FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #373

Project Cars #373: como meu Renault Clio de rua se tornou um carro de track day

Vamos para o projeto! Logo que peguei o Clio na revenda, precisei voltar ao trabalho com pressa, voltei testando o novo velho brinquedo acelerando tudo e sim, cheguei a tempo!! Mas na hora de ir embora acendeu a luz da injeção do Renozinho e ele não passava das 3.000 rpm.

Que raiva me deu daquele Escort me chamando no alerta e o Clio mal se movendo na rua. No dia seguinte deixei na loja reclamando do problema e no mesmo dia me ligaram falando que o carro estava pronto, ótimo né? Não!

Três semanas depois de eu usar o carro a maldita luz acendeu de novo, levei à loja e falei: “Ou vocês arrumam essa m**** ou eu quero aquele Focus ali”, prontamente o vendedor disse que não podia já que o Focus era R$1.000 mais caro que o Clio, eu disse: “Não ligo, se esse lixo não ficar bom, eu vou devolver”.

Deixei o carro na segunda e no final da tarde de sexta a loja disse que o carro voltou arrumado de verdade, que havia sido passado o scanner e revisado todos os sensores do carro, logo foi visto que o problema era o sensor do acelerador eletrônico. Peguei o carro e realmente não deu mais problemas, agora eu podia meter o pé sem dó!! Como o carro tinha garantia de 3 meses de motor e caixa, andei de modo soviético nesse período pra ver se estava tudo em dia, na verdade, continuo andando assim, visto que comprei o carro no final de 2014, será que os três meses da garantia já acabaram?

Minha namorada fazia cursinho no centro na época e eu disse à ela que ia buscá-la, com o cagaço do carro ferver (trauma da época do Marea) eu sempre conferia água e óleo no Clio, conferi e saí de casa, mas no caminho inteiro fui pensando “será que fechei mesmo o reservatório do fluído de arrefecimento?” até que a umas 4 quadras do cursinho, ouvi um estouro no motor e muita fumaça. MAS QUE DIABO ACONTECEU? A tampa do reservatório ficou mal fechada e ababou estourando por causa da pressão. Parei o carro na rua, liguei o alerta e estava tudo molhado naquela joça, comprei uma garrafa d’agua e joguei pra dentro, estuprei a tampa fechando o mais forte que pude e vim pra casa puto da vida comigo mesmo. Achei que tudo tinha virado em mer**. Completei a água, dei alguns rolês e o carro não deu mais problemas.

A falta do ar condicionado aliada ao calor do verão curitibano (acreditem, quando aqui esquenta, esquenta mesmo!) e ao trânsito que eu pegava no centro me irritavam, então comecei pelo básico e mandei dar uma carga no gás do ar condicionado, R$50,00 depois tcharam! O ar gelava que era uma beleza. Como eu parava o carro bastante na rua, resolvi dar um jeito no alarme, então R$5,00 reias depois, pilha trocada, tcharam, o alarme funcionava. Aproveitei que estava de folga e mandei tirar o insufilm e pintei as calotas de preto. O carro já estava funcionando perfeitamente e estava com outra cara, infelizmente tinha apenas uma foto dele dessa época e acabei perdendo ela.

A idéia do Clio era ser um carrinho de dia a dia original, mas não deu muito certo, depois de 1 mês com o carro achei um anúncio no OLX que dizia: Rodas R16 4×100 com pneu. O preço era muito baixo, então fui ver as rodas, estavam jogadas no fundo de uma oficina porém reformadas, calçando pneus menos de meia vida Maxxis 205/45R16. Acabei abraçando. Como era sexta a noite liguei pro Cauê e falei: “Pia, comprei umas rodas pro Clio, ta afim de vir aqui em casa colocar? Vamos aproveitar e cortar as molas também. Aliás, tem cerveja pra fazer isso”.

O Cauê topou e viramos a madrugada tentando desmontar o amortecedor com quase nenhuma ferramenta. Lógico que não deu certo e acabamos bebendo e só trocando as rodas. Na manhã seguinte fomos à uma oficina de suspensão de um amigo mexer na suspensão. Os piás mandaram eu ir comprar cerveja já que eles iam mexer no meu carro e eu fui, quando voltei me deparei com o Clio desse jeito:

1 foto mola cortada

“FILHOS DA P***, CAGARAM COM MEU CARRO!”. Foi a única coisa que pensei, riram bastante da minha cara, mas depois percebi que era só zueira, montamos os amortecedores e as molas cortadas, o carro ficou animal de curva, apesar do tanto que quicava em ruas de buraco. No final das contas ele ficou assim:

 

A título de curiosidade, vi que o pessoal ficou super curioso a respeito das rodas, eu não fazia idéia que modelo era até o começo do mês, mas pra não deixar vocês na mão, descobri que são Mille Miglia MM-15 D tala 7,5 originais! Acredito que sejam bastante raras, pois nunca vi à venda aqui no Brasil e achei só 1 jogo a venda lá fora.

A idéia do Clio ser original estava indo por água abaixo, então rolou no AIC um TrackDay organizado pelo pessoal do TrackDayIn. Fui com meu pai e meu irmão pra ver qual era e acabei me apaixonando, ter a oportunidade de sentar o cacete no carro sem medo de tomar multa e caso acontecesse alguma cagada, estar num local seguro me encantou, então comecei a pensar no projeto TrackDay/Daily. Comecei lógicamente pela suspensão, vi algumas oficinas e resolvi fazer em uma que não vou falar o nome, oficina nova no ramo porém pouca coisa mais barata que as conceituadas, tenho que dizer que o Cauê aconselhou: “Não leve o carro nessa oficina, faça em uma que entenda do negócio”. Não dei bola e acabei montando, foram colocados quatro amortecedores encurtados e quatro molas esportivas cortadas, deixando o carro nessa altura:

2 foto mola cortada

Não preciso dizer que o carro ficou um lixo para o que eu ia usar, então levei de novo na oficina para dar um jeito de erguer, como eu era muito leigo no assunto, acabaram colocando uns calços por baixo da mola que faziam o Clio ranger em ruas de buraco, e como moro em uma rua que é tão esburacada quanto o solo lunar, isso me irritava bastante, mas como eu já tinha torrado boa grana na suspensão, acabei deixando assim mesmo.

Vale salientar que economizei R$100 entre o trampo da oficina nova e a qualificada para fazer a suspensão de pista, mas a economia foi embora quando eu testei o carro e acabei vendo um radar/pardal/qualquercoisaquevocêchamenoseuestado muito em cima da hora, graças a isso tomei uma bela multa de quase R$700 e perdi a CNH durante dois meses. Foi o que minha mãe gosta de chamar de economia porca. Deixei a suspensão rangendo mesmo, pelo menos estava bem firme em curvas, e era o que importava no momento.

Na época acabava de ser lançado o Velozes e Furiosos 7, chamei os amigos e fomos assistir o filme, minha namorada e eu no meu Clio, o Cauê e a namorada dele no Clio dele e meu cunhado e mais um amigo no Stilo Abarth do meu cunhado, os dois tinham filtro esportivo e escapamento direto, enquanto o meu estava original.

ida pro filme

“Maurício, fotos do Clio do Cauê e do Stilo Abarth!!!” Calma gente, tá aqui, no dia do filme.

Fiquei muito agoniado de sair do filme, dar uns aceleros com os amigos e meu carro ser tão quieto e chato em comparação com o da piazada. Logo levei o Clio fazer o escape, pesquisei os preços e comprei um abafador da RaceChrome de inox com ponteira queimada e fiz o cano direto do coletor até o final em duas polegadas, peguei um filtro de ar cônico da RaceChrome que meu cunhado tinha largado em casa e montei no Clio. Admito que o ronco ficou animal e o carro estava andando consideravelmente mais do que antes. Ele estava do jeito que eu queria para andar no trackday.

abafador racechrome

Porém tinha um problema, meu pneus estavam carecas e eu não tinha grana pra comprar um jogo novo!! Acabei pegando umas réplicas da BBS de aro 17 com pneus de um amigo meu emprestadas, montei no Clio, enchi o tanque de álcool e fui para o autódromo.

Essa experiência foi sensacional! Fui eu e minha namorada com meu Clio, o Cauê e a namorada dele com o Clio dele e ainda consegui arrastar meu pai, minha mãe e meu irmão para o autódromo! Lá conheci o Alexandre que tem o Clio Project #301, o Dicckie e seu Clio Sedan de tiozão 1.6 16v que faz tempos assustadores no AIC e mais uma galera, não preciso dizer que o dia no autódromo foi simplesmente do cacete! A sensação de sair dos boxes metendo o pé pra entrar na reta principal e já vir descendo marcha pra fazer o S de baixa foi uma das melhores da minha vida!

Andei a manhã inteira, levei meu irmão pra andar, meu pai pediu pra andar também e quase se cagou todo já na primeira volta e ficava repetindo pra eu ir mais devagar… Po*** pai, estamos na pista, como assim andar devagar? Duas voltas depois tive que deixar ele nos boxes porque já estava mais branco do que já é! O Cauê andou comigo, a namorada dele andou e até minha namorada que se borra de medo de correr, andou comigo e curtiu o passeio, vide foto dela abaixo!!

namorada curtindo o role

A idéia não era marcar tempo, mas sim aproveitar o local, a companhia dos amigos e da família num lugar que todo mundo gosta e num evento tão bacana e tão organizado, mas à titulo de curiosidade, virei 1min58seg nesse dia.

trackday 3 foto

Faltavam uns 20 minutos para acabar a bateria da manhã, a qual eu estava andando e resolvi entrar nos boxes para levar minha mãe para curtir um pouco, mas quando eu estava na curva do pinheirinho, senti a direção balançar demais, joguei o carro no canto da pista e fui a uns 20km/h para chegar nos boxes e ver o que estava acontecendo, porém quando saí do S de alta e logo que saí da pista, vi a roda correr mais que o Clio, sim, a roda dianteira esquerda saiu do carro, resolveu que era hora de ela viver livre e o Renozão andou só com o disco de freio no chão.

clio quebrado 1 clio quebrado 2

Ali mesmo o Clio ganhou o primeiro apelido dele: Clio Triciclo! Fora a zueira dos amigos falando que tomei pau até pra roda do meu carro, falando que tomei alerta da roda e tudo mais. O guincho veio e ergueu a frente do carro pelo parachoque, coloquei o estepe e fui para os boxes entender o ocorrido. Acontece que como a roda era réplica, o miolo acabou não aguentando a força que estava sendo feita ali, quebrou o miolo da roda e acabou arrancando os parafusos do cubo do carro e trincando meu paralamas, coloquei o estepe, um parafuso (sim, só um parafuso) e aproveitei o resto do dia pra andar de carona com os amigos e dar risada do ocorrido.

Essa edição foi bem perto do dia dos namorados, e a página do TrackDayIn resolveu colocar uma foto minha, da minha namorada e do Cliozão juntos como capa da página do face deles!

capa do face trackdayin

Ainda fui pra casa no domingo, pedi ajuda do meu pai pra enfiar um rebite no paralamas (para prender, já que tinha quebrado a trava original) e fazer um polimento pra sair as manchas pretas e fui trabalhar com o carro na segunda feira desse jeito. No final do dia levei o Cliozinho pra oficina.

Lá acabei optando por fazer uma revisão no carro, sendo que nem isso eu tinha feito. Importei a correia dentada, comprei tensores e rolamentos originais, comprei óleo ELF 10W40, filtro de óleo novo, filtro de combustível novo e fui faceiro pra oficina, lá ainda descobrimos que o coitado usava velas do motor D4D (Renault 1.0 16v), estava com o coxim do motor destruído, e que o cubo tinha ído pro espaço. Acabei comprando velas da NKG certas para o motor K4M (Renault 1.6 16v), coxim hidráulico novo e optamos por fazer prisioneiros no cubo, segundo meu mecânico, do Omega brasileiro (Que também é outra longa história que vai ficar mais pra frente).

Agora sim a manutenção do Cliozinho estava em dia, mas o visual eu acreditava que podia melhorar, pode parecer bobo, mas sempre pirei em carros com adesivos de bom gosto e eu tinha alguns salvos no meu computador desde a época do Marea da minha mãe, então pedi pra minha tia fazer alguns pra mim, o Cauê pintou os escritos do pneu de branco e o carro ficou como eu sempre quis:

foto final post

Porém, um barulho vindo do escape me incomodava demais, quando levei pra ver o que era, descobri que o abafador havia se destruído no TrackDay. O abafador é preso por rebite e não aguentou o calor excessivo, arrebentou os rebites e cuspiu a malha acústica interna, arranquei fora e mandei pra garantia, enquanto isso eu andei com o Clio sem escape e pneus carecas! Preciso salientar que a mãe “adorava” ouvir meu carro ligando 8 horas da manhã no fundo da garagem. Aprendi nessa situação que não se deve economizar no projeto. Mas como na vida de Joseph Climber, a vida é uma caixinha de surpresas. Uma noite acelerando na rápida, dei uma largada no sinaleiro e ouvi um barulho esquisito vindo da roda, quando cheguei em casa, descobri que o pneu já tinha dado adeus e que não tinha mais jeito, eu precisava de um novo jogo. Mas sem grana, o que dava pra fazer?

Jpeg

No próximo post vou falar sobre a mudança do visual, o segundo trackday, uma tentativa de suicídio automotivo, o arrependimento da mudança de visual, o motivo do apelido Clio JDM e mais algumas cagadas pra variar. Até a próxima!

Por Mauricio Grzybowski, Project Cars #373

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Hora de instalar o V6 Alfa Romeo e o novo câmbio no meu Fiat Tempra, o Project Cars #36

Leonardo Contesini

Project Cars #331: começa a preparação do meu Gol G3 para track days

Leonardo Contesini

Depois dos problemas, o shakedown do meu Corsa com motor de F3, o Project Cars #12

Leonardo Contesini