A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #373

Project Cars #373: o terceiro track day e a tentativa de suicídio do meu Renault Clio 1.6 16v

Fala, cambada! No último post terminei falando sobre como acabou a vida dos meus pneus, sobre o Clio sem escape e sobre a pobre suspensão rangendo, vi que houveram muitas críticas com relação à isso mas não se preocupem, eu dei um jeito!

Lógico que como os pneus estavam carecas, comprei pneu remold pra economizar e arranquei as molas para pararem de fazer barulho né, problema resolvido! Calma, calma, calma, é zueira, não façam isso crianças, pode dar mer**, na verdade, vai dar!

Bom, falando sério, sair as 8 da manhã de casa sem escape estava deixando minha mãe louca (mais louca, no caso), acabei não economizando nessa parte e liguei pro Paulinho da Escapepar. Conversei com ele e resolvemos fazer um coletor novo 4×1, manter o cano de 2 polegadas e instalar um abafador Luzian com ponteira de 4 polegadas. Eu achei que o ronco ia ficar um inferno de alto, mas para minha surpresa, mesmo o novo abafador sendo bem maior que o antigo, o ronco ficou mais quieto, mais grave, encorpado e mais bonito do que com o Racechrome.

Foto 1

Pronto, o escape estava resolvido. Foi o primeiro passo rumo à virar o Honda Clio, os idiotas dos meus amigos sempre falam que o ronco parece dos VTEC, mas o que ajuda é a minha tocada, sempre deixa dar uma pipocada no corte daí sim pode trocar a marcha! Perde tempo? Sim, mas o importante é se divertir! Segue o onboard e vejam se concordam…

Eu tava zerado de grana e com os pneus carecas, meu pai viu que a situação apertou pra mim e resolveu me ajudar, porém com uma condição: Eu teria que erguer um pouco o carro de forma decente, que daí ele compraria 4 pneus novos pro carro. Entrei no OLX e achei um jogo de molas Eibach usadas para Clio 1.6 16v, arrematei por um valor realmente justo pelas molas, raspando todo o resto da grana que eu tinha.

Para minha surpresa, as Eibach Pro-kit eram praticamente novas, o antigo dono usou um mês no carro, tirou e me vendeu, bom pra mim!! Como eu tava sem nada de grana, parti para o do it yourself, lógico que com a ajuda dos amigos né. Liguei pro Cauê me ajudar e fomos à uma oficina de um amigo nosso que mexe só com jeepzão de trilha, não preciso dizer que o Clio não estava no seu habitat natural, mas o seu Mário sempre foi gente boa com a gente e nunca se incomodou de usarmos seu espaço e suas ferramentas da oficina. Valeu, Sr. Maricatti!

Chegamos lá as 22hrs e começamos a desmontar a frente, logo de cara uma surpresa, o parafuso da torre do amortecedor estava travado e não afrouxava de jeito algum, tentamos por aproximadamente 1 hora e meia, quebramos 2 chaves e resolvemos pedir ajuda pra um outro amigo (que na época nem era amigo meu, mas sim do Cauê), nosso querido amigo hondeiro Jean!! Ligamos pra ele pra ver se tinha como nos ajudar, e o cara mesmo quase dormindo, levantou, trocou de roupa e foi se fod** com a gente no frio de madrugada no meio da semana. Vi que o cara era realmente gente boa.

O Jean chegou lá com seu Vectr… não, Accord 94 (calma que logo vem fotos dele) e como num fucking passo de mágica, ele tirou o maldito parafuso, não nos contou até hoje como. Depois disso foi tranquilo, enquanto o Jean mexia na suspensão dianteira, o Cauê foi mexendo na suspensão traseira e eu fiquei fazendo um monte de nada, pra variar. Depois de montada a suspensão, a frente ficou da altura ideal, mas a traseira ficou estranha. Cauê falou pra eu dar uma volta e ver como tinha ficado.

Como a rua era de buraco, ia ser bom pra testar e infelizmente a traseira estava dando final de curso invertido no amortecedor, ele estava esticado demais. Voltamos pra oficina e conversamos com o Mário, e ele nos deu a idéia de pegar uma chapa de ferro, fazer 2 furos e fazer um tipo de extensor que conectasse um parafuso no eixo, e o outro logo acima no amortecedor, assim poderíamos deixar na melhor altura pro amortecedor.

Sim, o Sr. Maricatti é mestre nas gambiarras e graças a Deus por isso! Fizemos a ponta de eixo invertida idealizada pelo Mário e montamos no Clio, no começo não achei uma boa idéia, mas o Mário e o Cauê me garantiram que ia aguentar, bom, eu testei… Segue foto da peça fabricada por nós mesmos!!

Foto 2

Cumpri minha parte no acordo e meu pai cumpriu a dele, num sábado de manhã fomos na loja de um amigo nosso comprar os pneus e não tinha na medida que eu queria, 205/45R16. Na verdade não tinha nenhum aro 16 perfil baixo novo, então o pai viu na parede da loja as rodas do Sandero Privilège aro 15 e me fez uma proposta: “Filho, deixa essas 16 raladas aí com pneu e tudo e pegamos um jogo de rodas novas e originais e uns pneus fod**, o que acha?” Como eu tava quebrado de grana e era meu pai que estava pagando, acabei abraçando, montei no carro e… broxei.

Foto 3

 

Pensei comigo mesmo: “Bom, com o passar do tempo eu me acostumo”. Pelo menos o Clio saiu de lá com um jogo de rodas originais Renault, calçando quatro pneus Dunlop SportMaxx 195/50R15. Pra quem estava com raiva da falta de qualidade das peças do Clio, eu disse pra vocês relaxarem hahaha. Andei com o carro e como ele estava mais alto e com mais pneu, estava muito confortável e bom de andar, pensei comigo: “Tá muito originalzão e eu to sem grana, o que fazer pra ficar com um visual mais racing sem gastar grana?” Põe mais adesivos!

Sempre curti adesivos da faixa da França mas nunca tive coragem de fazer, liguei pra minha tia que cortou à mão os adesivos vermelho azul e brancos e ela colou no Clio, digo que na hora achei animal! Muita gente torceu o nariz, mas eu monto o carro pra mim, não pros outros, então que se exploda!!

Foto 4

Como o carro estava bom e tinha chego na sua “segunda fase”, resolvi encarar outro trackday, dessa vez sem perder a roda, de preferência. Fomos andar em Outubro e estava chovendo! Como a condição do tempo não estava favorável pra marcar tempo, dessa vez eu fui pra me divertir 100% e foi o que eu fiz, novamente foram todos meus amigos, meu pai, minha mãe, meu irmão, as namoradas dos amigos, minha namorada, enfim, foi quase o bando de idiota inteiro!! Inclusive quase que eu e o Cauê enfiamos a cara no muro na primeira perna do S de alta. Chuva + terra na pista + tirar o pé = cagada! Sorte que o Cauê gritou pra eu reduzir uma marcha e afundar o pé, foi o que eu fiz e o carro corrigiu, deu um cagaço na hora, mas logo depois foi só risada!!

Foto 5

Andei a manhã toda e aparentemente não havia quebrado nada (até a gambiarra do Cauê e do Mário na suspensão aguentaram suave), guardei o carro nos boxes e fui andar de carona no Clio do Cauê, no meio da tarde a chuva parou e começou a abrir um sol. Saímos do AIC e fui pra casa com minha família e com o Cliozão. Cheguei em casa e fui dar uma dormida, aproximadamente 1 hora depois, meu pai me acordou pra que eu fosse buscar uma pizza, quando eu estava saindo com o Clio da rampa da garagem, uma surpresa! Ele estava vazando óleo!

Foto 6

Fiquei puto e deixei o Clio em casa, saí de Polo. Quando voltei pra casa, liguei pro meu mecânico e ele pediu pra eu levar o Clio na oficina dele na segunda-feira. Chegando lá, vimos que era só uma braçadeira que havia se soltado e estava babando óleo. Braçadeira trocada e devidamente apertada e vamos trabalhar! Umas duas semanas depois vi que o carro estava freando estranho e fazendo muito barulho de metal, quando reparei bem, vi que a pastilha tinha dado adeus à sua vida útil e estava começando a comer o disco. Resultado? Troca do par de discos dianteiros e do par de pastilhas, aproveitei que o carro já estava parado e fiz a revisão dos freios traseiros e da suspensão. Nessa brincadeira ainda tive que trocar boa parte das buchas da suspensão e as duas bandejas. Mas agora o carro estava zerado!!

Nessa época eu estava trabalhando e fazendo cursinho à noite, e numa dessas noites, voltei meio “animado” pra casa e usei bastante o freio. A garagem daqui de casa é uma rampa bem íngrime com um portão bem alto, parei o Clio lá em cima e puxei o freio de mão com “dó” por estar novo.

Fui dormir e meu pai me acordou 1 hora depois com a notícia: “Filho, o Clio desceu a rampa sozinho, derrubou o portão e tá batido no muro do vizinho.” Eu achei que era zoeira, visto que a chave reserva fica escondida no meu quarto, e a chave dele sempre fica na cabeceira da minha cama bem do meu lado. Quando fui lá fora, era verdade! O portão de quase quatro metros de altura no meio da rua e o Clio de ré no muro do vizinho. Guardei o carro com um ódio enorme, ajudei o pai a erguer o portão e pra não peder a viagem, já enfiei uma bicuda na traseira do carro.

Foto 7 Foto 8

Eu não conseguia entender como aquilo havia ocorrido, então meu pai achou uma explicação plausível. Como voltei chinelando o carro, os freios esquentaram muito, como puxei pouco o freio de mão, as lonas traseiras esfriaram, se soltaram e o carro desceu a rampa. Levei no dia seguinte ao mecânico, melando todos os planos de andar no trackday de dezembro e de viajar em Janeiro com o carro.

Resultado do orçamento: para-choque amassado, para-lama traseiro esquerdo amassado, lanterna traseira esquerda quebrada, teto amassado, parte superior da porta do motorista amassada, tampa do porta malas amassada, e o spoiler do teto amassado. Pelo menos meu abafador, as rodas e os pneus saíram intactos!

Nesse meio tempo fiquei usando o “cruzes, credo, eca, Nossa Senhora, que por** é essa”, apelido carinhoso que a galera deu pro Clio 1.0 16v meio surradinho do meu avô, que me emprestou o carro de bom coração pra mim enquanto o meu estava internado. Valeu, Sr. Maneco!

Uma semana antes do Natal, depois de muito discutir com meu mecânico sobre a diferença que estava dando na cor, peguei o carro. Fiquei um mês e meio sem ele, e quando voltou sujo, com as rodas 15, e sem as faixas, broxei totalmente com o carro e pensei em vendê-lo. Pensei durante uma semana, cheguei a fazer o anúncio do carro, mas não tive coragem, era muita grana (pra mim) e tempo investidos, uma boa aprendizagem adquirida, mais boas memórias do que más, e algumas amizades de ouro feitas e outras reforçadas justamente por causa desse carro.

Desisti de vendê-lo, viajei pra praia de carona com a namorada e voltei com algumas idéias, mas que vão ficar para o próximo post! Vou deixar um aperitivo pra vocês…

Foto 9

Até mais, rapaziada! A caixa de comentário é toda de vocês!

Por Mauricio Grzybowski, Project Cars #373

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Fiat Brava 2.4: a história do raro Project Cars #405

Leonardo Contesini

Putz! Hora de descer o carro da varanda do sétimo andar – a conclusão do Project Cars #209

Leonardo Contesini

Project Cars #318: a conclusão do meu Honda Prelude VTEC 1993

Project Cars