A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #423

Project Cars #423: começando a montagem do meu VW Jetta GLI “home made”

E aí, pessoal! Prontos para a segunda parte do Project Car #423?

 

A inspiração

Curti o carro originalzão durante alguns dias. Mas sabia que aquilo não ia durar para sempre. Tinha em mente algo relativamente simples: uma suspensão mais baixa e um conjunto de rodas e pneus maiores. Pesquisei alguns Jettas customizados na internet para ver se conseguia encontrar algo com o que eu me identificasse. Aqui no Brasil, muitos Jettas receberam rodas cromadas gigantes e, por mais que alguns até fiquem bonitos, eu não conseguia me imaginar andando com um carro assim.

Resolvi expandir minha pesquisa para sites gringos como o fórum VW Vortex e, ali sim, eu me encontrei! Gostei demais do visual dos GLi/GTi MK5! Gostei de como o ar de tiozão desaparecia quando os acabamentos cromados do pára-choque eram substituídos pelo preto brilhante. Estava decidido! Era esse o visual que eu iria dar pro meu carro.

Foto 01 Foto 02 Foto 03

 

Como não se apaixonar?

Antes do que está por vir, quero esclarecer que não irei relatar cronologicamente as modificações que fiz no carro. Irei separar em duas partes: modificações internas e externas. Dessa forma, acredito que a história ficará mais linear e “didática”.

 

De dentro para fora

Durante aquela limpeza mais detalhada que fiz no carro, notei que o abridor de garrafas e um dos tapetes do porta-copos haviam sumido. Notei também que o parafuso que prende o estepe estava quebrado e que não havia gancho para reboque no kit de ferramentas. Nem perdi tempo procurando essas peças em concessionárias, parti direto pro Mercado Livre. Lá encontrei as peças em um preço razoavelmente legal.

Antes de fechar negócio, achei melhor dar uma olhada nos sites gringos, afinal, fora do Brasil existem mais opções de peças de reposição Encontrei as peças no eBay por um preço muito melhor (ah vá!). Não pensei duas vezes, peguei o cartão de crédito internacional, me cadastrei e comecei a olhar as “prateleiras”. Como era minha primeira compra internacional, resolvi comprar somente o que eu precisava no momento (mentira! além dos acabamentos/peças que faltavam, também comprei dois apliques para as alavancas de elevação dos bancos e um kit de espátulas de plástico para desmontar acabamentos e apliques). Comprei o gancho do reboque pelo Mercado Livre mesmo.

Enquanto esperava que as peças chegassem ao meu endereço, observei que nas portas dianteiras, no interior do porta-objetos, havia um revestimento de carpete preto que não existia nas portas traseiras.Notei também que todo o porta-malas era acarpetado, menos na parte superior, o que deixava um pedaço da lataria à mostra. Vi ali uma oportunidade para me ocupar com o carro. Fui até uma loja de tecidos e comprei dois pedaços de carpete: um preto resinado para fazer os “tapetinhos” das portas e um cinza para revestir o que faltava do porta-malas.

Fazer os tapetinhos foi fácil. Fiz um molde de papel e cortei o carpete até que ele encaixasse no espaço. Depois eu “depilei” o carpete para que ele ficasse mais baixo, igual aos das portas dianteiras. O porta-malas deu um pouco mais de trabalho. Recortei o carpete e colei diretamente sobre a lata, moldando os contornos e acomodando as bordas do carpete dentro da borracha de vedação do porta-malas.

Outra mudança relativamente simples que fiz foi substituir as lâmpadas de cortesia interna por led’s super brancos. No total foram 13 lâmpadas substituídas. Valeu a pena porque o interior ficou renovado e com a iluminação muito melhor.

Durante esse período as peças que faltavam, chegaram. Bastou colocar tudo no seu devido lugar.

Navegando pelos classificados do Clube do Jetta, encontrei um kit de pedaleiras em alumínio. Arrematei! Observando os carros dos colegas de fórum, notei que alguns tinham os botões dos comandos dos vidros com um pequeno detalhe em aço escovado. Os originais são inteiramente pretos. Entrei novamente no eBay e saí à caça desses botões. Após algumas horas de procura, encontrei um kit com todos os botões que eu queria (vidros, abertura do tanque, retrovisores e farol). Estava feita mais uma compra internacional!

As pedaleiras chegaram primeiro. Para auxiliar na instalação, assisti alguns tutoriais no Youtube. No final foi tudo muito simples e intuitivo. Na segunda foto vocês podem observar os botões originais totalmente sem graça pretos.

Enquanto esperava pelos botões, eu assistia e lia como fazer a desmontagem das portas para poder instalar os botões. Eu estava como muito medo de quebrar as travas plásticas das portas e o interior se transformar em uma escola de samba. Após algumas semanas de espera, os botões finalmente chegaram. Tirei um dia inteiro para fazer as mudanças e tudo ocorreu sem problema algum. As espátulas ajudaram bastante nessa hora.

Apesar de estar com o Jetta, sempre dava uma espiada nos outros carros da linha Volkswagen (Passat, Tiguan, Touareg e afins) e notava alguns detalhes interessantes como as luzes de cortesia na região dos pés e as luzes de cortesia nas portas. O que eu gostei dessas luzes de cortesia nas portas é que quando tu abre a porta, você vê onde pisa. Nunca mais pisar em poça d’água!

O Jetta já tinha as luzes de cortesia para os bancos dianteiros, faltava colocar para o banco traseiro. No local onde deveriam estar as luzes das portas havia apenas lentes reflexivas vermelhas. Mais uma vez fui às compras e comprei o kit de luzes para as portas e para o banco traseiro.

Quando as peças chegaram, recorri novamente ao Youtube para aprender como fazer a instalação. Nada muito complicado. Já havia desmontado os forros de porta uma vez. O único porém era a fiação, mas nada que algum tempo pesquisando pelos fóruns da vida não resolvessem. Passei algumas horas estudando como faria a passagem dos fios e a instalação das lanternas embaixo dos bancos. Decidi que seria melhor remover os bancos dianteiros e passar o fio pelo local onde passa o chicote dos comandos elétricos dos bancos. Aproveitando que os bancos seriam removidos temporariamente, dei uma geral no carpete. Para acompanhar a iluminação interna, as novas luzes receberam lâmpadas de led’s super brancos.

Um item que eu sempre babava quando via fotos dos GTi/GLi era o volante base reta de 12 botões. Que coisa mais linda! Pesquisando para comprar um novo, vi que o preço era algo muito alto para investir. Sabia que poderia aparecer um seminovo para venda, por isso fazia plantão nos classificados dos fóruns, no Mercado Livre, OLX etc. Certo dia eis que me aparece o volante para venda. Negociei o preço e arrematei no mesmo dia.

Foto 021

Nesse momento pensei: “Ok, agora chega de gastar nesse interior”. Ah! Doce ilusão! Quando montei o volante, senti a necessidade de mudar as manoplas de freio de mão e de câmbio para acompanhar o volante. Lá vamos nós emagrecer o porquinho…

A manopla de freio de mão foi fácil, existe basicamente uma única opção. Para escolher a manopla de câmbio, eu queria algo diferente. Sempre vi o pessoal colocar a manopla da linha Jetta 2011+, mas eu acho que essa manopla não combina com os MKV. Eu queria algo diferente. Pesquisei em outros modelos Volkswagen, mas não encontrei nada que agradasse. Quer dizer, até encontrei, mas o preço da manopla do GTi 35 Edition era muito alto.

Resolvi dar uma olhada na prima rica. Na Audi, encontrei uma manopla bonita da linha 2012+. Sem ter a certeza que iria conseguir montar a manopla no meu carro, comprei e torci para que a adaptação fosse possível. E para finalizar as compras, comprei o kit de retrofit do TPMS (Tire Pressure Monitoring System).

Algumas semanas se passaram até as peças chegarem. A manopla do freio de mão foi plug’n’play. A manopla de câmbio até que não deu muito trabalho. Bastou separar a manopla Audi da coifa e montar na coifa original do meu carro. O que deu muito trabalho foi a fiação do TPMS. Tive muita dificuldade para passar o fio que vai ligado na central do ABS. Mas depois de esfolar os dedos durante uma tarde inteira, consegui passar o fio e fazer a ligação do botão.

Depois de toda essa trabalheira, o interior estava do jeito que eu queria… na verdade ainda tenho umas idéias, mas botei o pé no freio (pé no freio?). O resultado final vocês podem conferir abaixo:

Por hora é isso. Até a próxima publicação, onde irei falar sobre as modificações externas feitas no carro.

Abraço a todos!

Por Neimar Paulo, Project Cars #423

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Bikes #395: resolvendo o motor e os detalhes estéticos da minha Turuna Café Racer

Leonardo Contesini

Project Cars #222: a montagem do V8 e a primeira partida do Maverick Super 76

Leonardo Contesini

Project Cars #120: como transformar um Citroën C4 hatch comum em um VTS apimentado

Leonardo Contesini