira já que um só quebrava quando o outro já estava rodando.

17 - Time bomb look that ass!

Porém os quase 20 anos do Inked e 15 anos do Time Bomb fizeram com que um novo realmente novo daily driver chegasse a família, este é o poderoso Sandero RS, o RS aqui é de Rodrigo Sublime, porque na verdade é um expression completo e bom pra caraca.

O Time bomb terá seu descanso merecido depois de quase seis anos de uso diário e agora será o carro do lazer, viagens e sei lá o que mais.

18 - Time bomb e Sandero RS

Para o próximo post falarei sobre a restauração depois da colisão, e até lá decidirei que coil over comprarei…

Grande Abraço e um feliz Natal e um ótimo ano novo para vocês flatouters e familiares.

Por Rodrigo Sublime, Project Cars #34

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #34: os mitos e os segredos da manutenção do motor Fivetech do Fiat Marea Weekend Turbo

Leonardo Contesini

Project Cars #34: a hora da temida troca de correia dentada do Fiat Marea Weekend Turbo

Leonardo Contesini

Fiat Marea Weekend Turbo: férias forçadas, um banho de tinta e mais upgrades para o Project Cars #34

Leonardo Contesini