A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #414

Project Cars #414: novas rodas, o acerto da suspensão e mais track days com meu BMW 325i Coupé

Quem é vivo sempre aparece! E ainda aparece para preencher o Project Cars desse maravilhoso site e contar mais um pedacinho da saga BMW, para o deleite de todos os amigos que aqui buscam uma idéia insana!

Nesta vinda de hoje, o foco principal serão as diversas participações em Track Days, mas sem fugir de mais um pouco de preparação e restauração. Vamos começar?

Assim que retornei de Curitiba, fui atrás das redondas. Papo vai, papo vem, ficaram prontas! Lindas, únicas. As bordas foram diamantadas, e os miolos, pintados no tom original das rodas, um hiperprata, com muitos pigmentos, dando um ar de novas às rodelas. Além disso, fora retirado material para ficar com um offset levemente mais interno, para não judiar das caixas de roda, ficando as specs assim: Dianteira (18”x8J, et25) e traseira (18”x9J, et29). Um stance impecável.

 

Logo após a instalação das rodas, ainda deu tempo de inaugurar o dinamômetro da Atomic Motorsport, onde o maldoso Servitec marcou respeitáveis 155wHP na nossa velha senhora! Ainda em forma, não?

 

Londrina

Assim que o carro aprontou, alinhou, balanceou e tudo mais que temos direito, me inscrevi no Track Day que aconteceria em Londrina, cidade onde resido. Mesmo esquema de sempre, a ansiedade a mil, o nervosismo a flor da pele e, neste dia, em específico, um complicador a mais. Eu teria que virar a madrugada trabalhando, e ir direto do serviço para a pista, sem descanso! Até aí, tudo bem! Mas choveu à noite, e a pista, nos primeiros instantes da manhã, ainda estava lisa e sem emborrachamento. Foi um baile de idas à grama, e até um sustinho, ao parar encostado, de ré, na mureta de pneus.

Sustos a parte, a pista secou. E nós fomos para andar forte. Depois de umas duas saídas, senti o carro pulando quando acelerava. Tinha certeza que havia ido a caixa de direção para o saco. Por sorte, ou azar, eram os pneus dianteiros. Mesmo com 40 libras frio, ele dobrou muito e deslocou, me deixando o resto do track sem chances de virar uma volta rápida. Somado ao fato da suspensão, excessivamente mole ter feito o pneu dianteiro direito destruir o paralama, por pegar na parte interna da lata e arrancar tinta com o calor, e o carro continuar dando falta abaixo de meio tanque em curvas fortes para a direita, o dia foi um fiasco.

Pandem

Aquilo havia me desanimado de uma forma muito forte, e decidi mudar os planos. Já havia visto fotos do kit Pandem, by TRA-Kioto Aero, e decidi que era a minha hora de fazer um igual, para não pagar os US$3500,00 que cobram lá fora. Anunciei as recém-reformadas rodas e aceitei, como parte de pagamento, rodas de Stock Car.

 

Curitiba

Numa ida à capital, com a maldade de andar em um track day na cabeça, um amigo falou que ficava com as rodas, mas tinha um jogo de rodas style65 (réplicas das M5 e39), de 17”x8J, ET20, e pneus meia vida, e precisava colocar elas como parte de pagamento. Aceitei, um tanto a contragosto, e coloquei elas no carro para rodar até vendê-las, para continuar minha saga pelo WideBody Kit.

Na mesma leva, comentei que queria o kit de sinaleiras completo da Euro, uma vez que os donos anteriores trocaram os piscas dianteiros e laterias por cristal, e eu já havia conseguido os laterais; momento este que ele saca do porta-malas de um de seus carros uma caixa, contendo os benditos itens faltantes, e me vende a um valor simbólico. Problemas resolvidos!

Como minha motivação para estar na cidade ainda não havia se concretizado, no domingo cedo, lá estava eu, para mais uma edição do Track Day de Curitiba, no AIC, juntamente com o Leandro Del Santo, colocando as alemãs na pista. Depois de duas ou três passadas, todas com tanque com quase ¾ completo, pois dava muita falta abaixo disso, comecei a sentir o carro escapando de traseira quando virava para a direita, chegando a parar para conferir calibragem dos pneus. Saí novamente, e o problema continuava. Na parada, constatei que os amortecedores haviam “pedido baixa”, e o carro estava descompensado. O resto da manhã só serviu para brincar, como podemos ver nesse videozinho, e pelas poucas fotos do evento.

Aí vc está lá, de boas, quando de repente… #botadelado! #driftero #drift #trackday #bmwm #bmw #coupe #manual #rwd #AIC #oversteer #sobresterço #lelenafilmagem

 

Uma publicação compartilhada por Luiz Fernando Lopes Oliveira (@luiz_lopes89) em

De volta para casa

No retorno, muito cuidadoso, para Londrina, coloquei na cabeça que teria de resolver estes dois problemas que muito me incomodavam. A suspensão e a falta de combustível.

Para a primeira, recorri novamente ao Profissional da Torno Tercioti, que Retrabalhou meus amortecedores, baixando prato, hastes e enrijecendo o sistema, molas mais firmes nas quatro pontas, além de confeccionar uma camber plate em alumínio e uma strut bar para a suspensão dianteira, deixando o carro mais baixo e muito mais firme, além de valores de suspensão mais agressivos.

Depois de pronto, e alinhado, ficamos com:

DIANTEIRO TRASEIRO
CAMBER -2.5º -3º
CASTER -3º STOCK
TOE IN 10’

Já no segundo quesito, a empreitada ficou para o pessoal da Atomic Motorsport. Com um tanque de 4l instalado no porta-malas, alimentado pela bomba original, com retorno nele próprio e enviando combustível para o motor através de uma bomba de alta vazão (12bar), as curvas se tornaram muito mais divertidas.

Além disso, nos amigos da BM Center, trocamos os bicos da criança por outros originais, pois já estavam em seu fim de vida.

E na Guaporé Pneus, o dono, Rodrigo, fez um desconto bacana para que eu arrematasse 4 pneus Bridgestone Potenza RE760 Sport, de medidas 225/45, calçando assim as novas rodas, que já haviam se tornado quase definitivas no carro.

 

Curitiba… de novo!

Com tudo isto feito, e a poucos instantes de mais um track day na capital, passei uma noite curta em casa antes de pegar a estrada e ir até o AIC, para a edição 2016 do encontro e Track Day BimmerBrazil. O evento em si dispensa comentários. A alma de se ter um veículo, de gostar dele e prepará-lo se mostra ali, nas amizades, nas conversas e nas famílias. Quanto a este assunto, deixo o vídeo oficial, e o link para que confiram várias fotos em seus Facebooks.

Quanto à dinâmica do carro, bem, esta mudou da água para o vinho. O carro estava firme, sentado no chão, e não faltava disposição para curvas rápidas, mesmo que o ponteiro do combustível se mostrasse na reserva. Estava realizado. Com um tempo de 1:45,alto fiquei feliz, e com a certeza que tinha mais o que tirar do conjunto, caso a pista tivesse mais vazia e os amigos não fossem tantos para nos distrairmos.

Assim termino o post de hoje, com algumas novidades e muita experiência de pista!

Até a próxima!

Por Luiz Fernando Lopes, Project Cars #414

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #432: a história do meu Nissan 350Z

Leonardo Contesini

Project Cars #136: cuidando do sistema de alimentação e arrefecimento do meu Mitsubishi Eclipse GS-T

Leonardo Contesini

Um Kadett de 411 cv: a história do Project Cars #457

Leonardo Contesini