A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #417

Project Cars #417: o último capítulo da garagem Citroën

Por André Lenz, Project Cars #417

Bom, chegamos ao último capítulo da nossa saga, aonde finalmente tenho todos os projetos terminados ou com poucos ajustes e também as decisões que tomei para seguir com a minha garagem Citroën.

Eu em 2019 acabei perdendo meu emprego de carteira assinada em uma multinacional, o carro alugado que era deles eu tive que devolver e fiquei alternando entre meus três carros, usando cada semana um deles. O ZX Preto, o Dimitri e o Xantia. Mas o Xantia acabou sendo o preferido para o dia-a-dia, pois a suspensão desse carro é absurda. As ruas de Joinville são extremamente esburacadas e muitas com paralelepípedos e o Xantia trazia um conforto ao rodar extremo. Eu estava curtindo tanto usar ele de daily que até mandei arrumar o ar-condicionado dele 

Nesse período uma mangueira vazou, o Xantia parou, depois voltou, rodei com o preto e com o prata, para um, faz algo em outro, tudo normal pra quem tem carro velho,  mas no final das contas o Xantia era oficialmente o daily. Mas então conversando com a patroa chegamos a conclusão que eu deveria me desfazer de um dos carros. I

sso porque agora que eu estava sem o emprego na multinacional, ficaria cabreiro manter o carro dela e mais três carros meus trabalhando somente na oficina. O escolhido em um primeiro momento foi o ZX de pista, o Dimitri, isso porque na oficina a gente resolveu fazer um upgrade na nossa perua de uso diário/pista, que seria montar todo o kit turbo original PSA do Xantia Turbo. Tendo esse carro para as pistas, não fazia nenhum sentido eu ter o meu próprio carro de pista, seriam só gastos adicionais. 

Então tentei fazer uma rifa dele, tirei umas fotos bacanas, fiz uma planilha organizada mas o negócio empacou em R$ 7.000. A meta era R$ 14.000, tentei abaixar a meta para R$ 12.000, mas não evoluiu muito. O que eu fiz então? Devolvi o dinheiro de todo mundo e não fiz o sorteio do carro, coloquei ele a venda no OLX e GT40.

As fotos do anúncio eram as mesmas da rifa. Acho que coloquei em outubro ou novembro, não lembro direito, só sei que vinha umas propostas muito ruins, umas caneladas toscas que dava vontade de xingar, isso foi antes das mudanças promovidas pelo olx que agora vão inibir as caneladas, sabia disso? Fiz até um vlog contado a respeito, se quiser saber dá uma olhadinha abaixo.

Mas as propostas eram ruins e minha dignissima falou para anunciar o Xantia. Pensei, poxa, anunciar meu daily? Tão bom de andar? Mas dai surgiu a idéia de vender o ZX e o Xantia se tudo desse certo e voltar a fazer rolo comprando carros de leilão corporativo e ganhar uma graninha. 

Anunciei o Xantia deitado na cama numa madrugada de domingo, vieram três caneladas toscas e terça feira um rapaz se mostrou bastante interessado, resultado? Quinta feira ele fechou o carro. Incrível vender um Xantia em menos de uma semana, mas o carro estava top. Vejam abaixo as fotos do anúncio.

Sei que muita gente tem preconceito com relação a suspensão hidráulica, mas te convido você que está lendo agora a um dia dar uma volta em um carro desses. O conforto, estabilidade, barulho interno, é tudo surreal, mesmo em um carro de 25 anos. A manutenção é complicada para os modelos de oito e dez esferas, mas o modelo de seis esferas, com um pouco de persistência, é tranquilo demais, perdi o medo total desse carro e na lista de desejos já entrou uma perua Xantia, uma das mais bonitas da Citroën na minha opinião.

Na hora de vender o carro surgiu um probleminha com os vidros, não vou me detalhar aqui, mas se você também gosta de lasanha assiste esse vídeo, pois muitos carros terão problemas para serem transferidos se não estiverem com tudo ok, principalmente nos vidros.

 

Bom, menos um na lista seguimos com o Dimitri e o preto alternando eles entre daily e fazendo uns upgrades. Com o Xantia vendido coloquei o ar-condicionado do Dimitri para funcionar. Primeiro levei na oficina de ar-condicionado para testar, se o problema fosse dentro do carro como no ZX preto eu não iria arrumar, pois daria muito trabalho desmontar o painel.

Para minha sorte o problema era somente no compressor que foi recondicionado e uma peça do filtro secativo que precisava ser trocada, com isso ar-condicionado gelando top demais, e veio no momento certo pois em janeiro desse ano estava bem quente e voltar pra casa parando no sinal e vendo as pessoas perplexas de olharem um carro todo adesivado com a janela fechada naquele calor não tem preço. 

No Zx preto como eu tenho dois jogos de rodas originais do Coupê, pintei um jogo de preto e deixei a outra com pintura original guardada. Depois de pintar de preto aproveitei e pintei os escritos dos pneus com a canetinha branca, gostei muito do resultado do carro. Quando quiser voltar para original só montar o jogo no carro e pronto.

Já que estava nessa pegada mandei dar um polimento no carro preto e ficou muito top, parecia carro zero, como o tempo estava bom e firme ele ficou alguns dias chamando a atenção para o brilho.

No ZX preto faltava arrumar a falta de combustível que o carro tinha ao fazer curva pra direita. O carro quando chegou pra mim não tinha esse problema, começou do nada, e esse problema não deixava eu montar o banco traseiro que estava jogado lá na oficina pegando poeira. Além disso o marcador de combustível do carro não funcionava direito, tentei colocar um chinês comprado no aliexpress, mas diferente do que eu coloquei no Dimitri que funcionou com mal de Parkinson mas que marcava certo, esse não estava funcionando direito.

Comprei uma peça original na Citroën e parti trocar tudo. Primeiro a boia de combustível depois mexer na bomba, que tinha dois problemas, um que o refil estava com pressão baixa, estava menos de 2 bar, para um carro que precisa funcionar com 3 bar, e o segundo é que o copo é deitado e a falta se dava porque existem umas travas que seguram esse copo para baixo e depois de muito estudar olhando para dentro de um tanque de combustível desmontado de uma sucata lá na oficina, conseguimos ver que quando o carro fazia a curva as travas externas levantavam e o carro dava falta. Bomba trocada e copo bem fixado pude finalmente colocar o banco traseiro no carro e dar umas voltas com a minha família de teto solar aberto. Isso não tem preço.

Terminei dessa forma o carro preto, existem algumas coisas a fazer mas são manutenções mecânicas mesmo, a balança do lado esquerdo deu arrego e vou ter que trocar, mas basicamente só tem pendências mecânicas mesmo, considero o projeto concluído.

Segue abaixo o penúltimo episódio da saga do ZX no Youtube, vou colocar em breve no ar o último episódio com a finalização oficial do projeto do carro, se quiser ver se inscreve lá.

Bom, chegou a quaretena e logo na primeira semana  ficou aquela loucura, todo mundo em casa, o que eu fiz? Aproveitei para colocar para funcionar o teto do Dimitri. Pega daqui, desmonta dali, fiquei praticamente 8 horas mexendo no teto e nada. No dia seguinte uma ajuda divina do meu sócio Denner conseguimos colocar o teto pra funcionar e ficou top. Como o carro ficou um tempo parado na oficina, a plotagem de teto e de capô deu uma desbotada, então resolvi pintar tudo de preto e o resultado do carro ficou este.

Pois então, terminei todos os carros, o que uma pandemia não faz né? Sobrou até tempo pra trocar um terminal de direção que já vinha fazendo barulho no Dimitri.

Bom, antes de dar o último adeus quero agradecer ao pessoal do FlatOut pelo espaço, quero também agradecer a todo mundo que votou na época pelo meu projeto, o engraçado é que não fiz campanha nenhuma pra curtirem meu projeto e o pessoal mesmo assim me qualificou para estar aqui. Quero agradecer a minha esposa por ter paciência de ter aguentado tudo isso e a você que está lendo e que tanto curtiu esse projeto.

Bom, termino dizendo que neste exato momento em que estou escrevendo faz 3 dias que acabei de me despedir do Dimitri. Depois de tantas ofertas por troca de lasanhas (mesmo deixando claro que queria uma troca de um carro pro dia a dia), depois de ter fechado a vista duas vezes e os compradores terem sumido por conta da pandemia, eu finalmente consegui trocar o Dimitri por um carro de uso civil, originalzinho.

Vem pra garagem uma Renault Megane Gran Tour 2009 que vai me atender muito bem no dia a dia, não pretendo mexer em nada nela, deixar original mesmo e rodar tranquilamente durante a semana, buscando minhas filhas no colégio e coisas assim. O preto vai ficar mesmo para o final de semana e dar aquelas voltinhas bacanas ou na madrugada ou com a família.

Ter o Dimitri foi um aprendizado muito grande, me proporcionou muitas coisas legais, me tornou sócio de uma oficina, me trouxe muitos amigos e conhecidos novos e me jogou num mundo que antes eu nem conhecia. Hot laps, track day, cara, muita coisa bacana mesmo,  grupos do Face, grupos do Whats. Conheci gente bacana que nunca teria conhecido se não fosse o carro. O mais loco de tudo isso é que tudo isso de bom que aconteceu na vida foi por causa de um carro. Não, não é apenas um carro, não sei explicar o que é.

E agora ele está com um novo dono que vai deixar a alma do projeto a mesma, vai deixar o carro adesivado, vai pra pista, enfim, não tem dono melhor pra ele ter ido. Mal pegou o carro já me mandou umas fotinhos  que ele fez.

Bom, dai você pergunta, agora ele sossegou? A vida voltou a normalidade? Que nada, a gente não consegue ficar sem se incomodar, então segue spoiler da minha mais nova incomodação e convido você a se inscrever no meu canal www.youtube.com/superpartes para acompanhar essa nova saga.

Gratidão total, fui….


Clique aqui para ver o índice dos projetos e acessá-los individualmente

Matérias relacionadas

Project Cars #504: a história do meu BMW 325i E36

Leonardo Contesini

Garagem Alfa Romeo: chegou a hora de conhecer o terceiro Alfa

Leonardo Contesini

Detailing e detalhes: a evolução da BMW 328 Touring “Valkyrie”

Juliano Barata