FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #90

Project Cars #90 – restaurando o visual do Passat Variant B3 de Eric Sartori

E aí, galera!? Tudo bem? Hoje, vou contar um pouco mais sobre os primeiros cuidados, primeiros problemas, e os primeiros upgrades da “Vari”! Vamos nessa?

Se vocês ainda lembram, terminei meu primeiro post contando sobre a busca do carro e os problemas que eu tive no caminho. Pois bem, fui buscar o carro ao meio-dia de uma segunda-feira muito quente, com um sorriso indo de orelha a orelha por finalmente estar realizando um sonho. Chegando lá topei com o carro parado na frente da casa do antigo dono. A pintura estava bem fosca, o painel tinha um toca-fitas velho no painel, mas eu estava feliz da vida.

YGeyA7X

Ao sair com o carro comecei a notar que ele estava falhando muito, mas continuei meu caminho assim mesmo. Logo depois o trânsito começou a piorar, logo veio aquele calorão insuportável e eu decidi ligar o ar-condicionado… só para descobrir que ele simplesmente não funcionava!

Pouco depois, comecei a ver a temperatura subir e, do nada, ouço um estouro e vejo o vapor subindo. Uma mangueira do radiador com a ponta ressecada se soltou de sua abraçadeira. Parei no meio do trânsito sem uma mísera ferramenta. E agora? Fui até uma marcenaria e pedi ferramentas emprestadas, mas quem disse que a bendita mangueira prendia? Segui em frente até achar um posto de combustível onde o frentista finalmente conseguiu acertar e prender a mangueira.

n9Qx1AN

Chegando em casa, parei o carro do outro lado da rua, tirei uma foto, guardei o carro na garagem e comecei seu primeiro upgrade: faróis de neblina amarelos. Pode parecer coisa besta, e que hoje em dia todo mundo tem, mas é algo que eu sempre gostei, desde que vi o Lexus do Johnny Tran em “Velozes e Furiosos” (The Fast and The Furious – 2001), e também é algo relativamente fácil de fazer, e que na minha opinião da um ar diferente pra dianteira do carro.

GENhUpk

No dia seguinte, ja tinha marcado com o Ricardo Ghica, da Ri Car Personal para fazer o polimento e espelhamento do carro, trampo de primeira!

HiNSrYb

Depois de algumas horas, e com o carro quase pronto, mascarei os parachoques a tampa traseira e pintei os emblemas (que estavam com cores diferentes, e repintei a parte fosca dos para-choques que estavam com algumas manchas!

IrqmFU8

Com os parachoques, pintura, e emblemas prontos, peguei as rodas na Juts Imports e fui montá-las no carro. Acontece que devido ao offset muito baixo para a tala das rodas, comecei a ter problemas na hora da montagem: elas ficavam muito para fora dos para-lamas dianteiros!

GHRRDMj

Eu sabia que poderia arrumar depois, mas mesmo assim seria difícil de acertar. Enquanto isso, depois de dois dias com o carro ele ainda não tinha parado de falhar. O motor não tinha força, o câmbio estava começando a dar tanquinhos nas trocas de marcha, mas mesmo assim eu ainda estava completamente apaixonado pelo visual do carro, e pensava “Ah, depois eu paro o carro pra arrumar”. Foi quando começou a verdadeira novela, mas isso é um assunto para o próximo capítulo, no qual contarei mais detalhes sobre o som, a suspensão e a ajuda dos amigos. Grande abraço e até mais!

Por Eric Sartori, Project Cars #90

0pcdisclaimer

Matérias relacionadas

Project Cars #479: a história do meu Fusca 1200 1965 “Barnfind”

Leonardo Contesini

Preparando um Honda Accord EX: a história do Project Cars #285

Leonardo Contesini

Project Bikes #462: conheça a Honda CG Street Tracker do Eurípedes Marley

Leonardo Contesini