A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #67

Project Cars #67: a história do Peugeot 306 Rallye 2.0 de Bruno Weber

Fala, pessoal! Meu nome é Bruno Weber e tenho 29 anos. Como alguns outros aqui do Flatout, tenho fortes tendências voltadas para o lado PSA, amado por uns e odiado por outros. Com exceção do meu primeiro carro, todos os outros que tive foram Peugeot: 106, 206 (esposa), 306, 407, 607 e Partner.

Minha história com carros começa há muito tempo. Dizem que alguns já nascem com isso outros aprendem a gostar.  Eu provavelmente acredito que tenha nascido com gosto pra coisa, influenciado pelo meu pai que sempre gostou de carros. Desde muito novo já demostrava interesse na área, seja por meio da F1 ou dos carros do meu pai (que sempre foram GM por boa parte da minha infância). Lembro de alugar VHS de documentários sobre carros corridas etc. Acredito que tudo isso contribuiu para minha formação atual no que diz respeito a carros, e talvez isso tenha contribuído para ter meu sonho realizado há seis anos e hoje trabalhar nessa área, ganhando a vida com um auto center aqui na minha cidade.

desde pequeno

Mas vamos logo ao motivo deste post. Ao contrário do que se possa imaginar, eu não segui a tendência da minha família que só comprava GM ou Volkswagen — pelo contrário, antes mesmo de completar meus 18 influenciei meu pai a comprar seu primeiro francês e nessa época já pairava sobre meus pensamentos o 306.

Infelizmente ao completar 18 anos eu ainda não tinha condições de comprar um 306 — somente os modelos XS até 1996 estavam ao meu alcance e o que queria era um Rallye Phase 3. Então depois de dois meses andando com um Fusca 67 (emprestado do meu primo) comprei meu primeiro carro: um Fiesta 96/97 1.4 16v Zetec que me deu boas alegrias no pouco tempo que fiquei com ele.

Isso porque o tal do 306 não saía da minha cabeça. Depois mais alguns meses e muita procura, finalmente encontrei aquele que seria minha alma gêmea: um 306 Rallye 2000 1.8 16v — um  carro que mesmo a dez anos atrás já era difícil de encontrar. Encontrei o meu em Curitiba e não pensei duas vezes para fechar negócio.

 

O começo da história

Ufa! Sonho realizado e 306 na garagem. Nessa época eu praticamente trabalhava para pagar o carro. E o que sobrava também ia para o carro. De lá pra cá já passaram pouco mais de 10 anos e nessa hora eu deveria falar que nem tudo são flores, né?

original ( mas em 2008 tive q voltar pra esse set para fazer uma vistoria)

Pois bem, na verdade praticamente tudo foi muito bem, esse carro me incomodou muito pouco e foram tão poucos os problemas que facilmente consigo esquecer deles. Em todo esse tempo a única vez que precisei de um guincho por exemplo.. foi mais recentemente quando quebrei o volante do motor (aliviei demais e quebrou), então o saldo pra mim foi muito positivo. Não posso reclamar do 306, ele foi um ótimo parceiro nesses anos todos.

foto 3 2008

Passando rapidamente por esses anos, o carro evoluiu: eu fui engordando e o carro foi ficando mais rápido. Antes do swap foram várias coisas feitas — desde estéticas até de performance — então o set antes do swap era basicamente a adoção de peças do  Citroën Xsara VTS (vale lembrar q ele foi constituído com os anos e não de uma hora pra outra):

  • TBI;
  • Coletor de escape;
  • Coletor Admissão
  • Comandos de válvulas;
  • Escapamento by Giba;
  • Freios power brake medidas originais;
  • Kit Coil over H&R;
  • Barra anti-torção;
  • filtro Inflow;
  • Rodas Enkei 17” RS6.

 

Pronto para o sonhado swap

foto 2 2008

Depois de muito tempo e muitas alegrias surge a ideia do swap — e veio bem na hora que o XU7 resolveu entregar os pontos. Por sorte (e com a ajuda de um amigo, Marley) encontrei o motor completo de um VTS que partiu dessa para uma melhor. Então, aliado a isso surgiu a idéia de a gente mesmo encarar o desafio e tornar toda nossa teoria e aprendizado dos últimos anos em prática e fazer o swap em casa. Formamos a equipe principal composta por três amigos e separamos todas as noites possíveis para realizar tal feito.

terminar com essa talvez

Com isso estou devidamente me apresentando e nos próximos tópicos vou entrar nos detalhes desse grande desafio e também dessa história que já passa dos 10 anos. O carro já está pronto e rodando e tenho enorme orgulho de dizer que ele é fruto de nosso esforço e de uma grande amizade que tornou isso possível. Abraço e até o próximo!

Por Bruno Weber, Project Cars #67

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

330 cv nas rodas, uma dupla homenagem e um desafio: as últimas evoluções do Focus “Colin McRae”!

Leonardo Contesini

A saga da restauração de um Opala – a história do Project Cars de Charles Santos

Juliano Barata

Project Cars #112: a estreia do Monza S/R de Sherman Vito nas pistas e uma mudança de planos na preparação

Leonardo Contesini