FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #427

Project Cars #427: a história do meu Ford Ka XR 2004

Olá, Flatouters! Me chamo Patrick Lopes, sou de Niterói/RJ, estudante de direito, e apaixonado por carros como todos vocês. Inicialmente gostaria de agradecer por terem me dado a oportunidade de contar a história do Ford Ka XR Azul, como ele surgiu na minha vida e tudo o que fiz nele até o momento visando devolver o carro à sua velha forma como no dia em que saiu da fábrica. Vamos lá então.

 

O começo

Era 2008, finalmente cheguei aos 18 anos, hora de tirar a tão sonhada carteira de motorista, comprar um carro e sair rodando por aí… não fosse pelo pequeno problema que eu não tinha dinheiro para tirar a CNH.

Comecei a trabalhar para conseguir dinheiro e quase um ano depois finalmente consegui o dinheiro. Faço as aulas, passo nas provas e finalmente vou dirigir! Como eu não tinha carro, comecei pegando o carro da minha mãe emprestado, Uno Mille Fire 2003.

Tudo bem, não era o carro dos sonhos, mas pra quem não tinha nada já era um começo. O que no início parecia um carro super simples, sem conforto, com aparência de frágil e fraco foi me mostrando que não precisava de muita potência para me divertir (não tinha nada para fazer peso mesmo, então os 55 cv dele davam conta do recado).

Um belo dia minha mãe precisou vender o carro e ficamos sem carro em casa. Foram longos oito meses sem dirigir um carro (andava apenas de moto), até que consegui comprar o meu primeiro carro, adquirido da minha avó. Um incrível Fiat Palio ELX 1.3 2005.

Primeiras experiências ao volante, fui curtindo o carro, utilizando-o para o trabalho, viajando, mas sempre sentia falta de algo a mais. Faltava potência, o carro era molenga.

O carro estava financiado e acabei tendo que vendê-lo após 1 ano de uso para que dívidas familiares fossem pagas. Como já estava quase finalizando o pagamento do financiamento, com o dinheiro que sobrou eu decidi comprar um carro com um pouco mais de potência e que fosse me satisfazer.

Sempre fui fã dos hot hatches e decidi que queria comprar um Honda Civic VTI. Na época eles ainda não estavam tão caros e um VTI EG estava na faixa de R$ 17 mil (eu tinha R$ 12 mil e precisaria de um patrocínio familiar que não rolou).

Assim, já que não dá pra comprar um VTI, com a influência dos amigos acabei comprando um Honda Civic LX 98, manual, 120 mil km rodados, rodas de Civic VTI, câmbio com short shifter e… só. Não tinha o famoso VTEC, mas pelo menos não estava andando a pé.

Era um avanço em relação ao Palio. Fazia curvas sem parecer que iria capotar, gostava de girar alto, mas em compensação bebia muito. Fiz aquela revisão geral ao pegar um carro (troquei velas, cabos de vela, óleo, filtro de óleo, filtro de combustível, filtro de ar, juntas do motor, embreagem que já estava no fim, buchas da suspensão, correia dentada, correia de acessórios etc) e mesmo assim o consumo não estava bom como sempre havia ouvido falar.

Os planos eram vários, desde juntar dinheiro para um swap para B16, até juntar dinheiro, vender o Civic LX e pegar um VTI. Fui ficando com o carro, pois gostava muito dele. Andava relativamente bem, tinha conforto e achava ele diferente do que se via por aí nas ruas. Na época, em 2015, a gasolina aumentou muito e não tinha condições de ficar rodando muito com o Civic.

Chegou a hora de vendê-lo e comprar um carro mais econômico.

 

A Compra do Ka XR

Começaram as buscas pelo substituto do Civic e os requisitos eram: ser mais econômico que o Civic, andar bem, manutenção em conta e ser diferente desses carros pratas que tem por aí.

Comecei a pesquisar as opções: Gol GTI, Golf GTi Mk3, Kadett GSI, Uno Turbo, Uno 1.6 R MPI, Corsa GSi, Peugeot 205, 206, Xsara VTS. Como dá para ver, sempre gostei de carros Hatch.

Vocês devem estar estranhando que não citei o Ford Ka XR na lista. Realmente ele não estava na lista. Não passava na minha cabeça a idéia de ter um Ka.

Acabei descartando as opções anteriores por vários motivos, preço de compra, índice de roubo, manutenção complicada etc. Nada contra as famosas “bombas” do mercado, eu gosto muito delas, mas meu bolso não permitia bancar uma manutenção mais cara e precisava de um carro para trabalhar que não fosse temperamental funcionando quando ele quisesse. Não lembro como, mas acabei começando a ler sobre o Ka XR e fiquei interessado.

Visitas diárias ao OLX e não achava nenhum Ford Ka XR que coubesse no orçamento, e também só achava nas cores Prata e Preto.

Estava desistindo e fui ver um Ka XR preto. Chamei meu amigo Victor (o hondeiro que me influenciou a comprar o Civic e adora carros diferentes) para ver o Ka. Chegando lá, carro todo repintado, com GNV, lenta oscilando muito, interior todo amarelado… não quis nem andar no carro. Decepção total.

Mais algumas buscas e eis que aparece um Ford Ka XR azul à venda em uma revenda em Campo Grande/RJ. Pensei: É ESSE!

Passada a euforia inicial, vi que o valor estava muito acima do que eu poderia pagar, mas ainda assim resolvi ir dar uma olhada no carro, mesmo estando um pouco distante da minha casa em Niterói – RJ.

Como vocês podem ver na descrição desse Project Cars, este é o Ford Ka XR que apareceu no “Achados meio Perdidos” aqui do Flatout. Mas entre o Achados meio Perdidos e ele vir para a minha garagem, ele teve um dono não muito cuidadoso, que acabou com o carro. Para quem não se lembra, este é o link do post.

Foram meses de sofrimento para o pobre Ka. Parachoque arranhado, tampa da mala amassada por uma batida leve, parachoque traseiro com marcas de batidas leves, marcas de pedra no capô, manutenção negligenciada, pneus diferentes (sendo um remold)… enfim… ele sofreu um bastante.

Não era aquele carro impecável que apareceu à venda no posto do “Achados meio Perdidos” do FlatOut, mas depois de fazer o test drive e acelerar o carro, não estava mais prestando atenção em nenhum defeito do carro.

Vamos fechar negócio. Chora preço daqui, chora dali e consegui R$ 2 mil de “desconto”. De R$ 16.500 saiu por R$ 14.500.

Coloquei o “desconto” porque na verdade o carro estava encalhado na loja e tinha várias coisas a serem feitas que eu não reparei na hora da compra. Euforia da compra de um carro é uma M&R$%*#.

Ainda aproveitei o período de garantia de três meses que a revenda oferece para tentar sanar alguns dos problemas. Solicitei a troca da junta da tampa de válvulas que estava vazando, correção do engate da 1ª marcha que estava soltando e entrando no neutro ao acelerar de forma mais abrupta, conserto do batente superior do amortecedor dianteiro, entre outras miudezas. Foi feita uma c*gada sem tamanho pela revenda.

A junta da tampa de válvulas não foi trocada. Colocaram apenas um silicone para substituir a junta estragada. Resumo: O vazamento voltou, em menor intensidade, mas voltou.

A questão relativa à 1ª marcha soltando não foi resolvida. Alegaram que era assim mesmo (aham… sei…). Consegui resolver levando na minha oficina de confiança e realizando uma regulagem simples (juro que não lembro o que foi feito). O problema nunca mais voltou a acontecer.

Quanto aos batentes dos amortecedores dianteiros, um lado estava com batente e o outro sem. Como eles resolveram? Retiraram o outro batente, assim ficaram iguais os dois lados.

É impressionante como uma empresa consegue se queimar por tão pouco. Resolvi esquecer a loja e fazer eu mesmo essa manutenção. Como sempre dizem, se quer uma coisa bem feita, faça você mesmo.

Agora que já estava com o carro, vamos cuidar dele e ver o que precisa ser feito, mas algumas fotos do brinquedo recém adquirido.

Visita inicial à oficina e troco o kit de sempre:

5 Litros de óleo 05W30 Castrol Magnatec – R$ 175

1 Filtro de Óleo Motorcraft – R$ 30

Buchas do Escapamento – R$ 30

Filtro de Ar – R$ 24

Filtro de Combustível – R$ 21

Filtro da Cabine – R$ 18

Jogo de Velas NGK – R$ 69

Jogo de Cabo de Vela Motorcraft – R$ 85

Aditivo para Radiador – R$ 11

Kit para o TBI (borrachas e afins) – R$ 27

Bateria Moura – R$ 308

Motor do Esguicho do para-brisa (não estava funcionando) – R$ 45 + 90 de Mão de obra

E essa foi a revisão inicial do Ka XR, totalizando R$ 933, apenas para a troca do básico para que eu pudesse começar a andar com o carro.

Foi assim que começou a minha convivência com o Ka XR. Conforme fui usando o carro no dia a dia, foram aparecendo as “surpresas” que eu não havia percebido no momento da compra.

Esta parte fica para o próximo post. Também irei falar sobre os itens específicos do Ka XR, a dificuldade na aquisição desses itens e como um carro dito popular pode ter uma manutenção bem cara quando tudo começa a dar problema.

Abraço!

Por Patrick Lopes, Project Cars #427

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #417: como decidi salvar um Citroën ZX 2.0 16v

Leonardo Contesini

Project Cars #370: a despedida do meu Subaru WRX STI

Leonardo Contesini

Project Cars #305: a história do meu Fusca 1961

Leonardo Contesini