A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #41

Project Cars #41: decifrando a instalação do painel original e o motor do meu Fiesta Zetec-S Mk5

Fala, galera do FlatOut! Estou de volta para contar mais sobre o (lento) andamento do Project Cars #41, meu Fiesta Zetec-S. Neste post veremos a saga da instalação do painel e uma dúvida cruel sobre a preparação do motor. Vamos lá?

Como eu havia comentado post anterior, o passo seguinte seria instalar o painel que foi trazido da Inglaterra. Como os conectores eram do mesmo padrão tentei instalar a peça gringa por conta própria sem muita esperança de que funcionaria corretamente. Ao conectá-lo algumas luzes acenderam, mas não desligaram. Estranhei. Então liguei o motor, faróis e alerta, mas nada condizia com a informação do painel. WTF?

26334_489748464442193_25478085_n-620x463

O que aconteceu? Embora os conectores fossem iguais, a ECU dos carros (o Zetec-S original e o Fiesta GLX brasileiro) eram diferentes e, por isso, a ordem dos fios também mudou. Para fazer o negócio funcionar, eu teria que encontrar alguém com paciência para decifrar os fios e sinais para instalá-lo corretamente.

Fui a diversas auto-elétricas, eletrônicas, mas ninguém tinha tempo para tal serviço. Alguns até tentaram, mas sem sucesso. Certo domingo de manhã parei para abastecer e acabei conversando com um velhinho que puxou papo sobre o carro. Ele acabou me indicando uma auto-elétrica de um amigo dele numa cidade vizinha, e garantiu que o cara faria o painel funcionar.

De fato: acabei encontrando alguém que estivesse disposto a realizar o serviço para mim. Fiquei pouco mais de 15 dias sem o carro, mas o cara decifrou o chicote e instalou o painel. Ficou perfeito… se eu não levar em consideração que o marcador de combustível está marcando ao contrário (cheio/vazio). Para corrigir o problema é necessário uma peça dos Zetec-S originais. Já importei e estou aguardando para reparar e deixar o painel 100%. Enquanto isso preciso colocar na cabeça que a luz da reserva só acende quando estou com o tanque cheio. Muito louco.

Com exceção desse inconveniente o restante está funcionando, agora além da marcação em mph e kmh, tenho mais algumas funções de teste e monitoramento. Quais são? Ainda não decifrei. Encontrei uma lista na internet, mas aparentemente as unidades de medida não seguem um padrão (imperial ou métrico):

1..Gauge sweep (teste de instrumentos)
2..Fill in all LCD (teste do LCD)
3..Indicator bulbs (teste de luzes espia)
4..ROM level (??)
5..NVM level (??)
6..DTC (??)
7..Road speed mph (velocidade do carro em milhas por hora)
8..Road speed Km/h (velocidade do carro em quilômetros por hora)
9..Engine speed (velocidade do motor, ou conta-giros)
10..Fuel volume (volume de combustível, parece marcar na unidade “barris”)
11..Coolant Temp (temperatura do fluido de arrefecimento)
12..Battery Voltage (tensão da bateria)
13..ABS fail (falha de ABS, meu carro não tem)
14..Electronic Brake Distribution Failure (falha no EBD, meu carro não tem)
15..Illumination (teste de iluminação)
16..Crank Sense (sensor do virabrequim)

Para ilustrar melhor essas funções, gravei um vídeo. Como vocês viram, há algumas medidas meio confusas, então se alguém decifrar ou tiver uma dica para me ajudar, por favor, escreva nos comentários.

 

Turbo ou aspro?

No post anterior também falei que estava em duvida em relação ao Duratec 2.0 e 2.3, lembram? Na hora de procurar o motor, só encontrei à venda com troca (dou o meu velho, pago a diferença pro novo) ou são motores inflacionados demais — mais caros que motores gringos como o 2.5 da VW ou os seis-em-linha da BMW.

Pensei comigo: se esses caras estão cobrando absurdos por um motor por que não fazer importar um motor como importei os parachoques? Como eu descobriria depois, por que importar um motor não é uma tarefa muito fácil.

Entrei em contato com um vendedor do Reino Unido, cotei um Duratec 2.3. O preço estava bem interessante e cheguei a acertar os detalhes com o vendedor. No mesmo pedido ainda seriam incluídos o kit de freios a disco traseiros do Fiesta ST150 (MK6) e mais algumas peças sobressalentes.

Infelizmente dias antes formalizar a compra, o vendedor do Reino Unido me deu uma notícia terrível: ele desistiu de vender peças de carros! Decidiu fechar o ferro-velho e trabalhar em um emprego “normal”. Com essa noticia fiquei confuso. Não sabia mais o que fazer, não sabia se pagaria o valor absurdo que os brasileiros pedem pelo motor ou procurava outra solução.

Cansado desses problemas e de cabeça quente, decidi que venderia o Fiesta. Alguns de vocês talvez até tenham encontrado o anúncio. Comentei com alguns amigos, com meu pai e minha mãe que eu estava decidido em vender o carro. Meu pai e minha mãe foram totalmente contra a venda do Fiestinha, afinal eles sabiam o quanto aquele carro significava pra mim. Meu pai ainda se diverte dando umas voltas com ele por aí.

Engine2

Motor original no Zetec-S

No fim acabei mudando de idéia e voltei a me empolgar. Após conversar com algumas pessoas, fóruns de internet, cogitei em colocar um Sigma 1.6 (motor original do Zetec-S na Europa, quando ainda não era chamado Sigma e sim Zetec-SE), que seria o motor ideal para deixar o carro mais próximo do modelo europeu. Fiz um cálculo rápido e vi que não valeria a pena, pois o gasto seria muito alto para pouco retorno  em termos de potência.

Cogitei também em ficar com meu Zetec Rocam 1.6 e instalar um turbo nele. Fui até a Bogoss Racing Performance, fizemos um levantamento das peças necessárias e, adivinhem só… acabei desistindo também. Como seria preciso retificar meu motor, eu precisaria de pistões maiores. Encontrei apenas um fabricante que fizesse os pistões forjados na medida necessária, e o valor pedido foi bem superior ao de mercado — tanto nos pistões quanto nas bielas.

Então eu voltei ao ponto inicial e decidi que vou colocar o Duratec 2.0. Já estou acertando os últimos detalhes para realizar a compra do motor, que será o tema do próximo post. Até lá!

Por Tomás Andrade, Project Cars #41

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

O Subaru Impreza SW de Okada – a história: sonho de adolescência

Juliano Barata

Best of Project Cars: relembre a história de um dos raros Citroën C4 VTS no Brasil

Leonardo Contesini

Celta Outlaw: os primeiros testes do Project Cars #11 na reta de arrancada

Leonardo Contesini